Uma desmotivação para essa geração

Amigos o que tem nos motivado realmente?
Não quero que crie de mim uma imagem de um grande pessimista, (não ignorarei os erros de minha geração assistindo ela se afundar) sou um confiante otimista em saber que a ressurreição de Cristo garante uma vitória eterna.

Quando digo que minha geração estar se afundado é devido uma observação da maior parte do povo evangélico que se corrompe com uma falsa doutrina um desleixo imenso pela leitura bíblica uma ausência do estudo da mesma e uma frieza na oração o que traz como resultado o aumento da ignorância espiritual conseqüentemente uma variedade de heresias e um aumento de pessoas sendo conduzidas por um falso evangelho, ao se observar isso o que me resta é desacreditar num real avivamento tão falado por alguns, muito estudado por outros e tristemente pouco visto.

Uma analise de Spurgeon a Respeito:
O fato é que muitos gostariam de unir igreja e palco, baralho e oração, danças e ordenanças. Se nos encontramos incapazes de frear essa enxurrada, podemos, ao menos, prevenir os homens quanto à sua existência e suplicar que fujam dela. Quando a antiga fé desaparece e o entusiasmo pelo evangelho é extinto, não é surpresa que as pessoas busquem outras coisas que lhes tragam satisfação. Na falta de pão, se alimentam com cinzas; rejeitando o caminho do Senhor, seguem avidamente pelo caminho da tolice

Por mas que muitos se sintam bem, iludidos com palavras persuasivas de pregadores sem zelo pelo rebanho, que ignoram a mensagem da cruz, pregadores preocupados com suas contas bancarias e seu egos criando falsos avivamentos, falsos moveres com uns focos materiais, humanos e passageiros, digo que a maior parte desse sentimento de bem estar não passa de uma experiência emocional que não atinge o interior, Afirmo para vocês que a expectativa que deveria estar sobre essa nação deveria ser de um horrível juízo, e ardor de fogo. Uma nação que esta carregada de apostasia, idolatria e diversos outros pecados, ver pessoas caminhando bem para suas conferências de ‘’avivamento’’, seus ‘’Mecas’’ (Conferências, cruzadas, congressos, encontros, BH, Camburiú, irem ver seus ídolos preletores) criando outros diversos tipos de ‘’caminhos’’ buscando ‘’experiências’’ sensacionalistas. É de se sentir um enorme pesar pelo abandono da verdade.

2 Pedro: 1-2
E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.

Em que a massa evangélica brasileira crer? Em meio a uma série de massacre a escritura, chega a certo ponto que os ventos de doutrinas se tornaram furacões de falsas doutrinas, as pessoas não se fundamentam em uma base sólida, não consegue ter uma convicção de uma crença, a crença estar na experiência emocional ou no que o suposto líder passou de cima (aprendamos com os berianos).

Gostaria de te ‘’desmotivar’’ oh geração sinto em lhe informar que o cristianismo vivido pela maioria estar pela metade ou abaixo dela, que as promessas de avivamento para o Brasil, baseado em Joel são falsas devido há uma falta de exegese; que o que ocorreu em Lakeland não foi avivamento, e nem mover (onde estar?); que os acontecimentos de Toronto não passam de antibíblico; que a maior parte dos encontros promovidos em BH e todas as suas ‘’profecias’’ em nada resultaram a não ser em marketing e vendas de CDs (Quase todos aqueles adoradores pop star estão vendidos); que a maioria das escolas de missões e ministeriais que se isolam no meio do nada tem oferecido chamado a pessoas que não tem chamado (os caracteres dos discípulos são formados nas estradas da vida ao invés do isolamento), passam um tempo lá voltam se deparam com a realidade muitos se desviam outros se afundam na vida acomodada de sua religião, pouquíssimos vão; os encontros promovidos por gringos não trarão avivamento de um dia para o outro (veja o Passion os universitários continuam os mesmos); Que gritar, colocar faixas, etc, dizendo que o Brasil ou tal cidade é do Senhor em nada abala o inferno; que frases mandantes de mimados se dirigindo a Deus do tipo, outorgamos nossos direitos, declaramos as nossas posses, reivindicamos nossas promessas, etc não trará respostas lembrem-se é a Deus que falam; que os atos proféticos não geraram nada até agora; a maior parte da juventude passada (4,5 anos atrás) que cria em algo acontecendo hoje estar atarefada de mas ‘’vencendo na vida’’ e em nosso tempo os que querem ‘’viver pra Deus’’ pensam que sem fazer nada trancados em algum cômodo com a justificativa que vive pela fé irá fazer deles um Enoque, refuto irá fazer preguiçosos desleixados aprenda com a formiga veja os grandes lideres da história; que 24hr, 42hr, 72hr... Cantando não mudará sua cidade, aumente o tempo de oração e estudo bíblico diminua os cânticos, acabe com as mantras; que seus retiros de carnaval é uma das grandes provas de negligencia ao evangelismo uma mesquinha maneira de livrar os jovens cristãos do perigo do mundo; o movimento carismático, neopentecostalismo, não são sinais de uma grande colheita de uma revolução no cristianismo muito menos de avivamento como alguns dizem; Amigos voltem à bíblia dedique horas a esse livro, sejamos cristãos além do nome vivamos como Cristo.

Se o seu interesse de vê Deus movendo, Deus te usando, aprimorando ministerialmente estiver relacionado ao seu ego queria destruir toda sua motivação ministerial, analise a você mesmo, uma das áreas mas cinzas e ignorada por um homem é a sua soberba e o seu desejo por glória, uma raiz super profunda que motiva um índice elevado de pessoas que se dizem desejosas de ‘’viverem para Deus’’ e alcançarem a geração, sonde-se, e veja se raiz estar profunda dentro de você. Existe algum desejo em seu interior de ouvir algo do tipo:

Tão jovem e tão eloqüente, um ótimo pregador.
Como você é devoto e consagrado a Deus;
Sentir a presença de Deus quando o ouvi tocando e ministrando;
Ótimo como você é talentoso;
Você é um grande homem de Deus;
Realmente é um evangelista cheio de compaixão pelas almas.

Há um desejo de ser alimentado com elogios e aplausos? Quando ora quer que os outros saibam, quando evangeliza sente o desejo de subir no púlpito para testemunhar ‘’sua grande obra’’ quando faz um trabalho missionário gosta de tirar fotos exibindo os incrédulos, ou os recém convertidos como troféus, deseja ser tornar um pregador ou um missionário conhecido mundialmente, quer que escrevam biografias de você após sua morte, a um orgulho dentro de si que o faz passar horas brigando em nome da sua intelectualidade das suas verdades das suas capacidades deseja mostrar o quão superior você é até mesmo usando a verdade para te satisfazer.
Vejamos o que A.W Tozer nos ensina:

“Primeiramente há o fardo do orgulho. Nosso esforço para resguardar o amor-próprio é realmente exaustivo. Se procurarmos examinar nossa vida, verificaremos que muitas das nossas aflições têm origem no fato de alguém ter falado de modo depreciativo a nosso respeito. Enquanto o homem se considerar um pequeno deus, o qual deve tributar sua lealdade, haverá para sempre aqueles que se deleitarão em afrontar seu ídolo. Como, então, esperamos ter paz interior? O veemente esforço que o coração envida para defender-se contra injúrias, para proteger a sua honra sensível, contra toda opinião desfavorável da parte de amigos e adversários jamais permitirá que sua mente goze paz. Se persistirmos nessa luta, com o passar dos anos, o fardo se tornará simplesmente intolerável. No entanto, os homens continuam levando essa carga pela vida afora, desafiando cada palavra proferida contra eles, ressentindo-se contra toda crítica, magoando-se profundamente com a mais leve indiferença, revolvendo-se insonesem seus leitos se outros forem preferidos em lugar deles’’.

Não se esqueça do que levou lúcifer a pecar, medite no que Cristo nos ensina sobre humildade, veja no que o profeta compara nossos atos de justiça, e glorifique somente a Deus, gloriemos na cruz e na sua obra salvadora e em nada mas.

Amigos abandonem suas motivações erradas, se afastem do fermento dos ‘’fariseus’’ vivam para Deus, para sua glória, Creio e crerei até a morte no que pode acontecer quando a verdade pregada por Cristo seus apóstolos, pelos reformadores arda de novo dentro do coração dessa geração, que a suplica que queimou dentro de John Knox pedindo a Deus a Escócia se não morreria queime dentro de nós,
Vivamos realmente para Deus com uma motivação certa, clamemos humilhados pelos pecados do povo, desejosos por ver a verdade do evangelho alcançando corações, comecemos a praticar, crucificados com Cristo.

Soli Deo gloria


Em breve uma motivação para essa geração

Mártir, perdendo algo que não se pode guardar


Quando esse homen bondoso,Rawlins White, a caminho da fogueira passou pelo local onde sua pobre mulher e filhos estavam aos prantos, sentiu o súbito encontro como uma punhalada no coração e as lágrimas banharam-lhe o rosto. Mas logo em seguida, aparentemente indignado com essa sua fraquesa, passou a comportar-se como se estivesse muito zangado consigo mesmo. De fato, golpeando o peito com suas mãos dizia estas palavras: Ah carne! Tu queres me deter? Gostarias de triufar? Pois bem, faz o que quiseres. Com a graça de Deus tu não teras vitória.
Chegando até o altar de seu sacrifício, indo até a estaca se ajoelhou, e beijou a terra; levantando-se de novo restou algo de terra grudada em sua face, e disse estas palavras: "Terra à terra, e pó ao pó; tu és minha mãe, e ti voltarei".
Quando todas as coisas estiveram dispostas levantaram uma plataforma frente a Rawlins White, diretamente diante da estaca, na qual subiu um sacerdote, que se dirigiu ao povo; porém, enquanto falava da doutrina romanista dos Sacramentos, Rawlins gritou: "Ah, hipócrita branqueado! Tu presumes de demonstrar tua falsa doutrina pela Escritura? olha o que diz o texto que segue: Acaso não disse Cristo 'Fazei isto em memória de mim'?"
Então alguns dos que estavam perto dele gritaram: "Acendei o fogo, acendei o fogo!". Feito isto, a palha e as canas deram uma grande e subida labareda. Nesta chama este bom homem banhou durante longo tempo sua mão, até que os tendões se encolheram e a gordura se desfez, exceto por um momento em que fez como se enxugasse o rosto com uma delas. Todo este tempo, que se prolongou bastante, clamou com forte voz: "Oh, Senhor, recebe meu espírito!", até que já não pôde mais abrir a boca. Finalmente, a violência do fogo foi tal contra suas pernas que ficaram consumidas quase antes que o resto do corpo fosse danificado, o que fez com que o corpo caísse sobre as correntes até o fogo antes do que teria sido normal. Assim morreu este bom homem por seu testemunho da vida de Deus, e agora está indubitavelmente recompensado com a coroa da vida eterna. Cardiff,1555

Elisabeth cooper foi condenada à fogueira juntamente com Simon miller. Quando o fogo a atingiu, retraindo-se um pouco ela soltou um grito: ― Ah! ― Ao ouvir-lhe a voz, Simon Miller estendeu-lhe a mão e pediu-lhe para que fosse forte e se alegrasse. ― De fato, querida irmã ― Disse ele ― Vamos ter uma ceia gostosa e festiva. ― Então ela aparentemente fortalecida por aquelas palavras, ficou parada e em silêncio como alguém que se alegrava por levar a bom termo o que antes havia começado com extrema alegria. Norwich, 1557

Extraído do Livro dos Mártires
e-book

Richard Baxter e a Frieza com as Almas (como estamos?)


Não sei o que outros pensam, mas por minha parte eu tenho vergonha da minha estupidez, fico maravilhado de mim mesmo de como não trato com a minha própria alma e das almas dos outros como um que procura o grande dia do Senhor, como posso ter lugar para quase quaisquer outros pensamentos e palavras, e que tais questões espantosas não absorvem minha mente totalmente. Maravilho-me de como posso pregar para eles levemente e friamente, como posso deixar homens só em seus pecados, como eu não vou a eles, e os suplico, pela causa do Senhor, a arrependerem, independente de como reagirão, ou qualquer dor e o incomodo que poderá me custar.
Eu raramente saio do púlpito, mas a minha consciência me mata porque eu não tenho sido mais sério e fervoroso. Ela me acusa, nem tanto por falta de ornamentos e elegância, nem por deixar cai uma palavra feia, mas me pergunta: Como você consegue falar de vida e morte com tal coração? Como você consegue pregar de céu e inferno de tal maneira, sonolenta e negligente? Você acredita do que fala? Você fala em sinceridade, ou brincando? Como você consegue falar para as pessoas que pecam que tal coisa é errada, e que tanta miséria está sobre elas e antes delas, você não fica mais afetado? Você não deve chorar por tais pessoas, suas lágrimas não devem interromper as suas palavras? Você não deve clamar em voz alta, os mostrando suas transgressões, implorando e suplicando quanto à vida e a morte?
Como tenho vergonha de meu coração obtuso e negligente, do meu curso lento e sem fruto de vida, o Senhor sabe, tenho vergonha de cada sermão que prego, quando penso do que eu tenho falado, quem me enviou, e que salvação ou condenação está em jogo, eu estou pronto para tremer para que Deus não me julgue como alguém que tratava as Suas verdades e as almas dos homens levemente, e que no meu melhor sermão eu seria culpado de seu sangue. Eu penso que nós não devemos falar uma palavra aos homens em questões de tal conseqüência sem lágrimas, ou sem zelo maior que poderíamos, nós também não somos culpados do mesmo pecado que reprovamos, seria assim.
Verdadeiramente isto é o som alto que minha consciência ressoa nos meus ouvidos, e ainda assim, minha alma sonolenta não se acorda. Ó, que coisa é um coração endurecido e insensível! Ó Senhor salva a nós mesmos da praga da infidelidade e do coração duro, senão como seremos instrumentos preparados de salvar outros dela? “Ó, faça em nossas almas o que você nos usaria a fazer nas almas dos outros”.

Richard Baxter (1615-1691)
Conhecido como o pregador dos puritanos

Publicida da Obra do Espiríto? E, Acaso Precisa?


"Dou graças ao meu Deus... porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé." (Rm 1:8) Eles não tinham telégrafos e telefones; eles não tinham rádio e televisão (nem internet), nem agências de imprensa, nem agentes publicitários, e, todavia, a notícia se espalhara daquela maneira por todo o Império Romano. Que lição para a publicidade da obra da Igreja! Como terá acontecido? Vocês podem imaginar? Por que se falou disso no mundo inteiro? Como se soube? Meus caros amigos, a resposta é muito simples. Um avivamento jamais requer publicidade; ele se divulga por si. Não é preciso fazer propaganda da obra do Espírito Santo; ela é a sua própria propaganda. Leiam a história da Igreja. Quando irrompe um avivamento num pequeno grupo, não importa quão pequeno seja, a notícia espalha-se, a curiosidade é despertada, e as pessoas vêm e dizem: "Que é isso? Podemos participar? Como podemos obter isso?" O homem não precisa fazer propaganda; o fato torna-se conhecido; propaga-se pelo mundo todo. Foi o que aconteceu ali. Isso é avivamento! Isso é Pentecoste! Isso é obra realizada pelo Espírito Santo; e a notícia se espalhara como um incêndio incontrolável naquele mundo antigo com seus pobres meios de comunicação e desprovido de recursos publicitários.

Amados irmãos em Cristo, se eu e vocês tão-somente funcionássemos como cristãos da maneira que devíamos, sem dúvida, entre outras coisas, grandes somas de dinheiro da Igreja seriam poupadas. É porque eu e vocês não estamos divulgando a fé cristã como devíamos, que a Igreja tem que estabelecer secretarias de imprensa, montar departamentos de publicidade e fazer propaganda. No princípio, no século primeiro, o cristianismo era divulgado pela vida e pelo modo de viver do povo cristão. Ah, se isso voltasse a acontecer! Você está divulgando o cristianismo? Fala-se da sua fé? Comentam-na em sua casa? Falam dela em seu escritório? Falam dela no trabalho, na fábrica, onde quer que você esteja? Falam de sua fé? Sua fé leva ao regozijo? Leva a questionamentos? Há perguntas? Está levando alguém a procurar descobrir o que ela é e como pode ser obtida? Oxalá conheçamos e experimentemos a graça, bem como a paz de Deus nosso Pai e do SEnhor Jesus Cristo, em tal medida que se venha a falar da nossa fé no mundo inteiro, e com isso Deus seja glorificado e muitos sejam levados a Ele!

Lloyd-Jones

Extraído do blog do Dudu
Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss