O Natal e o seu real significado


Não é em Belém, mas o calvário o foco da revelação, e qualquer interpretação do cristianismo que ignore ou negue este fato o deturpa completamente e o desvia do foco.

A mensagem do Natal anuncia a esperança para a humanidade arruinada, esperança de perdão, de paz com Deus, de glória, porque pela vontade do Pai, Jesus Cristo tornou-se pobre e nasceu em um estábulo, para que trinta anos depois pudesse ser levantado na cruz. Esta é a, mas bela mensagem que o mundo já ouviu ou ouvirá.
Falamos muito sobre o “espírito do Natal’’, mas raramente com o significado maior que contentamento em termos de relações familiares. Mas o que dissemos torna claro que essa expressão tem na realidade um significado muito mas rico. Devia significar a reprodução na vida humana da disposição daquele que por amor a nós tornou-se pobre no primeiro Natal. O próprio espírito natalino devia caracterizar o cristão o ano inteiro.

É para nós vergonha e desonra que muitos cristãos hoje ― serei mas específicos: tantos cristãos fundamentalistas e ortodoxos , vaguem por este mundo no espírito do sacerdote e levita da parábola do Senhor, vendo ao seu redor as necessidades dos homens, (mas depois de um desejo piedoso e talvez de uma oração, pedindo que Deus supra as necessidades dessas pessoas) desviam os olhos e passam, sem parar para o outro lado. Este não é o espírito do Natal. Não é também o espírito dos cristãos, e há muitos assim, cuja ambição na vida parece limitada a construir um belo lar de classe média, fazendo agradáveis amizades com cristãos de seu grupo e deixando que indivíduos das subclasses da comunidade, cristãos ou não avance sozinhos na vida.

O espírito natalino não resplandece no cristão esnobe, pois é o espírito das pessoas que, como seu Mestre, vivem inteiramente dedicadas ao principio de se tornar pobres ― gastando e sendo gastos ― para enriquecer o próximo, dedicando tempo, esforço, cuidados e interesses para fazer o bem aos outros ― e não apenas para seus amigos ― conforme a necessidade do momento


J.I. Packer (O conhecimento de Deus)

Homossexualismo na igreja- Parte I


Homossexualismo na igreja- Parte I

Estes estudos estarão dividido em 5 partes com os seguintes objetivos:
*Chamar a atenção dos irmãos para uma leitura um pouco mais apurada da sociedade em que vivemos;
*Alertar sobre alguns dos "ataques" feitos a bíblia e ao Nosso Senhor por algumas militâncias gays que tentam destruir e banalizar os princípios contidos na palavra de Deus.
*Abrir os olhos dos que se recusam a enchergar o homossexulismo dentro da igreja.
*Indicar, se possível, qual deve ser a posição e reação da igreja diante do homossexualismo.
*Ajudar os homossexuais que estão nas igrejas, tanto os que nasceram e foram criados por tradição dentro delas quanto os que se converteram a pouco tempo e estão lutando contra o homossexualismo dentro de si.
Para melhor compreensão dos leitores utilizarei citações trechos de outros trabalhos muito ricos. Recomendo que leiam todas as fontes citadas.

Ser "gay" (palavra inglesa que significa alegre, como adjetivo, e homossexual, como substantivo) parece moda em nossos dias. Geralmente, a mídia os retrata como uma classe mais “descolada”, moderna, fashion, inteligente e sensível do que as outras.
Os meios de comunicação, de modo geral, têm sido usados para divulgar e ensinar esses "novos" príncipios e concepções de uma sociedade que não ama Deus e nem está fundamentada na Sua Palavra. E com certeza arrasta uma multidão de jovens e adultos acorrentados ao entreterimento comtemporâneo atrás deles.
Segundo estudiosos, a manifestação do movimento gay, que teve seu primeiro grupo organizado na década de 50, não foi uma simples obra do acaso como muitos crêem. Ele teve toda uma estruturação no sentido de tentar a homossexualização da sociedade
contemporânea e, infelizmente, tem obtido sucesso nisso.
Sei que existem muitos homossexuais lutando sozinhos e escondidos dentro da igreja atual. Mas, antes de nos aprofundarmos nesse assunto, vamos entender algumas coisas sobre o homossexualismo:

"Não se enganem, não herdarão o reino de Deus os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões,
os avarentos, os bêbados, os difamadores, os marginais. Alguns de vocês eram assim. Mas foram lavados do pecado, separados
para pertencerem a Deus e aceitos por ele por meio do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus" Apóstolo Paulo em 1 Co 6.9 a 11 – BLH

A primeira coisa que precisamos entender é que homossexualismo é pecado, temos que ter isso bem claro em nossas mentes. Nunca houve e nunca haverá qualquer parcialidade da parte de Deus e dos seus servos nesse assunto, a bíblia fala claramente sobre isso. Mas, o fato de "homossexualismo" ser pecado não o torna mais terrível, contaminoso ou mais digno de punição do que qualquer outro pecado mencionado na bíblia. É hipocrisia discriminar alguém que está lutando nessa área. E independente da opnião alheia, é uma omissão grave não falar sobre esse assunto, principalmente do ponto de vista Cristão, no sentido puro e simples da palavra, é claro.

A Segunda coisa que precisamos entender é que o homossexualismo, em si, não é genético. Não existem "genes gays" como muitos afirmam por sugestão. As declarações de dois doutores a respeito disso:

[1]“A idéia de um gene específico para um comportamento específico é geralmente considerada altamente improvável para os
geneticistas...A homossexualidade é muito mais complexa do que mero comportamento”.
o Dr. Joseph Nicolosi, diretor da Clínica de Psicologia Tomás de Aquino em Encino, Califórnia.

“Mudar a orientação sexual de homossexual para heterossexual seria impensável se houvesse, de alguma forma,
qualquer verdade na causação biológica ou hereditária da homossexualidade”.(ênfase do autor) Dr. Charles Socarides, presidente da Investigação e Terapia da Homossexualidade, uma organização que une terapeutas e outros profissionais que crêem que a homossexualidade não é congênita e que pode ser mudada.

Outros dados e alerta:

[2]"Pesquisas tentando mostrar causas-efeitos biológicos ou genéticos para a homossexualidade existem há quase um século.
Mas o fato é que, ao longo dos anos, nenhuma pesquisa jamais provou uma base orgânica para a homossexualidade. O ativista homossexual Dennis Altman faz uma observação acerca de um estudo do Instituto Kinsey: "Eles estão impressionados com os consideráveis esforços de biólogos, endocrinologistas, e fisiologistas em provar esse fundamento; estou mais impressionado com a incapacidade de tantos anos de pesquisa resultarem em nada além de meras ‘sugestões’." Os ativistas homossexuais declaram que a homossexualidade é natural. Os grupos gays e todas as pesquisas modernas que
defendem a conduta homossexual se baseiam direta ou indiretamente no Relatório Kinsey de 1948, o qual afirma que 10% da população são exclusivamente homossexuais. No entanto, dois excelentes livros escritos pela Dra. Judith Reisman revelam não
só a metodologia fraudulenta de Kinsey, mas também o envolvimento dele com estupradores de crianças. Wardell Pomeroy, co-autor do Relatório Kinsey, conta a reação de Kinsey à preocupação (que Kinsey chamava de histeria) da sociedade com o grave problema de adultos que têm relações sexuais com crianças da família: "Kinsey zombava da idéia... [Kinsey] afirmou, com relação ao abuso sexual de crianças, que a criança sofre mais danos com a histeria dos adultos [do que com o próprio estupro]". Os grupos de ativistas homossexuais no mundo inteiro estão trabalhando para abaixar ou abolir as leis de idade de consentimento sexual a fim de "liberar" as crianças das restrições sociais. Isso, na verdade, passa a inocentar o criminoso. Infelizmente essa conspiração resultou, em 1992 na Holanda, na legalização do relacionamento hetero (entre sexos diferentes) e homossexual de adultos com crianças a partir dos 12 anos. Nos EUA, a maior responsável por esta luta é a Associação Norte-Americana de Amor entre Homens e Meninos (NAMBLA).
Uma vez que as causas não são genéticas, passam a figurar no campo da Psicologia. O Dr. Gerard van den Aardweg, psicólogo holandês, estabelece as seguintes causas do desejo homossexual nas pessoas: experiência homossexual na infância, anormalidade familiar, experiência sexual fora do normal incluindo sexo grupal ou com animais, e as influências culturais. Corroborando as afirmações do Dr. Gerard van den Aardweg que homossexualidade não é genética, a psicanalista e escritora Sheiva Sherman declarou, em 27 de março de 1998, no programa de TV Madalena Manchete Verdade que "uma coisa tem de ficar claro: homossexualismo não é genético. Está provado". É bom frisar que as causas da homossexualidade não são genéticas, porque a maior vitória do movimento gay na década passada foi mudar a direção do debate. Em vez de se discutir sobre a conduta, fala-se sobre identidade. Qualquer um que se oponha ao homossexualismo passou a ser visto como agressor dos direitos civis dos cidadãos homossexuais. Isso é o que constatam o teólogo John Ankerberg e o sociólogo John Weldon, autores do livro "Os fatos sobre a homossexualidade" (Editora Chamada da Meia-Noite): "Nossa cultura está se tornando tão tolerante que muitos dão ouvidos a qualquer grupo de autodenominadas ‘vítimas’.""

Um autor que não posso deixar de citar é John Gagnon, um dos sociólogos mais respeitados e conceituados na atualidade no assunto. Ele estuda o sexo há mais de 40 anos e foi um dos primeiros a refutar as idéias de Alfred Kinsey. Gagnon acredita que não é possível compreender um comportamento sexual sem conectá-lo devidamente ao contexto em que ele se insere, dependendo assim, das condições e da produção cultural existentes no interior dos grupos. Em sua passagem pelo Brasil, para o lançamento de seu primeiro livro em português "Uma interpretação do desejo", ele disse em entrevista a Revista Época.

[3]”Época: A orientação sexual é socialmente determinada?
Gagnon: Sim. Existem evidências de que a homossexualidade é construída socialmente. É uma capacidade apreendida,não algo com
que se nasce.

Época: Mas essa visão social não alimenta o discurso conservador de que gay pode virar hetero?
Gagnon: Sim, desde que os conservadores também admitam que um hetero pode virar gay. A sexualidade é mais flexível do que permitimos.

Época: O que acha da escala Kinsey, que identifica a preferência sexual em seis estágios que variam dahomossexualidade
total á heterossexualidade total?
Gagnon: É um jeito interessante de pensar na sexualidade, mas deixa de lado todos os fatores sociais, Kinsey queria criar
uma variável continua, mas as pessoas vivem de modo descontínuo. Há uma diferença entre ter uma identidade sexual e uma
prática sexual. Um homem que se diz gay não é homossexual apenas porque faz sexo com homem. Ser gay tem a ver com o comportamento com os amigos, a política, etc. O gay é uma nova pessoa social. Há homens que só têm relações sexuais com homens, mas não se apresentam como gays porque não pensam como gays.”

Mas mesmo não pensando como gays eles continuam na prática que é ilícita diante de Deus.
"Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante" Levítico 18:22
Essa natureza sexual tão maleável provavelmente se deve ao pecado dentro de nós. Não que todos tenhamos tendências homossexuais, mas com certeza todo ser humano sem Deus está distorcido. Como dizia o velho mestre:
“Tudo está errado até que Deus endireite as coisas”
Isso vale pra todos nós.

Esses dois primeiros pontos são fundamentais para termos um conhecimento um pouco mais ampliado do que é homossexualismo e qual tem sido sua influência na sociedade contemporânea...

fim da primeira parte

João Vítor

Bibliografia I
[1]"Genes Gays?" por Bob Davies
Site:http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/genes_gays.htm

[2]"Teologia Gay" por João Luiz Santolin & Sérgio Viula
Site: http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/teologiagay.htm

[3]Entrevista de John Gagnon à Revista Época, em 25/05/2006
site:http://74.125.47.132/search?q=cache:BAhQd1Z05gkJ:www.exodus.org.br/index2.php%3Foption%3Dcontent%26do_pdf%3D1%26id%3D50+soci%C3%B3logo+Gagnon&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=4&gl=br&lr=lang_pt

Homossexualismo na igreja- Parte II


Ao "Ataque"!!!

"Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio de vocês estes são ímpios, e transformam a graça de nosso Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único Soberano e Senhor" Judas 4

O fato de Homossexualismo ser pecado já é comum para os cristãos que lêem suas bíblias, mas ainda existem muitos questionamentos, fundamentados numa teologia fraudulenta, que confundem a grande maioria de nós. Às vezes sabemos que algo está errado, mas por falta de estudo bíblico ou por ter pouco tempo na fé, não sabemos como responder. Graças a Deus pelos fiéis irmãos que podem compartilhar o que escreveram e estudaram conosco, bons textos, de modo controlado e como fonte de estudo são altamente recomendáveis a qualquer cristão. A seguir, algumas das alegações que alguns grupos de militâncias gays fazem contra a bíblia e a Jesus Cristo, nosso Senhor.

1-Relação Homossexual de Davi com Jônatas

"Copiando na íntegra o desgastado argumento da homossexualidade entre Davi e Jônatas, Mott* pergunta retoricamente: "Se o homossexualismo fosse prática tão condenável, como justificar a indiscutível relação homossexual existente entre o rei Davi e Jônatas?" Indiscutível sobre que bases? Na verdade, quando Davi disse que o amor que sentia por Jônatas ultrapassava o de mulheres, ficou claro que este amor não tinha qualquer conotação erótica. Vale destacar o comentário exegético do rabino Henry I. Sobel à revista Ultimato, de setembro/outubro de 1998: "... a palavra hebraica "ahavá" não significa apenas amor no sentido conjugal/sexual, mas também no sentido paternal (‘Isaque gostava de Esaú’, Gn 25.28), no sentido de amizade (‘Saul afeiçoou-se a Davi’, em 1 Sm 16.21), no sentido de amor a Deus (‘Amarás o Senhor, teu Deus’, em Dt 6.5) e no sentido de amor ao próximo (‘Amarás o próximo como a ti mesmo’, Lv 19.18). Em todos estes exemplos, o verbo usado na Torá (a Bíblia hebraica) é 'ahavá'. É por razão lingüística – e não por falso pudor – que a maioria das traduções bíblicas cita
1 Samuel 1.26 assim: ‘Tua amizade me era mais preciosa que o amor das mulheres’."
Amor das mulheres era algo que Davi conhecia muito bem. Sua poligamia com Mical, Abigail, Ainoã, Maaca, Agita, Abital, Eglá e seu adultério com Bate-Seba mostram que a maior dificuldade de Davi era a atração pelo sexo oposto (1 Sm 18.27; 25.42-43;
2 Sm 3.2-5; 11.1-27).

2-Significado Erótico do texto de Eclesiastes 4.11

"Os ‘intelectuais’ da militância gay teimam em ignorar os fatos. Além do problema com a História e a Teologia, revelam total desconhecimento da geografia da Terra Santa. Argumentando sobre o texto de Eclesiastes 4.11 ("Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?"), tentam demonstrar que num clima quente como o da Judéia dormir juntos só pode ter conotação erótica. Ignoram, porém, que em Israel também neva. Exemplo disso é o rigoroso inverno que em janeiro deste ano atingiu a Terra Santa, espalhando neve por toda parte. Além de acusarem Davi de homossexualidade, os militantes sugerem que Salomão – mulherengo como era! – teria escrito a favor do homossexualismo, o que não encontra respaldo hermenêutico no contexto do versículo que, na verdade, fala de cooperação mútua."

3-Sodoma e Gomorra e os pecados sexuais

“Falando sobre Sodoma e Gomorra, a militância gay afirma que quando os homens daquelas cidades pediram a Ló para conhecer os visitantes (os dois anjos com aparência humana) eles não pretendiam manter relações sexuais com eles: "...maliciosamente se
interpretou o verbo ‘conhecer’ como sinônimo de ‘ato sexual’." É verdade, porém, que o verbo que aparece neste contexto é o hebraico "yada", que tem vários significados e, segundo, especialistas, aparece mais de 900 vezes no Antigo Testamento, por exemplo: "Saber" – Gn 15.8; "dar-se conta" – Gn 3.9; "reconhecer" – Gn 12.11; "conhecer pessoas" – Gn 29.5; "ser esperto em algo" – 1 Rs 9.27; "ter relações sexuais" – Gn 4.1; 19.5; 19.8; Jz 19.22. Na história de Sodoma e Gomorra, esse verbo tem conotação sexual (Gn 19.5 – a ameaça dos homens o demonstra claramente), pois a resposta de Ló oferecendo suas duas filhas virgens só tem conotação sexual. Mas eles não queriam as mulheres. Seu desejo era homossexual. Uma das melhores traduções da Bíblia foi feita pelo
judeu André Chouraqui e chama-se "A Bíblia – No Princípio". A tradução literal em sua Bíblia é: "Faze-os sair até nós, vamos penetrá-los" (Gn 19.5). E: "Tenho duas filhas que homem algum jamais penetrou "(Gn 19.8). Isso está em completa harmonia com o ensino do Novo Testamento em Judas 7, que confirma que a intenção dos homens de Sodoma era realmente de violação homossexual, assim como o demonstram 2 Pedro 2.7-10 e 1 Timóteo 1.8-10 que lista diversas violações da lei colocando os sodomitas lado a lado com os parricidas, matricidas e roubadores de homens."

4-A má tradução das palavras ‘efeminados’ e ‘sodomitas’

"Tentando neutralizar os escritos paulinos contra o comportamento homossexual, os militantes argumentam que as palavras afeminados e sodomitas empregadas em 1 Coríntios 6.9-11 foram mal traduzidas. Entretanto, as palavras gregas "malakoi" e
"arsenokoitai" têm significados específicos. Malakoi significa "macio ao tato". Arsenokoitai é composta de duas outras palavras 'arsen' (macho) e 'koitai' (cama). Em outras palavras, esse termo se refere aos homens que vão para a cama com
outros homens. Mas homossexualismo não é o único pecado sexual condenado na passagem em questão. 'Pornoi' (fornicadores) e 'moichoi' (adúlteros) mostram que não é só o homossexualismo que exclui pessoas do reino de Deus. Em contrapartida, o texto
deixa claro que ninguém precisa permanecer excluído do reino, pois na igreja que estava em Corinto (cidade extremamente libertina onde o homossexualismo e a pedofilia eram considerados normais) havia alguns que deixaram o homossexualismo, bem
como os outros pecados."


5-Questionamento acerca da existência de Jesus Cristo

"Entre os testemunhos históricos extrabíblicos acerca de Jesus estão os de Flávio Josefo (historiador judeu 37-95 d.C.), do Talmude (coleção de doutrinas e comentários rabínicos acerca da Lei, elaborada a partir do primeiro século da Era Cristã), os Anais de Cornélio Tácito (historiador romano, morto em 120 d.C.), Caio Suetônio Tranqüilo (escritor e senador romano que viveu entre 69-141 d.C.), Plínio, o Moço (governador romano entre 62-113 d.C.), Adriano (imperador de Roma entre 117-138 d.C.), Luciano de Samosata (poeta grego do começo do segundo século), Júlio Africano (cronologista, comentando os escritos de um historiador samaritano chamado Talo, datados do ano 52 d.C.), Mar Bar-Serápio (prisioneiro sírio escrevendo uma carta a seu filho por volta do ano 73 d.C.).
Corroborando os registros anteriores, Joseph Klausner, ex-professor de Literatura Judaica em Jerusalém, afirma em seu livro Jesus of Nazareth: "Se apenas possuíssemos estes testemunhos, saberíamos efetivamente que na Judéia viveu um judeu chamado Jesus, a quem chamaram o Messias, o qual fez milagres e ensinou o povo; que foi morto, por ordem de Pôncio Pilatos, por denúncia dos judeus..." Portanto, Luiz Mott precipita-se quando afirma que "a fé é sempre um passo no escuro". Os cristãos, além do resplendor da infalível e inerrante Palavra de Deus, possuem as luzes da História. É como disse Jesus: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário terá a luz da vida" (João 8.12)".

6- Jesus nunca pregou contra Homossexualismo

"Jesus Cristo nunca falou nenhuma palavra contra os homossexuais!", bradam os militantes. Mais uma tentativa frustrada para perverter a simplicidade do Evangelho. O fato de Jesus nunca ter mencionado especificamente o homossexualismo não significa
sua aprovação. Ele também não se pronunciou claramente sobre muitos outros problemas sociais, tais como: seqüestros, abuso sexual, prostituição infantil, tráfico de drogas. Entretanto, a Palavra apresenta direta e indiretamente os princípios inegociáveis de Deus para a moralidade e dignidade humanas. Na verdade, ao se referir ao plano de Deus para a sexualidade, Jesus reafirmou o ensino vetero-testamentário sobre o casamento heterossexual e monogâmico (Mt 19.4-6). A única alternativa ao casamento nestes termos é o celibato voluntário, concessão que Ele abriu ao ensinar que é melhor ser eunuco pelo Reino de Deus do que se divorciar e casar-se de novo (Mt 19.9-12)."

7- Jesus era gay

"Certamente, uma compreensão correta da natureza divino-humana de Jesus jamais permitiria sequer uma suposição destas. O Deus Eterno que se fez homem jamais nutriria por suas criaturas qualquer tipo de amor que não fosse puramente ágape (amor de Deus pelos homens). E foi exatamente isso que Jesus demonstrou por todos. Mas Luís Mott prefere extrair sua cristologia deturpada de conceitos mitológicos sobre deuses como Zeus e Oxalá, "andróginos e praticantes do homoerotismo" (atração física entre seres do mesmo sexo) como seus idealizadores. Por isso, ele não consegue perceber nos relacionamentos de Jesus nada maior do que a interação entre iguais. Ele perde a oportunidade de ver a beleza do relacionamento Criador-criatura, Salvador-pecador, Senhor-servo, Mestre-discípulo e, especialmente, Pai-filho.""

Não foram ódio e preconceito que me levaram a compartilhar as respostas a essas alegações de algumas militâncias gays contra o Senhor e seus santos ensinamentos. Mas foi o zelo pela casa de Deus e pelo seu precioso tesouro, meus irmãos, espalhados em
peregrinação por esta tão vasta terra, e os perdidos que nela habitam.

Que Deus coloque o Seu Infinito e Insondável amor pelos homossexuais em nossos corações!!! E que o zelo pela Sua casa e causa nos consuma. Amém…



João Vítor

Nota:
*Mott: Luiz Mott, doutor em Antropologia e presidente do "Grupo Gay da Bahia", considerado o maior mentor intelectual do movimento gay no Brasil, utiliza argumentos teológica, histórica e cientificamente inconsistentes. Esses argumentos são, na verdade, importados dos Estados Unidos e da Europa.

Bibliografia II:

"Teologia Gay" por João Luiz Santolin & Sérgio Viula
Site: http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/teologiagay.


Homossexualismo na igreja- Parte III

"Pois chegou a hora de começar o julgamento pela casa de Deus;..." I Pe. 4:17

É interessante a maneira em que coisas tão óbvias podem se tornar um tanto engraçadas dadas as circunstâncias. Às vezes, quando olho para o esforço que as pessoas fazem para fingir que não sabem da existência de homossexuais na igreja, no fundo, acho algo um tanto hilário e que pode ser triste ao mesmo tempo. Essas coisas foram o que levaram um amigo a questionar:

Homossexualismo na Igreja Atual: Um Segredo ou Algo Convenientemente Ignorado?

"Tenho falado, já há algum tempo, que a próxima crise da igreja vai ser quando todos os homossexuais saírem do guarda-roupas, pois a igreja em geral não tem a mínima idéia de como lidar com isso. Em vez de confrontar ou tentar ajudá-los, criamos equipes de dança e os colocamos no palco fingindo que achamos totalmente normal um rapaz flutuar como uma borboleta lá em cima durante o show de louvor. Sim, estou falando sério. Se alguém duvida do fato de que a igreja está cheia de pessoas, rapazes e moças, lutando e vivendo dentro do homossexualismo, é por que não congrega em nenhuma igreja ou verdadeiramente não quer vê-los. Basta somente ir num culto de jovens, ou falar com um líder de jovens que tenta ser o mais delicado possível e abre seus olhos durante o entretenimento de Domingo. É óbvio.

Temos um lugar aqui na nossa cidade onde uma grande galera GLS “congrega” toda sexta-feira. Eu sei, seria um ótimo lugar para evangelizar. E a verdade é que já fomos lá, o problema é que uma boa parte deles já fazem parte de uma igreja e alguns deles fazem parte da equipe de louvor; um é o ministro. Isso é verdade. Eu não acho nem um pouco certo condenar, escandalizar ou envergonhar os que estão nessa luta contra eles mesmos. Mas concordo em confrontá-los com amor. Chegando lá e trocando idéia, abrindo a porta do guarda-roupa para que eles possam sair. Sei que essa “descoberta” de homossexuais na igreja vai gerar uma confusão geral, não pelo fato de descobrirem que existe pecado,
isso sempre esteve presente, mas sim por sermos fariseus e termos uma tendência a bater em nossos peitos e apontar para eles "orando", “Graças a Deus, eu não sou como eles.”
A verdade é que nós não amamos os travestis, os gays e as lésbicas. E nem venha com seu papo furado de que ama, pois aposto que a maioria de vocês nunca se aproximou de um homossexual ou travesti, fora da sua igreja, para falar do amor de Cristo para
ele, tão grande é seu amor. Se um deles entrasse na igreja, nós não suportaríamos ficar sem olhar naquela direção toda hora e falar(ou pensar): “Credo!”, não tem como evitar.
Será que eles não sentem nossos olhos pesando sobre eles? Claro que sentem. E existe uma galera que eu chamo carinhosamente de “os donos da igreja” que preferem que eles não venham para que não tirem a atenção das pessoas do que é importante, o nosso magnífico show. Eles preferem que as pessoas mudem e depois entrem na igreja, com mesmo jeito "perfeito" deles. “A igreja não é um hospital.”, dizem alguns.
E assim, nós temos bem menos homossexuais nas nossas igrejas do que teríamos se tivessemos amor por eles. E agora também temos o grande número que
está fingindo não ser gay por medo da reação, a crucificação, que podem sofrer. Mas, pode crer, mais cedo ou mais tarde, o guarda-roupa vai estar mais cheio do que aguenta e vai cair em pedaços, o que faremos? Expulsaremos, correremos, continuaremos fingindo e criando mais ministérios para ocupar o tempo deles? O que você vai fazer quando aqueles que são gays na sua igreja se revelarem?
“Homossexualismo” não é um problema maior do que masturbação, pessoas olhando para os outros e curtindo seus corpos, pornografia, namoro (não) santo, vício de televisão, gula, fofoca e lá vai a lista de pecados na igreja.
Creio que estamos fazendo algo gravemente errado em ignorar o problema e a luta dos homossexuais. Muitos querem ajuda, mas não sabem como pedir, e nós ficamos ao lado fingindo não ver nada por que é mais fácil, por enquanto.

Homossexualismo é um problema na igreja atual que nós não podemos ignorar.
Não digo isso pelo bem da igreja, que a estrutura se dane. Mas, pelo bem daqueles que estão precisando saber da liberdade que existe em Jesus Cristo."

Jeff

Tudo aquilo que está encoberto, um dia será revelado. Do mesmo jeito que as árvores mostram de qual espécie são através dos seus frutos, os homens mostraram quem são quando não tiverem mais nenhum lugar para se esconderem...

João Vítor

Homossexualismo na igreja- Parte IV


A reação da igreja

Sei que a reação de muitos ao lerem esses últimos estudos(principalmente o anterior) têm sido igual a do rapaz na foto acima. Infelizmente posso afirmar isso com toda certeza.
A falsa santidade e o falso amadurecimento espiritual que cercam a igreja em nossos dias, têm, de forma sútil e eficaz, anestesiado a mentalidade cristã atual. Por isso muitos ficam "escandalizados" ao descobrirem algo relacionado a homossexualidade, ou a outros pecados considerados mais graves para a maioria, dentro da instituição religiosa. Não que o pecado tenha que ser algo sem importância e deliberado entre nós, mas não podemos tratar essas coisas como crianças admiradas ao descobrirem suas próprias imagens
em um espelho. J.I. Packer, relatando o porquê de sua saída da igreja Anglicana, que estava abençoando e integrando à sua liturgia a união de pessoas do mesmo sexo, escreveu:
[1]"Por que me retirei com os demais? Porque esta decisão, dentro do seu contexto, falsifica o evangelho de Cristo, abandona a autoridade das Escrituras, prejudica a salvação de outros seres humanos e representa uma traição à igreja, no que diz
respeito ao seu papel recebido de Deus, de ser a fortaleza e baluarte da verdade divina.
Na primeira carta aos coríntios lemos algo que parece ter sido escrito a algumas pessoas que ensinavam um tipo de antinomianismo espiritual:
"Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus"."

Creio que essa foi a decisão mais sábia que ele tomou dentro do "leque" de possibilidades que se abriram diante dele. Qualquer um que concorde ou se omita diante de fatos como esses, está errando profundamente. Nunca será certo continuar confortável em um banco
de igreja, para não ser desconfortável a homens que empregam doutrinas falsas. Então, qual seria a reação de uma igreja cristã verdadeira diante dos homossexuais que estão dentro ou fora da igreja?
A "Revista Ultimato"em uma de suas edições indicou alguns pontos interessantes:
"1. Nossa missão é não esconder nem omitir nem torcer as Escrituras que condenam efetivamente a prática homossexual.
2. Nossa missão é fazer clara distinção entre a tendência homossexual e a prática homossexual, tal qual fazemos entre a propensão ao adultério e o adultério em si.
3. Nossa missão é oferecer enérgica resistência aos radicais que pretendem fazer descer fogo dos céus para consumir os homossexuais.
4. Nossa missão é mostrar que ninguém tem autoridade moral suficiente para discriminar os homossexuais, porque todos somos igualmente pecadores.
5. Nossa missão é desmentir a chamada hierarquia de pecados, segundo a qual a prática homossexual é a mais abominável conduta humana. Paulo coloca a homossexualidade (passiva e ativa) no mesmo patamar do adultério, da idolatria, da apropriação indébita, da avareza, do alcoolismo, da calúnia e da trapaça (1 Co 6.9,10).
6. Nossa missão é dar e alimentar a esperança de uma nova vida em Cristo: “Se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas” (2 Co 5.17, NVI). Graças a essa experiência de natureza espiritual, provocada pela admissão da culpa, pelo arrependimento e pela fé nos méritos salvadores de Jesus Cristo, o efeminado, o sodomita, o adúltero, o alcoólatra e o trapaceiro podem ser chamados de ex-efeminado, ex-sodomita, ex-adúltero, ex-alcoólatra e ex-trapaceiro, como aconteceu em Corinto, na Grécia.
7. Nossa missão é anunciar o evangelho da graça de Deus, que inclui a salvação toda: da “culpa” do pecado (justificação), do “poder” do pecado (santificação) e da “presença” do pecado (glorificação).
8. Nossa missão é afirmar à sociedade que o ser humano, homossexual ou não, é mais do que sua sexualidade, e, portanto, cabe chamar todos à redenção integral anunciada por Jesus, incluindo aí a conversão da sexualidade."

John Piper escreveu a respeito da posição da Igreja Batista de Belém sobre o homossexualismo:
[2]"Junto com Eu esbocei esta declaração com a ajuda de Joe Hallet, que saiu de uma vida homossexual pelo poder de Cristo e viveu fielmente com AIDS, e eventualmente com sua esposa, até sua morte em 1997.
'Cremos que todas as pessoas foram criadas à imagem de Deus e que devem ser tratadas com dignidade humana. Cremos, portanto, que o assédio odioso, atemorizante e indiferente deve ser repudiado. Cremos que este respeito para com pessoas com
uma orientação homossexual envolve um compartilhamento de fatos honestos, fundamentados e não-violentos, com respeito à imoralidade e responsabilidade do comportamento homossexual. Por outro lado, endossar um comportamento que a Bíblia
desaprova, põe em perigo as pessoas e desonra a Deus. Afirmamos que tanto as pessoas heterossexuais como homossexuais devem encontrar ajuda na igreja, para ajudá-los na batalha bíblica contra todos pensamentos e comportamento sexuais impróprios.'"

Ambas as declarações estão corretas e se encontram nos mesmos pontos, só que com palvras diferentes. Devemos examinar-nos e reavermos o nosso o novo coração que o Mestre dos mestres nos deu...
[3]"O pastor presbiteriano Saulo de Melo, 32 anos de ministério, atuando hoje em Maringá-PR,fez uma das confissões mais comoventes: "Estou perplexo com tudo o que estou aprendendo sobre homossexualidade neste congresso. Todos os meus valores
foram remexidos. Quando eu descobria que alguém era homossexual, eu o mandava embora, excluía. Este congresso ajudou-me a olhar os homossexuais como nunca os havia olhado antes – com o olhar de Jesus.""

"Eleny Vassão de Paula Aitken, 45 anos, autora do livro "O desafio continua: A Missão da Igreja frente à Aids" é a chefe da capelania evangélica do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Ele disse certa vez:
"A Igreja deve ser o lugar de perdão e acolhida para seus soldados feridos, e não um tribunal para julgar os que caíram. Precisamos de mais misericórdia e graça para tratar as pessoas como o Senhor nos trata. Ele nos constrange pelo amor, mesmo sem perder de vista a sua justiça.""

Vamos ajudar aqueles que estão ao nosso redor da melhor maneira possível, para que sejam realmente transformados pelo poder que excede a tudo, o amor de Deus em nós.

E que nossa conduta seja esta para com os nossos irmãos que lutam nessa area contra o pecado:
"Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve a vida eterna." Judas 20 e 21

Troy Perry, líder da maior igreja gay cristã do mundo, disse: "Se a Igreja tivesse realmente feito seu trabalho missionário,
não creio que a MCC (Metropolitan Community Church) jamais tivesse vindo a existir."

Precisamos abrir nossos olhos...

João Vítor


Bibliografia IV

[1]Por que me Retirei da Igreja Anglicana por J.I. Packer
site:http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/retirei_packer.htm

[2]A Posição da Igreja Batista Belém sobre o Homossexualismo por John Piper
site:http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/posicaohomo_piper.htm

[3]"Teologia Gay" por João Luiz Santolin & Sérgio Viula
Site: http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/teologiagay.htm

Homossexualismo na igreja- Parte V


A luta contra o pecado

Desde aquela época, em que se existiam grandes fortalezas com muralhas quase indestrutíveis, o poder da traição quase sempre foi decisivo nas guerras. A destruição só poderia ser evitada se o traídor fosse encontrado a tempo, pois se não o achassem a morte seria inevitável. A mesma coisa acontece conosco em relação ao pecado, existe um traídor dentro de cada um de nós. Nenhum ataque de Satanás seria tão eficaz se não houvesse nenhum correspondente interno em nós, ou seja, se não possuíssemos
uma natureza pecaminosa, a carne, os ataques do diabo seriam praticamente inúteis. William Barclay disse:
"A carne é aquilo que o homem fez de si mesmo em contraste com o homem conforme Deus o fez".
Quando o desejo por Deus é substituido por qualquer outra coisa em nossos corações, o pecado deixa sua forma de "fruto agradável aos olhos" e toma sua forma terrível de "aguilhão da morte", de separação eterna de Deus. Por isso, creio eu, seres que eram
tão capacitados para se desviar do mal como Adão e Eva, e até mesmo o próprio diabo, caíram.

"A nossa natureza humana ama fazer as coisas erradas, que são opostas às coisas que o Espírito Santo quer. E o Espírito nos dá desejos que estão opostos aos que a natureza humana quer. Essas duas forças estão constantemente lutando, e as descisões de vocês nunca estão livres desse conflito." Gálatas 5:16-18

Os nossos pecados não podem ser simplesmente ignorados, precisamos buscar ajuda em Deus para que Ele nos guie através do Seu Espírito em nós. Colocar um pano sobre uma ferida não ira ajudar a curá-la, pelo contrário, na retirada do pano ela pode ficar ainda maior e mais séria. O homossexualismo dentro da igreja tem sido tratado assim, ignorado e encoberto, arrastando mais e mais homens e mulheres para o inferno. Não é por coincidência que quando Paulo começa a listar as obras da carne, em Gálatas 5:19, os pecados sexuais são os primeiros da lista. Esse tipo de pecado é o mais escondido e mais tratado com hipocrisia, tanto pelos heterossexuais quanto pelos homossexuais.

Quero compartilhar 5 coisas que precisamos entender para lutarmos contra o pecado juntamente com a ajuda do Espírito.

1-Homem não regenerado

Certa vez em uma entrevista John Gagnon* disse:
"Não há um conflito entre o que está dentro do indivíduo e o que a cultura diz, mais sim um conflito dentro da cultura. Entre o que as pessoas gostariam de fazer e o que é considerado apropriado fazer. A cultura oferece diversas possibilidades. Você pode querer ter relações homossexuais, fazer sexo só no casamento, transar com uma pessoa bem jovem ou mais velha. Todas as possibilidades estão lá, mas a cultura também, diz que são as corretas."
Mas será que são somente as raízes culturais que influenciam as decisões dos homens?
Ovídio disse em Metamorfoses 7.20:

"Video meliora, proboque; Deteriora sequor."

"Vejo as coisas melhores, e concordo com elas, mas sigo a piores."

Sêneca, um dos mestres de Nero, em Cartas 112.3:
"Os homens, amam e odeiam os seus vícios ao mesmo tempo"

A grande maioria dos homens sabem diferenciar o certo do errado, até mesmo aqueles que tentam ignorar os "parâmetros" da sociedade em que se encontram, mas existe dentro de todos eles um impulso indomável que os controla e os arrasta segundo os desejos de seus corações cheios de pecado. A Bíblia nos revela o tamanho da contaminação do nosso coração:
"O Senhor viu que a perversidade do homem tinha aumentado na terra e que toda inclinação dos pensamentos do seu coração era
sempre e somente para o mal" Gn. 6:5

"O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?"Jr. 17:9

Paulo nos mostra em suas cartas:
*Que antes de seguirmos a Cristo éramos escravos e estavamos livres da justiça;
"Quando vocês eram escravos do pecado, estavam livres da justiça" Romanos 6:20

*Que "saber" o que é certo não nos dá o poder de fazer o que é certo;
"E, se faço o que não desejo, admito que a Lei é boa...Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo"Romanos 7:16 e 18b

*Que a nossa mentalidade(pensamentos e desejos) é totalmente contrária a de Deus:
"a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo."Romanos 8:7

*Que éramos escravos de demônios:
"Antes, quando vocês não conheciam a Deus, eram escravos daqueles que, por natureza, não são deuses" Gálatas 4:8

Um homem pode saber tudo sobre teologia, pode ser um líder dentro da igreja, pode ter nascido e sido criado dentro dela, pode ter a mais bela confissão de fé já feita...pode ter todas as coisas e praticado todos os rituais religiosos. Afirmo com toda certeza, se no profundo do seu coração, mesmo em meio suas falhas e quedas por causa da natureza carnal, não existir amor e desejo pelo Senhor Jesus Cristo acima de todas as coisas, tal homem não é salvo.
"Não importa o que as religiões ou a igreja diga...o que nós precisamos é de Deus mesmo"

2-Homem regenerado
Creio que a verdadeira mudança que o poder da cruz trás está mais presente nos lugares de nossa alma onde os olhos daqueles que estão ao nosso redor não conseguiriam enchergar. Somente os nossos próprios olhos e os de Deus sabem, primeiramente, a
profundidade da obra que começou a ser edificada em nós desde que fomos alcançados pela maravilhosa graça de nosso Salvador.
A natureza do homem regenerado e seu desejo profundo são sempre os mesmos. Como Brennan Manning disse:
“O desejo mais fundo dos nossos corações é para a união com Deus. Deus criou-nos para a união Consigo: Isto é o propósito original de nossas vidas.”

As Escrituras nos mostram regeneração, santificação e graça:
"Eu lhes darei um coração novo e uma nova mente. Tirarei deles o coração de pedra, desobediente, e lhes darei um coração humano, obediente. Assim eles cumprirão as minhas leis e obedecerão fielmente a todos os meus mandamentos. Eles serão o meu
povo, e eu serei o Deus deles."Ez. 11.19-20

"Eu lhes darei um coração novo e porei em vocês um espírito novo. Tirarei de vocês o coração de pedra, desobediente, e lhes darei um coração bondoso, obediente. Porei o meu Espírito dentro de vocês e farei com que obedeçam às minhas leis e cumpram todos os mandamentos que lhes dei."Ez 36.26-27

Mas o fato de um homem estar sendo regenerado não quer dizer que ele não lutará contra o pecado, muito pelo contrário, quanto mais nos afastarmos da nossa antiga natureza ('carne' pecaminosa) para vivermos segundo a nova natureza que Cristo nos dá, maior
será a luta que teremos contra nossos desejos pecaminosos. A idéia de que a vida em santidade é tranqüila e calma, é pura invenção do diabo. Pois, "desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado a força, e os que usam de força
se apoderam dele" Mt. 11:12. E não é por qualquer tipo de força, é pelo "'meu Espírito', diz o Senhor dos Exércitos" Zc. 4:6b
J.I. Packer escreveu:
[1]"O que é que Paulo está afirmando sobre o evangelho? Resposta: aqueles que, como pecadores perdidos, entregam-se a Cristo em fé genuína assim recebendo o Espírito Santo, como todos os cristãos o recebem (ver Gl 3.2), recebem transformação nessa
transação. Eles recebem uma limpeza de consciência (a lavagem do perdão), a aceitação da parte de Deus (justificação) e a força para resistir e não externar as tentações específicas que experimentam (santificação). Assim um amigo meu, pregador, se expressou à sua congregação: "quero que vocês saibam que eu sou um adúltero não praticante". Desta forma ele testemunhava ter recebido o fortalecimento da parte de Deus."
"Com alguns crentes da igreja de Corinto, Paulo estava celebrando o a concessão de poder moral advindo do Espírito Santo, no campo heterossexual; junto com aqueles membros da igreja de Corinto, os homossexuais de hoje são conclamados a provar,
viver e celebrar o recebimento deste poder moral do Espírito Santo, no campo homossexual. Um outro amigo meu, a quem eu conheci durante 30 anos, viveu com desejos homossexuais durante toda a sua vida adulta, mas permaneceu um esposo e pai fiel, casto, sexualmente, pelo poder do Espírito Santo, de acordo com o evangelho. Ele é um modelo em todos os sentidos.
Todos nós sofremos tentações sexuais, de uma maneira ou de outra, mas podemos todos caminhar a jornada da castidade, assim possibilitados pelo Espírito, agradando, desta forma, a Deus."

"Portanto, irmãos, estamos em dívida , não para com a carne, para vivermos sujeitos a ela. Pois se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito, fizerem morrer os atos do corpo, viverão, porque todos que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus" Romanos 8:12-14

3-Provação
As dificuldades da vida vêm sobre justos e injustos, o resultado final dependerá do que ambos são compostos. O final de um cristão verdadeiro nunca será igual ao de um "Impostor-gospel" que vaga por aí de igreja em igreja. "E, 'se ao justo é difícil ser salvo, que será do ímpio pecador?'"I Pe. 4:18

As provações sempre mostram o que está em nossos corações para nós mesmos e são sempre para o crescimento e desenvolvimento de nossa fé. Temos vários exemplos disso:
Paulo, por causa de uma doença aparentemente grave, pregou o evangelho aos que estavam na região da Galácia. O que resultou na conversão de muitos entre eles(Gl. 4:13).
Jó, após muita perseverança, obteve frutos ainda maiores, tanto espirituais(Jo 42:1-6) quanto materiais(Jo 42:12-17). Sendo os primeiros infinitamente superiores aos segundos.
Não haveria espaço suficiente para escrever sobre a galeria de homens provados e aprovados pelo Senhor, cujas histórias enchem as páginas das Sagradas Escrituras. Leia o livro de Hebreus no capítulo 11 e você terá um ótimo vislumbre da ligação entre fé e provação.
"Por isso mesmo, aqueles que sofrem de acordo com a vontade de Deus devem confiar sua vida ao fiel Criador e praticar o bem" I Pe. 4:19
"Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" Tiago 1:12
Isso se aplica a qualquer Cristão, inclusive os que tem desejos homossexuais.

E dentro de uma provação da parte de Deus, pode sim, vir uma tentação da parte do diabo...

4-Tentação

Segundo um amigo: "O diabo é o servo de Deus que mais trabalha". As tentações são as suas “iscas”, e o desejo pelo pecado em nossos corações, seu maior aliado. Por isso, precisamos tomar cuidado com as coisas que nos levam a pecar sutilmente. Sei
que muitas das vezes que pecamos o fazemos de propósito, simplesmente porque queremos satisfazer nossa natureza pelo pecado.
Mas, existem vezes em que eu me pego tentando me convencer de que algo não é pecado, justamente como Eva "se convenceu" e repartiu o seu pecado com Adão. Da onde você acha que vem essa banalização ou sugestão pelo pecado?
Muitas das vezes nosso inimigo só tem que unir o útil ao agradável.E é justamente nesse ponto que entra a tentação, duas declarações no Evangelho de Lucas no capítulo 4 são chaves:
1º no fim do verso 2, "e, ao fim deles, teve fome", isso nos mostra que a tentação vem de acordo com os nossos desejos, é lógica pura, ninguém é tentado pelo que não deseja, "Cada um tentado pelo próprio mal desejo, sendo por este arrastado e seduzido."Tiago 1:14. Ou seja, se você luta contra homossexualismo dificilmente Satanás irá usar uma mulher para te derrubar.
2º no fim do verso 13, "o Diabo o deixou até ocasião oportuna", existe um tempo e intensidade determinados para tentação, que podem ser permitidos pela vontade de Deus (Mt. 4:1 e Lc. 1:2) ou pela nossa falta de oração e vigilância(Mt. 26:41).
Creio que um dos pontos determinantes na tentação é justamente esse, a oração. Jesus não nos ensinou a orar pedindo para que não passássemos por tentações, ele nos ensinou a pedir para que não caíssemos nelas..."E não nos deixes cair em tentação..." Lucas 11:4b
A oração nos leva a depender de Deus, pois quando sabemos que não conseguiremos sozinhos, nós oramos ou nos desesperamos. Depende daquilo do que somos compostos.

Um determinado período de tempo e a possibilidade de serem superadas, são as duas características que as tentações e provações têm em comum. Mas as semelhanças param por aí, pois uma leva ao crescimento e outra a destruição, uma leva ao Leão da Tribo de Judá a outra ao leão que procura alguém para devorar.

"As tentações nas suas vidas não são diferentes do que as que outros experimentam. Deus é fiel. Ele não permitirá que a tentação seja maior do que possam suportar. Quando vocês forem tentados, ele providenciará um escape, para que a possam suportar." I Co. 10:13

Devemos lembrar que ser tentado não é pecado, pois o "escape" que Deus nos manda é justamente para evitarmos o pecado e sairmos por ele.
Lembrem-se:
"Não podemos impedir um pássaro de pousar em nossa cabeça, mas podemos impedí-lo de fazer um ninho nela."

5-Cicatrizes
"Somente quem teve feridas abertas sabe o valor das cicatrizes"
É interessante o fato de que quando Jesus ressucitou, ele teve a preocupação de mostrar aos seus discípulos todas as suas cicatrizes(Jo. 20:19-20), aqueles que não haviam crido através do aviso de que seu amado Mestre havia ressucitado, creram, após verem as suas cicatrizes. E esse tem sido o clamor dos escravos do pecado que se encontram dentro, e fora dos templos religiosos contemporâneos. Eles querem encontrar algo real, querem ver as nossas cicatrizes de feridas que um dia estavam abertas, mas hoje, foram saradas através do poder da ressurreição que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Eles precisam enchergar em nós a existência de uma cura contra o pecado, precisam enchergar que Jesus é aquele que liberta o adúltero heterossexual e o homossexual. Por isso encorajo:
*Os homossexuais que são de alguma igreja a procurarem, entre os irmãos, alguém com quem possam conversar, abrir o coração e batalhar junto em oração, pois a palavra diz:
"Portanto, confessem seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa
e eficaz." Tiago 5:16

*Os homossexuais que possuem algum cargo ou liderança na igreja a entregarem seus cargos e procurarem ajuda da mesmo maneira que foi citada acima, pois um dia a máscara de vocês caíra e juntamente com ela será arrastada uma multidão de irmãos fracos na fé. Portanto entreguem seus cargos e se arrependam pelos seus pecados.

Quanto mais rápido vocês tirarem as máscaras mais rápido as deformações que o pecado traz serão curadas.

Jesus, aquele que estava morto mais agora vive para todo sempre, passou por todo caminho que nós passamos, nos mostrou suas cicatrizes da jornada terrena e nos deu seu Espírito para podermos cumprí-la. Ele sabe o caminho de volta para nossa casa. É para lá que Ele nos levará.
Sejam fiéis "Àquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem
mácula e com grande alegria" JUdas 24

Amém.

fim

John Gagnon*: um dos sociólogos mais respeitados e conceituados na atualidade no assunto. Ele estuda o sexo há mais de 40 anos e foi um dos primeiros a refutar as idéias de Alfred Kinsey. Gagnon acredita que não é possível compreender um comportamento sexual sem conectá-lo devidamente ao contexto em que ele se insere, dependendo assim, das condições e da produção cultural existents no interior dos grupos.

Bibliografia V

[1]Por que me Retirei da Igreja Anglicana por J.I. Packer
site:http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/retirei_packer.htm

João Vitor

Igreja da Bunda Larga II: A missão


Os Revolucionários da Igreja da Bunda Larga são como os espectadores dos jogos de futebol. Como um amigo escreveu:
*O espectador assiste o jogo...mas o jogador entra no jogo.
*O espectador critica a ação...mas o jogador cria a ação.
*O espectador prefere o conforto pessoal do seu assento...mas o jogador aceita as dores que acontecem entre as linhas brancas.
*O foco do espectador está nele mesmo...mas o foco do jogador está no alvo, no gol.
*O espectador é mole e fofo...mas o jogador é forte e definido.
*O espectador respeita o técnico...mas o jogador sangra por ele.
*O espectador tem orgulho de não ter faltado nenhum jogo...mas o jogador tem orgulho das vitórias que ele ajudou a ganhar.
*O espectador aplaude a vitória...mas o jogador saboreia ela.
*O espectador admira o troféu...mas o jogador o levanta no ar.
Em um jogo de futebol há 22 jogadores no campo precisando desesperadamente descansar, rodeado por 60.000 pessoas precisando desesperadamente de exercício. E isto não é somente verdadeiro no mundo do futebol, mas é também no mundo do cristianismo. Na maioria das igrejas hoje, conforto é o negócio, compromisso não é."

Nós temos uma nova geração de "Revolucionários" de sofá nos nossos dias. Antes, tínhamos aqueles que só falavam mal da igreja por causa da religiosidade que lhes pesava no coração, hoje, temos os que falam mal dela por causa da falta das doutrinas verdadeiras e da palavra dentro deles.
Sei também que o sucesso de uns onde outros fracassaram faz dos cristãos verdadeiros um grande alvo para as massas "cristãs".
A inveja e o orgulho próprio são umas das feridas mais terríveis e profundas da alma humana depois da queda de Adão.
Talvez sejam esses os motivos de muitas pessoas falarem mal das novas formas de manifestação das igrejas que dizem seguir a fé cristã segundo foi ensinada e vivida pelo Nosso Senhor e Salvador Jesus, o Cristo.
Bom, creio que para que algum ajuntamento de pessoas seja considerado uma reunião da igreja, é de extrema importância um Requisito, que foi ensinado pelo Mestre dos mestres:
“... onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." Mt. 18:20
Independente do que as religiões e os pregadores digam, o que realmente faz a diferença em tudo e todos, é Cristo em nosso meio, já que sabemos que o Reino de Deus está dentro e entre nós.
É claro que Cristo não se faz presente só pelo fato de alguém estar citando o nome dele, ou por ter pessoas gritando:
"Jesus está aqui irmão!!!"
Se ele realmente estivesse nas igrejas em que se ouve esse tipo de coisa, nós já estaríamos bem mais parecidos com ele.
Infelizmente, muitos dos que se dizem cristãos não sabem nem no que crêem ou qual é a verdade que deveriam anunciar. Muitos dos que tem medo de evangelizar devem isso ao fato de não entenderem ou conhecerem aquilo que crêem. "Para agir certo é
necessário pensar certo". Aprendi isso com um antigo mestre.
As doutrinas básicas, não por serem menos importantes, mas sim por serem as fundamentais, têm sido esquecidas. Quando foi a última vez que você ouviu algum pregador ensinar as doutrinas básicas da fé cristã?
Um credo básico da fé cristã que tem sido omitido é este:

o Credo de Nicena

Creio em um só Deus
Pai todo-poderoso,
criador do céu e da terra
de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos;
Deus de Deus,
Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa
salvação, desceu dos céus
e se encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob
Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras,
e subiu aos céus,
onde está sentado à direita do Pai.
E de novo há de vir, em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o seu reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo,
Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele falou pelos profetas.
Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica.
Professo um só batismo
para a remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos
e vida do mundo que há de vir.
Amém.

Quantos jovens e velhos que ocupam os bancos das igrejas, independente do rótulo que elas tenham, não tem a mínima noção daquilo que deveria estar sendo ensinado para eles? Muitos dos que julgam ser alguma coisa em Cristo hoje, na realidade não o são. A fé tem sido banalizada por alguns que se dizem "alternativos" ou "emergentes" e jogam fora as bases do Cristianismo. Não estou generalizando, pois sei que existem fiéis irmãos com firmes nas convicções na sã doutrina. Mas sei que nós não podemos tentar anular a Lei ou os Profetas por causa de uma interpretação errada sobre o que é a "Graça de Deus". Você se lembra do "Sermão do Monte?
Jesus disse:
"Não pensem que vim abolir a lei ou os profetas: não vim abolir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
Porque vos digo que, se a vossa justiça não for muito superior a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus."

A graça de Deus não consiste em viver sem Lei, mas sim, em estar através de Cristo, cumprindo-a. BASICAMENTE isso.

Aos líderes:
"Num mundo em chamas, a voz da igreja transformou-se num sussurro patético. É dever inadiável de todos quantos estão em posição de liderança enfrentar a situação face a face, e fazer o possível, ao máximo de suas forças, para que a chama da verdadeira liderança espiritual passe aos mais jovens."J. Oswald Sanders

"Ajude-me ó Deus para que meus poucos recursos possam satisfazer a vossa expectativa." Agostinho

João Vítor

Umas Motivações para essa geração


Se motivação na vida cristã estiver baseada em um interesse onde o desejo de ser espiritual for um benefício que possa se adquirir, toda a motivação é fútil, a vida cristã não é uma negociação.

É por ai que encontramos essa geração motivada a “viver por Cristo’’ mas com um fundo desejo de ser beneficiada, o cristão recém convertido logo descobre que a vida cristã não é mil maravilhas, logo dificuldades aparecerão, ao aparecerem o neófito terá três escolhas voltar a sua vida suja no mundo, permanecer como um cristão servindo pelos interesses, ou serve por amor a Deus. Infelizmente a última alternativa é a menos vista, o falso evangelho convenceu muitos que a base de viver para Deus estar nos benefícios oferecidos, uns benefícios criados por eles outros distorcidos da bíblia outros promessas para os filhos de Deus com isso eles oferecem um cristianismo atrativo o promovendo de uma forma errada. A parti da motivação errada encontramos cristãos desenvolvendo um trabalho errado se o trabalho está errado os resultados serão ruins.

É de se impressionar a tática utilizada pelo adversário de nossas almas, seu modo mas eficaz de destruição de almas, não consiste na destruição do corpo através de uma doença, perdas, frustrações, fazendo com que a pessoa desista da suposta fé , seu modo mas eficaz não estar em somente jogar intrigas fofocas e do tipo no meio evangélico fazendo pessoas abandonarem sua religião, não é o desanimo ou algo semelhante, sua principal arma de destruição estar na propagação do falso evangelho uma das características desse falso evangelho está em seus seguidores estarem totalmente motivados por algo que obterão, com esse veneno os seguidores desse evangelho se encontram em um estado de alta cegueira o sistema apóstata faz com que a mentira vivida se torne uma verdade faz pessoas que se dirigem para o inferno pensarem que o seu segundo ou terceiro plano (salvação) está garantido e infelizmente esse evangelho é o que tem mas seguidores em nossa nação.

Por menos aceitação que as motivações do verdadeiro evangelho têm na massa cristã (o autêntico evangelho nunca foi popular. Ele humilha muito o pecador – John Stoot) tentarei mostrar algo que realmente devemos estar motivados que é:

A Glorificação de Deus:
O entendimento da desobediência, da depravação e da inimizade que o homem vive com Deus, Deve trazer o arrependimento com á finalidade de render toda a gloria em obediência a Ele que naturalmente negamos a dar, a motivação de se viver para Deus seguindo os ensinamentos de Cristo é unicamente que Ele é o Deus que outrora rejeitamos, Ele é o Deus Criador do universo e tudo que nele há Ele deve ser glorificado através de nós, não necessita de explicação somente que o glorifiquemos em tudo. 1Co 10.31 Portanto quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a gloria de Deus.
1Pe 4.11b para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a gloria e o poder para todo sempre Amén.

A Salvação: Como Paul Washer diz: Será que a salvação não me é suficiente? Essa pergunta ressoa em meus ouvidos, a salvação deve ser para o cristão um motivo de abandono completo do mundo ela deve ser um motivo de soltar tudo aquilo que não é seguro nessa vida e de agarrar aquilo que é eterno deve nos pirar no serviço do reino, devido a nossa multidão de pecados, o que nos restava era a condenação ao inferno junto com os demais filhos de satanás o milagre operado pela graça o infinito amor de Deus que livrou pecadores como eu deve nos levar a uma esperança de eternidade que nos faça perde realmente as nossas vidas e quando a morte chegar independente do quanto dolorosa ela possa parecer sentiremos a maior alegria pelo termino de nossa peregrinação nesse mundo e isso deve nos motivar.

Os Perdidos: o fato que pecadores têm corrido em uma velocidade super acelerada para o inferno não é novidade o impressionante é ver o conforto dos cristãos em relação aquelas pessoas próximas e distantes deles que passaram uma eternidade de sofrimento tormentos e dor, isso não te motiva a falar do perigo que os homens estão? Ao analisar o evangelismo e a obra missionária no Brasil veremos o povo evangélico que deveria estar alertando os pecadores em um estado passivo, mas preocupados com seus ministérios e a inchação de suas igrejas do que com a salvação das pessoas sem compaixão nenhuma com os perdidos. O rumo que as nações pagãs estão levando deveria levar as pessoas investirem seu dinheiro e suas vidas para alcançarem os povos, as zonas de prostituição, butequins, boates deveriam estar cheios de cristãos evangelizando, os empregos, e escolas deveriam estar cheios de exemplos de Cristo mas essa não é a realidade .É vendida uma mentira de que o Brasil é um país missionário. A pregação aos perdidos deve nos motivar de tal forma que nos leve a queimar na evangelização, percebam Atualmente existem 28.200 milhões de evangélicos no Brasil e 188.500 igrejas, dentro desses números existem 3.248 missionários brasileiro 1 por cada 75 igrejas 1 por cada 8.682 evangélicos. Na janela 10/40, 1 por cada 43.789 evangélicos 2.504 estão servindo fora do Brasil 744 estão no Brasil (1 em 3) Somente 9% deles são enviados pela sua igreja local (292). O Brasil tem o segundo maior número de cristãos atrás somente dos Estados Unidos 1.8%dos missionários mundiais são brasileiros. (fonte GB) Amigos façamos algo.

Que essa realidade possa nos motivar não com um interesse mas com um profundo Amor a Deus e as almas, que como cristãos causemos impacto nesse mundo que percamos a nossa vida para gloria Dele com a motivação certa

Não é um tolo aquele que entrega o que não pode guardar para receber algo que não pode perder. Jim Eliot

Dureza


Ouçam, não são os pecadores que são duros. O problema de dureza está no coração dos pregadores. Os professores das escolas bíblicas, os diáconos, os obreiros e os superintendentes é que são duros. É mais fácil salvar uma alma e converter um bêbado ou uma prostituta do que inflamar um pregador para ganhar almas.
John R. Rice

Cinco Solas

Santos e a sós


A solidão sobre a qual escrevo, é aquela que assola a alma de todo cristão fiel que se sente como "um peregrino em terra estranha" e como um estranho até mesmo entre os do seu próprio povo, como o salmista escreveu:
"Tornei-me estranho a meus irmãos, e desconhecido aos filhos de minha mãe" Sl. 69:8
A experiência a sós com Deus às vezes é tão pessoal e profunda que se torna difícil compartilhá-la com outros irmãos.
Mas, esse ponto da "solidão santa" é bem perigoso, porque aqueles que receberam algo novo ou palpável, pela fé, de Deus, acham que têm algo do que se gloriar. Uma cristã do passado disse certa vez:
"Pois, acima de tudo, a contemplação e o amor do Criador diminuem a alma a seus próprios olhos, e a enchem de temor reverente e sincera humildade; manifestando abundância de sentimentos caridosos em relação aos irmãos em Cristo."
Ou seja, uma experiência que leva uma pessoa a se exaltar e a diminuir seus irmãos aos seus próprios olhos certamente não veio da parte do Senhor. Tozer escreveu:
"À medida que crescemos na graça, crescemos em amor para com o povo de Deus. "Todo aquele que ama ao que o gerou, também ama
ao que dele é nascido" (I Jo 5:1)...
Toda verdadeira experiência cristã irá aprofundar nosso amor pelos demais cristãos.
Devemos então concluir que tudo o que nos separa pessoalmente, ou no coração, de nossos irmãos em Cristo, não vem de Deus, mas pertence à carne ou ao diabo. E, de maneira oposta, tudo o que nos leva a amar os filhos de Deus vem provavelmente de Deus. "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros" (Jo 13:35)"
Sem dúvida um santo que anda a sós com Deus, no significado mais puro da frase, nunca será indiferente a esse mundo e aos perdidos que nele estão, é por causa dos esforços desse tipo de homens que nos encontramos aqui hoje.
Quando falo sobre a solidão dos santos não me refiro àquela que está enraizada no orgulho próprio da religião ou da falsa espiritualidade vivida por alguns. Para esse tipo de solidão voluntária, que é impulsionada pela soberba no íntimo do coração do homem carnal, a cura é o arrependimento e a simplicidade. Como um velho peregrino solitário disse uma vez:
"Devemos deixar de lado todo esforço para impressioná-lO, e ir a Deus com a singeleza de coração da criança...Não importa o que a igreja e as outras religiões digam. Na realidade o que precisamos é de Deus mesmo...Se agirmos dessa forma, Deus nos responderá sem demora."
"Eu disse: confessarei minha iniqüidade ao Senhor" Sl. 32,5
"E tu já perdoaste a impiedade de meu coração" Sl. 32,5
"Deus está próximo dos que trituram seu coração" Sl. 34,18
Agostinho, em dezembro de 399 d.C na continuação do sermão sobre o filho pródigo, disse:
"Quando o homem delibera orar, já lá está Aquele que lá estará quando ele começar a oração."
Há esperança para os soberbos também. Que isso dê ânimo a todos nós. Medite sobre essas coisas.
Agora que a soberba disfarçada e seu fruto podre foram denunciados, podemos continuar.
O Mestre dos mestres mesmo cercado de multidões e de discípulos também passou pelos momentos de solidão e incompreensão.
Frases como,"Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los?..."(Lucas 9:41), podem ser entendidas como um "desabafo".
Não podemos esquecer de que ele é aquele que "veio para os seus e os seus não o receberam" e que era, e ainda é por meio da pregação de sua palavra, "um sinal de contradição" para a vergonha de muitos que tiveram o pensamento de seus corações expostos a luz que vinha de uma gloriosa vida sem pecado.
Isso atraí a atenção dos homens sem Deus e destrói todo crédito que os impostores possam ter. O homem tem a tendência natural de tentar destruir o que não consegue entender ou controlar.
Len Ravenhill disse a respeito da rejeição de Cristo:
"E não há nenhum lugar para Ele na estalagem; ficou um pouco mais velho, não havia nenhum lugar na Sua família, a Sua família o rejeitou... Ele foi ao templo, nenhum lugar no templo, o templo O rejeitou. E quando morreu não havia nenhum lugar para enterrá-lO; Ele morreu fora da cidade. Bem, porque em nome de Deus você espera ser aceito em todo lugar? Como é que o mundo não conseguiu se relacionar com o Homem mais sagrado que já existiu, mas consegue com você e comigo?
Temos feitos acordos?"
Sabendo disso, como podemos esperar sermos aceitos pelos habitantes da terra? Eles crucificaram o nosso Senhor.
E nosso Mestre sofreu sozinho. William B. Tappan pintou esse quadro para nós através desse poema:

"É meia-noite e no alto do monte das Oliveiras
As estrelas que brilhavam se apagaram;
É meia-noite agora no jardim,
O Salvador que sofre ora sozinho.

É meia-noite e afastado de todos,
O Salvador luta só com seus temores;
Nem mesmo o discípulo a quem amava,
Observa o sofrimento e as lágrimas do Mestre."

Os profetas e os cristãos verdadeiros também se dividiram e dividem esse mesmo sentimento.
Sei que alguns podem estar, neste exato momento, falando consigo mesmo:
"Eu não estou sozinho, o Senhor disse que estaria comigo até a consumação dos séculos, esse sentimento de estar só não é de Deus... e etc".
Vejam, Deus conhece a sinceridade do coração de cada um, mas "essa linha de pensamento é muito típica para ser real". As pessoas que negam o
sentimento de solidão na terra, em sua maioria, são aquelas que somente tiveram uma experiência superficial do que deveria ser verdadeiro, no seu entendimento do que é andar com o Senhor, sem conhecer a realidade do que é carregar a cruz nas costas.
Não podemos confundir a sensação de companherismo passada a nós através de nossos amigos com a presença de Deus.

A certeza de que nossa caminhada não é em vão, vem através da fé e não de sentimentos. Do mesmo jeito que as ferramentas mais fortes são usadas para lapidar um diamante, o sofrimento e a solidão são usados para forjar um homem de verdade. No processo,
ele pode ser aperfeiçoado ou destruído, só depende do que ele é feito.
Eu creio e sei, que Deus caminha com homens. Quanto mais nós rejeitarmos ao mundo e ele a nós, estaremos mais satisfeitos no Senhor e Ele em nós. Pois este fato é verdade:
"Habitamos num lugar que não é nosso!"
O mundo não é nossa pátria. Pelo menos não segundo os autores de Filipenses 3:12-20 e de Hebreus 11:13-16.
Tenho pena dos "cristãos" que lutam e exigem de Deus coisas terrenas e temporárias. Que os que anseiam por essas coisa fiquem com elas.
Nós, que queremos ao Senhor, devemos ser como a tribo de Levi, a qual recebeu o maior tesouro. O próprio Senhor(Nm. 18:20).
Eles não tiveram uma parte significativa da herança terrena, mas tiveram o maior de todos os tesouros, o nosso Deus e Pai, a Ele a glória pra todo sempre. Amém. Nós que aguardamos nossa herança, aquele que virá nos encontrar, temos motivos para nos alegrar na lembrança do Seu precioso sacrifício na cruz e na esperança que está por vir. Então, vamos suportar com paciência essa tempestade que vem contra nós, pois chegaremos do outro lado do lago.
"A mulher, quando está para dar à luz, tem tristeza, porque a sua hora é chegada; mas, depois de nascido o menino, já não se lembra da aflição, pelo prazer que tem de ter nascido ao mundo um homem. Do mesmo jeito vocês estão tristes agora; mas eu os verei outra vez; o coração de vocês se alegrará, e essa alegria ninguém
poderá tirar." João 16:21-22

Sabemos que no fim das contas "Nenhum escravo não é maior do que o seu senhor". Se ele se sentiu só nos sentiremos também.

João Vítor

Lágrimas, a preciosa falta delas


“Ambos os lados sabem que estão errados. Ele teme que eles descubram que o sermão que está sendo pregado foi preparado às pressas, de qualquer maneira e teve sua ‘inspiração’ em uma pregação que foi disponibilizada em algum site da Internet. Eles, por sua vez, temem que ele desconfie que todos não estão entendendo, corcordando ou vivendo o que está sendo pregado”.

Essa foi à narrativa de um culto evangélico no momento da "palavra".

Infelizmente, muitas das coisas que estão saindo dos púlpitos são cópias, e às vezes, clones, dependendo da falta de personalidade, empenho e, principalmente, espiritualidade do autor do sermão que está sendo baixado do "mundo On-Line", ou copiado dos livros(no caso dos pregadores e pastores que lêem) e etc.
Não, eu não sou contra a ouvir pregações, fazer referências aos bons autores do passado e do presente, repetir algumas frases e pensamentos. Não é a esse tipo de coisas que me refiro, mas sim, às pessoas que perdem suas personalidades, comunhão com Deus e busca na inesgotável Palavra do Senhor, por causa de "grandes homens de Cristo", quer estejam eles mortos ou vivos.
É óbvio que a igreja evangélica também tem seus ídolos, estão disfarçados, mas existem.
Sei também, que a admiração pode levar à semelhança, mas a semelhança não deve de maneira alguma mudar a essência de quem você é. Os trejeitos, sotaque e manias geradas pela convivência com alguém nunca mudarão o caráter de ninguém. Deus nos transforma à imagem de seu Filho amado, Jesus Cristo, por já estar mudando a nossa essência dentro de nós, a obra que ele faz é de dentro pra fora, não o inverso. Ninguém será reconhecido como filho dos céus por imitar o falso Cristo interpretado nos filmes.

O povo que vai nas igrejas(me refiro aos "crentes" desse modo, pois não tenho coragem de generalizar e chamar de igreja aquilo que não consigo acreditar que o é) está se tornando cada vez mais apático, indiferente e com a "fama de estar vivo, mas está morto".
E assim como sempre foi na história de Israel e o é hoje, o problema vêm deles, os líderes. Não que eu esteja tirando a responsabilidade de alguns e lançando sobre as costas de outros. Mas existe uma responsabilidade na liderança, e não podemos negá-la.
E creio que muitos dos problemas de hoje vêm tanto dos quadros semelhantes a narrativa do ínicio deste texto, quanto da falta de vida nos púlpitos hoje em dia.
Barulhos e reações emocionais não são sinais de vida e nem me preocupam tanto, a luta contra a morte é uma das partes naturais de qualquer organismo que seja vivo. Isso é óbvio.
Assista a um video sobre aborto e você entenderá melhor.

O que me aflige mais é a morte espiritual; um antigo mestre da vida escreveu:
"A bíblia foi escrita com lágrimas e aos que choram revelará os seus melhores tesouros.
Deus não tem nada a dizer ao indivíduo indiferente"

Um outro sábio escreveu:

"A tragédia da vida de um homem é o que morre dentro dele enquanto ele vive”.

A falta de paixão, no bom sentido da palavra, me preocupa. O amor por Deus e pelo próximo também, pois não existem mais. Não falo de sentimentos, arrepios e outras coisas triviais, mas sim, das atitudes e das vontades de agir conforme a bíblia nos orienta a respeito desse amor que está em falta nos meios cristãos.

Jeremias estava certo quando disse nos tempos passados:
"Até os chacais oferecem o peito para amamentar seus
filhotes, mas meu povo não tem mais coração;" Lamentações 4:3

O amor desse homem pelo seu povo, mesmo sofrendo altos e baixos como o nosso amor falho sofre, é quase inacreditável:

"Ah, se a minha cabeça fosse uma fonte de água e os meus olhos um manancial de lágrimas! Eu choraria noite e dia pelos mortos do meu povo”.Jeremias 9:1

"Mas, se vocês não ouvirem eu chorarei em segredo por causa do orgulho de vocês. Chorarei amargamente, e de lágrimas os meus olhos transbordarão, porque o rebanho do Senhor foi levado para o cativeiro" Jeremias 13:17

Diga-lhes isto:
“Que meus olhos derramem lágrimas, noite e dia sem cessar” Jeremias 14:17

"Rios de lágrimas correm dos meus olhos porque o meu povo foi destruído. Meus olhos choram sem parar, sem nenhum descanso, até que o Senhor contemple dos céus e veja" Lamentações 3:48-50

Não afirmo que a tristeza segundo o mundo seja algo saudável, mas creio que aquela que é trazida pelo Espírito a nós é com certeza mais útil do que as maiores alegrias que podem ser proporcionadas nesta terra.
Os Cristãos enxergam melhor entre as lágrimas do que entre os sorrisos, são mais fortes quando estão mais fracos e ganham a vida quando estão dispostos a perdê-la. Esse é o nosso chamado.
Mas que fique claro, que não falo sobre a "tristeza por causa dos seus muitos pecados”.
Lamentações 1:5b, se você está vacilando em alguma área seja sincero consigo mesmo e pare de pecar.

Que nós possamos largar os nossos ídolos caseiros e buscar a face daquele que é a nossa única esperança.
Que possamos ter nossas mentes e corpos vivos e ativos a serviço do Rei.
Que possamos ter lágrimas de arrependimento.
Que possamos ter lágrimas de compaixão, assim como nosso Mestre teve diante de uma das irmãs de Lázaro.
Que possamos ter lágrimas de tristeza profunda pelos nossos irmãos que se desviaram da fé e se tornaram inimigos da cruz de cristo.
Que possamos ter lágrimas de súplicas a Deus por causa dos homens de olhos secos que estão liderando o povo.
Que possamos ter lágrimas de anseio pela nossa entrada no reino celestial de nosso Pai que está nos céus.

Antes de encerrar o texto, quero fazer algumas observações:

*Escrevi de forma franca, mas não quero ser somente mais uma "voz inconveniente" que se auto-promove a profeta;
*Meu desejo é a edificação dos irmãos;
*Também gostaria de ter mais lágrimas escorrendo pela minha face;

"Assim diz o Senhor:
Ponham-se nas encruzilhadas e olhem; perguntem pelos caminhos antigos, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso”. Jeremias 6:16a

Que possamos voltar ao antigo Caminho e voltar ao antigo Poder!!!

Por João Vítor

RECOMENDAÇÕES PRA SE VIVER BEM



O Último Sermão Em 24 de agosto de 1662, dois mil ministros puritanos do evangelho foram excluídos de seus púlpitos, tendo recebido a ordem de não mais pregarem em público. O Ato de Uniformidade, baixado pelo parlamento inglês, conhecido pelos evangélicos como a Grande Ejeção, pairava por sobre a Inglaterra como uma nuvem espessa. Muitos líderes eclesiásticos da Igreja Anglicana, a religião oficial, estavam forçando os puritanos a cessarem suas prédicas ou a se moldarem à adoração litúrgica decretada por lei. Muitos ministros preferiam o silêncio à transigência. Com olhos marejados de lágrimas, milhares de cristãos humildes ouviram seu último sermão no domingo imediatamente anterior à data em que o Ato se tornaria lei. E, naquele último domingo de liberdade, os ministros puritanos provavelmente pregaram os seus melhores sermões. O sermão que passamos a transcrever, de modo um tanto abreviado, foi pregado por Thomas Watson a seu pequeno rebanho.
Antes que eu me vá, devo oferecer alguns conselhos e orientações para vossas almas. Eis as vinte instruções que tenho a dar a cada um de vós, para as quais desejo a mais especial atenção:

1)Antes de tudo, observa tuas horas constantes de oração a Deus, diariamente. O homem piedoso é homem "separado" (Sl 4.3), não apenas porque Deus o separou por eleição, mas também porque ele mesmo se separa por devoção. Inicia o dia com Deus, visita-O pela manhã, antes de fazeres qualquer outra coisa. Lê as Escrituras, pois elas são, ao mesmo tempo, um espelho que mostra as tuas manchas e um lavatório onde podes branquear essas máculas. Adentra ao céu diariamente, em oração.

2) Coleciona bons livros em casa. Os livros de qualidade são como fontes que contêm a água da vida, com a qual poderás refrigerar-te. Quando descobrires um arrepio de frio em tua alma, lê esses livros, onde poderás ficar familiarizado com aquelas verdades que aquecem e afetam o coração.

3) Tem cuidado com as más companhias. Evita qualquer familiaridade desnecessária com os pecadores. Ninguém pode apanhar a saúde de outrem; mas pode-se apanhar doenças. E a doença do pecado é altamente transmissível. Visto não podermos melhorar os outros, ao menos tenhamos o cuidado de que eles não nos façam piores. Está escrito acerca do povo de Israel que "se mesclaram com as nações e lhes aprenderam as obras" (Sl 106.35). As más companhias são as redes de arrastão do diabo.

4) Cuidado com o que ouves. Existem certas pessoas que, com seus modos sutis, aprendem a arte de misturar o erro com a verdade e de oferecer veneno em uma taça de ouro. Nosso Salvador, Jesus Cristo, aconselhou-nos: "Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores" (Mt 7.15). Sê como aqueles bereanos que examinavam as Escrituras, para verificar se, de fato, as coisas eram como lhes foram anunciadas (At 17.11). Aos crentes é mister um ouvido discernidor e uma língua crítica, que possam distinguir entre a verdade e o erro e ver a diferença entre o banquete oferecido por Deus e o guisado colocado à sua frente pelo diabo.

5) Segue a sinceridade. Sê o que pareces ser. Não sejas como os remadores, que olham para um lado e remam para outro. Não olhes para o céu, com tua profissão de fé, para, então, remar em direção ao inferno, com tuas práticas. Não finjas ter o amor de Deus, ao mesmo tempo que amas o pecado. A piedade fingida é uma dupla iniqüidade. Que teu coração seja reto perante Deus. Quanto mais simples é o diamante, tanto mais precioso ele é; e quanto mais puro é o coração, maior é o valor que Deus dá à sua jóia. O salmista disse sobre Deus: "Eis que te comprazes na verdade no íntimo" (Sl 51.6).

6) Nunca te esqueças da prática do auto-exame. Estabelece um tribunal em tua própria alma. Tem receio tanto de uma santidade mascarada quanto de ires para um céu pintado. Julgas-te bom porque outros assim pensam de ti? Permite que a Palavra seja um ímã com o qual provarás o teu coração. Deixa que a Palavra seja um espelho, diante do qual poderás julgar a aparência de tua alma. Por falta de autocrítica, muitos vivem conhecidos pelos outros, mas morrem desconhecidos por si mesmos. "De noite indago o meu íntimo", disse o salmista (Sl 77.6).

7) Mantém vigilância quanto à tua vida espiritual. O coração é um instrumento sutil, que gosta de sorver a vaidade; e, se não usarmos de cautela, atrai-nos, como uma isca, para o pecado. O crente precisa estar constantemente alerta. Nosso coração se assemelha a uma "pessoa suspeita". Fica de olho nele, observa o teu coração continuamente, pois é um traidor em teu próprio peito. Todos os dias deves montar guarda e vigiar. Se dormires, aí está a oportunidade para as tentações diabólicas.

8) O povo de Deus deve reunir-se com freqüência. As pombas de Cristo devem andar unidas. Assim, um crente ajudará a aquecer ao outro. Um conselho pode efetuar tanto bem quanto uma pregação. "Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros" (Ml 3.16). Quando um crente profere a palavra certa no tempo oportuno, derrama sobre o outro o óleo santo que faz brilhar com maior fulgor a lâmpada do mais fraco. Os biólogos já notaram que há certa simpatia entre as plantas. Algumas produzem melhor quando crescem perto de outras plantas. Semelhantemente, esta é a verdade no terreno espiritual. Os santos são como árvores de santidade. Medram melhor na piedade quando crescem juntos.

9) Que o teu coração seja elevado acima do mundo. "Pensai nas coisas lá do alto" (Cl 3.2). Podemos ver o reflexo da lua na superfície da água, mas ela mesma está acima, no firmamento. Assim também, ainda que o crente ande aqui em baixo, o seu coração deve estar fixado nas glórias do alto. Aqueles cujos corações se elevam acima das coisas deste mundo não ficam aprisionados com os vexames e desassossegos que outros experimentam, mas, antes, vivem plenos de alegria e de contentamento.

10) Consola-te com as promessas de Deus. As promessas são grandes suportes para a fé, que vive nas promessas do mesmo modo que o peixe que vive na água. As promessas de Deus são quais balsas flutuantes que nos impedem de afundar, quando entramos nas águas da aflição.

11) Não sejas ocioso, mas trabalha para ganhar o teu sustento. Estou certo de que o mesmo Deus que disse: "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar", também disse: "Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra". Deus jamais apoiou qualquer ociosidade. Paulo observou: "Estamos informados de que, entre vós, há pessoas que andam desordenadamente, não trabalhando; antes, se intrometem na vida alheia. A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranqüilamente, comam o seu próprio pão" (2 Ts 3.11-12).

12) Ajunta a primeira tábua da Lei à segunda, isto é, piedade para com Deus e eqüidade para com o próximo. O apóstolo Paulo reúne essas duas idéias, em um só versículo: "Vivamos, no presente século... justa e piedosamente" (Tt 2.12). A justiça se refere à moralidade; a piedade diz respeito à santidade. Alguns simulam ter fé, mas não têm obras; outros têm obras, mas não têm fé. Alguns se consideram zelosos de Deus, mas não são justos em seus tratos; outros são justos no que fazem, mas não têm a menor fagulha de zelo para com Deus.

13) Em teu andar perante os outros, une a inocência à prudência. "Sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas" (Mt 10.16). Devemos incluir a inocência em nossa sabedoria, pois doutro modo tal sabedoria não passará de astúcia; e precisamos incluir sabedoria em nossa inocência, pois do contrário nossa inocência será apenas fraqueza. Convém que sejamos tão inofensivos como as pombas, para que não causemos danos aos outros, e que tenhamos a prudência das serpentes, a fim de que os outros não abusem de nós nem nos manipulem.

14) Tenha mais medo do pecado que dos sofrimentos. Sob o sofrimento, a alma pode manter-se tranqüila. Porém, quando um homem peca voluntariamente, perde toda a sua paz. Aquele que comete um pecado para evitar o sofrimento, assemelha-se ao indivíduo que permite sua cabeça ser ferida, para evitar danos ao seu escudo e capacete.

15) Foge da idolatria. "Filhinhos, guardai-vos dos ídolos" (1 Jo 5.21). A idolatria consiste numa imagem de ciúme que provoca a Deus. Guarda-te dos ídolos e tem cuidado com as superstições.

16) Não desprezes a piedade por estar sendo ela perseguida. Homens ímpios, quando instigados por Satanás, vituperam, maliciosamente, o caminho de Deus. A santidade é uma qualidade bela e gloriosa. Chegará o tempo quando os iníquos desejarão ver algo dessa santidade que agora desprezam, mas estarão tão removidos dela como agora estão longe de desejá-la.

17) Não dá valor ao pecado por estar atualmente na moda. Não julga o pecado como coisa apreciável, só porque a maioria segue tal caminho. Pensamos bem sobre uma praga, só porque ela se torna tão generalizada e atinge a tantos? "E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as" (Ef 5.11).

18) No que diz respeito à vida cristã, serve a Deus com todas as tuas forças. Deveríamos fazer por nosso Deus tudo quanto está no nosso alcance. Deveríamos servi-Lo com toda a nossa energia, posto que a sepultura está tão perto, e ali ninguém ora nem se arrepende. Nosso tempo é curto demais, pelo que também o nosso zelo de Deus deveria ser intenso. "Sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor" (Rm 12.11).

19) Faze aos outros todo o bem que puderes, enquanto tiveres vida. Labuta por ser útil às almas de teus semelhantes e por suprir as necessidades alheias. Jesus Cristo foi uma bênção pública no mundo. Ele saiu a fazer o bem. Muitos vivem de modo tão infrutífero, que, na verdade, suas vidas dificilmente são dignas de uma oração, como também seu falecimento quase não merece uma lágrima.

20) Medita todos os dias sobre a eternidade. Pois talvez seja questão de poucos dias ou de poucas horas - haveremos de embarcar através do oceano da eternidade. A eternidade é uma condição de desgraça eterna ou de felicidade eterna. A cada dia, passa algum tempo a refletir a respeito da eternidade.Os pensamentos profundos sobre a eterna condição da alma deveriam servir de meio capaz de promover a santidade. Em conclusão, não devemos superestimar os confortos deste mundo. As conveniências do mundo são muito agradáveis, mas também são passageiras e logo se dissipam. A idéia da eternidade deve ser o bastante para impedir-nos de ficar tristes em face das cruzes e sofrimentos neste mundo. A aflição pode ser prolongada, mas não eterna. Nossos sofrimentos neste mundo não podem ser comparados com nosso eterno peso de glória. Considerai o que vos tenho dito, e o Senhor vos dará entendimento acerca de tudo.

O Guerreiro atingido no coração


"O Guerreiro astuto não atinge seu oponente direto na mente ou no corpo...ele o atinge no coração" Duende Verde, filme Homen-Aranha

Todos sabemos que uma pode ser considerada "viva" mesmo perdendo uso parcial ou total cérebro. A isso nós chamamos de estado vegetativo ou morte cerebral.
Infelizmente o mesmo não ocorre com o coração. Ele é um ponto vital do corpo e sem ele não há maneira de haver vida, naturalmente falando. Uma ferida nele
é mortal.

A frase citada a cima não menciona o orgão do corpo humano em si, mas sim, o tesouro que está guardado em nossa alma. Jesus disse:" Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração" Mt. 6:21.
E por essa devida importância, gostaria de fazer um alerta,"Guardem os seus corações com toda a atenção!!!"
Satanás tem usado a vida sentimental e os relacionamentos para acabar com muitas pessoas, independente da idade, sem sombra alguma de dúvida.

Quem não conhece alguém que largou tudo por causa do namoro???
Quem não conhece alguém que esfriou para com Deus depois que começou a namorar??
Qual namorado que ao beijar sua amada só pensa nos seus dentes???
Quantas garotas sofrem e acabam cedendo à pressão do namorado de deixar ele passar a mão onde não deve???
Quantas feridas na área sentimental já estão no coração de jovens que ainda nem começaram a viver direito???
Quantos casamentos estão destruídos hoje por causa daquilo que o casal plantou tempos atrás???
Quando o amor gerado de forma tão natural e pura pode se tornar uma das ferramentas do inimigos de nossas almas contra nós???

e etc...quem for sincero consigo mesmo e com Deus vai entender muito bem onde eu quero chegar.

Sabemos que as feridas causadas por quem se ama são bem mais profundas dos as que foram causadas pelos nosso inimigos, o diabo também sabe disso.

"Um guerreiro atingido no coração perde a força, a emoção. E sente a sua vida escorrer pelo peito, lugar aonde ele a sentia se manifestar"

Minhas palavras serão no mínimo repetitivas se eu abordasse esse assunto, outros irmãos que tem falado sobre esse tipo de relacionamento podem ajudar.
Por isso quero recomendar aos leitores do Blog alguns livros:

*Namoro, Biscoitos e um grabde problema!, Jeff Fromholz - Disponível para download gratuito e venda no site www.geracaobenjamim.com

*No Sex, até casar, Jeff Fromholz - Disponível para venda no site www.geracaobenjamim.com

*Eu Disse Adeus ao Namoro - JOSHUA HARRIS - Disponível em livrarias e sites especializados

Não tenho nenhum fim lucrativo...meu desejo é só alertar meus irmãos. E também nenhum desses livros é sobre "corte" ou alguma outra fórmula para relacionamentos.

Lembrem-se uma ferida no coração pode tirar de nós a vida, não podemos tratar esse assunto de qualquer maneira!!!

Deus nos guie...

João Vítor

Comunhão com Deus


Comunhão com Deus

Mesmo com sua vital necessidade de relacionamento, o homem(humanidade) nunca irá por si próprio buscar um relacionamento com Deus, seja por incredulidade ou por não sentir nenhuma necessidade disso. Ninguém pode se achegar a Jesus se o Senhor não o
trouxer(Jo. 6:44), isso é fato.
Quando eu falo sobre relacionamento com Deus não me refiro as tradições e ritos encontrados nas religiões espalhadas pelo mundo. Pois sei que muitos dos que buscam a religião na verdade só desejam, no seu íntimo, mais uma espécie de entreterimento ou algum alívio momentâneo.
Hoje, temos muitos templos cheios de pessoas que procuram, de forma até insistente, algum conforto, consolo, esperança, benefício e entre outras coisas que são anunciadas no "pacote gospel" divulgado nos púlpitos em nossos dias.
Procuram somente as soluções que o "deus todo-poderoso" apresentado a eles pode oferecer, assim como em qualquer outra religião, seita e etc, seja ela denominada evangélica ou não.
Infelizmente o "Circo de Domingo", chamado de igreja, tem atraído cristãos que mais se preocupam com a diversão dentro do templo do que com o fato de se aprender e ensinar a como se relacionar com Deus dentro e fora dele.
E é bem no meio desse quadro que nos encontramos, escavando mais fundo para encontrarmos o mesmo tesouro que certa vez fez um homem vender tudo o que tinha(Mt. 13:44) e dedicar-se totalmente a ele.

Até para o "mundo" sem Deus e sem Cristo a comunhão entre pessoas tem um significado mais profundo do que é falado nas igrejas hoje em dia.
Vejamos um dos significados para comunhão encontrado no mini-Aurélio:
"4.Ato, ou a condição de compartilhar das mesmas idéias, valores, sentimentos"
Essa explicação chega bem mais perto do sentido que Paulo descreveu em ICo. do que as que saem dos púlpitos cristãos atualmente.
Quero deixar algumas perguntas:
1- Você se preocupa com a opnião de Deus nos assuntos da sua vida, ou Ele é somente o cara que assina no final da folha aprovando o seu projeto pessoal?
2-Qual tem sido a direção que Deus lhe deu para esses últimos tempo?
3-Você tem estado muito ocupado para ouví-lo?
4-Você tem estado muito ocupado para consultá-lo?
5-Você só considera vindas de Deus somente as direções que "já estavam no seu coração"?

As Escrituras nos mostram que a comunhão com Deus consiste em muito mais do que passar todo o tempo somente falando e pedindo coisas pra Ele. Elas nos mostram que o fato de compartilhar as coisas com Deus nos leva a nos interessarmos por Ele, e isso é óbvio.

"Como são preciosos para mim os teus pensamentos, ó Deus!
Como é grande a soma deles! Se eu os contasse, seriam mais
do que os grãos de areia. Se terminasse de contá-los, eu
ainda estaria contigo." Salmos 139:17-18

"Bendirei ao Senhor, que me aconselha; na escura noite o meu coração ensina!" Salmos 16:7

Viver em obediência a Deus, assim como Cristo, é um dos frutos da comunhão com Ele:
"Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade." IJo. 1:6
"Sabemos que permanecemos nele, e ele em nós, porque ele nos deu seu Espírito."I João 4:13
"E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo." Romanos 8:9b

Graças a Deus, o Senhor da nossa salvação, que podemos ter comunhão com Ele. Não deixemos nada ficar entre Deus e nós a não ser Jesus Cristo nosso Senhor.

Deus foi quem primeiro nos procurou e nunca é o primeiro a se afastar.

Comunhão e unidade da igreja

Se me pergutassem qual verscículo mais apropriado a situação da igreja atual em relação à comunhão, citaria:
"Filhinhos não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e verdade." I João 3:18
O que acho mais interessante nesse terceiro capítulo da carta de São João é que um verscículo antes ele trata ferozmente sobre a questão de investir nos irmãos
não somente com orações, mas também com ações.
Quantos Pastores se esquecem de suas viúvas e dos ófãos? Quantos "irmãos" estão testemunhando sobre os seus carros, tênis, empresas e etc, e não investem nem um centavo na vida da pessoas que está do seu lado na igreja? Quantas igrejas se preocupam mais em colocar bancos agradáveis na igreja e construir áreas de lazer do que
investir na vida do irmão que está sendo despejado por que não conseguiu pagar o aluguel atrasado? Será que elas são realmente igrejas? Será que realmente
existem realmente cristão dentro delas?

"E eles nos reconhecerão pelas nossas camisas", frase dita há algum tempo e que faz muito sentido hoje em dia...

Jesus orou:
"Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um: eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste" João 17:22,23
Será que diante dessa declaração vinda do próprio Senhor da Igreja podemos afirmar, diante dos homens e em nossos corações, que a tão famosa e mencionada
"Comunhão" consiste em somente passar algum tempo sentado ao lado de algum desconhecido em algum templo religioso? De maneira nenhuma!!!

Paulo nos afirma:
"Peço a vocês, queridos irmãos, pela autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, que vivam em harmonia um com o outro. Não deixem existir divisões na igreja.
Mas sejam completamente unidos numa só maneira de pensar, num só propósito." I Coríntios 1:10

"Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações." Atos 2:42

"O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só voz vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo." Romanos 15:5-7

"Nós, porém, irmãos, privados da companhia de vocês por breve tempo, em pessoa, mas não no coração, esforçamo-nos ainda mais para vê-los pessoalmente, pela saudade que temos de vocês."I Tessalonicensses 2:17

"porque ouço falar da sua fé no Senhor Jesus e do seu amor por todos os santos. Oro para que a comunhão que procede da sua fé seja eficaz no pleno conhecimento de Cristo." Filemon 5-9

Está claro o que é comunhão no sentido bíblico real e natural das coisas.

"A escritura não engana o homem se ele não se engana." Agostinho

Algumas perguntas:
1-Quantos de nós já fingimos gostar de alguém na igreja?
2-Quantos já foram "obrigados" pelos "ministros" a tratar com intimidade alguém que não conhecia ou tinha o mínimo de intimidade?
3-Quantos já mentiram afirmando que amavam o irmão do lado, cuja a face você nunca viu antes?

É claro que o amor que nos é ordenado por Deus é muito mais além do que sentimentos, ele ultrapassa a área do sentimental e é manifesto em ações. Qualquer cristão sincero consigo mesmo sabe disso. A ordem na palavra é para amarmos "em ação e verdade". Nenhum ser normal desenvolve um relacionamenteo instantâneo com o seu próximo, isso até mesmo com Deus."Conheçamos o Senhor; e esforcemo-nos por conhecê-lo." Oséias 6:3

Devemos nos lembrar que nenhum de nós é perfeito, as deformidades do nosso caráter corrompido pelo pecado podem gerar atritos, sobre isso certa vez
Jonathan Edwards escreveu:

"O pecado engana facilmente porque controla a vontade humana, e isso altera o Julgamento. Quando o desejo prevalece, predispõe a mente a aprová-lo. Quando o pecado influencia nossas preferências, ele parece agradável e bom. A mente é naturalmente predisposta a pensar que tudo o que é agradável é correto. Portanto, quando um desejo pecaminoso vence a vontade, também lesa o entendimento. Quanto mais uma pessoa
anda no pecado, provavelmente, mais a sua mente será obscurecida e cega. Assim que o pecado assume o controle das pessoas."

E Tozer disse:
"O pensamento instiga o sentimento, e o sentimento dispara a ação. Assim fomos feitos, e em que podemos aceitá-lo. Conquanto os nossos pensamentos instiguem os nossos sentimentos, e assim influenciem fortemente a nossa vontade, é contudo certo que a vontade pode e deve ser a senhora dos nossos pensamentos."

E a Palavra nos orienta:
"O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom. Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios" Romanos 12:9,10

Sabendo de tudo isso, é no mínimo estranho quando alguém que falta alguns domingos na igreja é acusado de não estar tendo "comunhão" com os outros irmãos.

João Vitor
Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss