O Natal e o seu real significado


Não é em Belém, mas o calvário o foco da revelação, e qualquer interpretação do cristianismo que ignore ou negue este fato o deturpa completamente e o desvia do foco.

A mensagem do Natal anuncia a esperança para a humanidade arruinada, esperança de perdão, de paz com Deus, de glória, porque pela vontade do Pai, Jesus Cristo tornou-se pobre e nasceu em um estábulo, para que trinta anos depois pudesse ser levantado na cruz. Esta é a, mas bela mensagem que o mundo já ouviu ou ouvirá.
Falamos muito sobre o “espírito do Natal’’, mas raramente com o significado maior que contentamento em termos de relações familiares. Mas o que dissemos torna claro que essa expressão tem na realidade um significado muito mas rico. Devia significar a reprodução na vida humana da disposição daquele que por amor a nós tornou-se pobre no primeiro Natal. O próprio espírito natalino devia caracterizar o cristão o ano inteiro.

É para nós vergonha e desonra que muitos cristãos hoje ― serei mas específicos: tantos cristãos fundamentalistas e ortodoxos , vaguem por este mundo no espírito do sacerdote e levita da parábola do Senhor, vendo ao seu redor as necessidades dos homens, (mas depois de um desejo piedoso e talvez de uma oração, pedindo que Deus supra as necessidades dessas pessoas) desviam os olhos e passam, sem parar para o outro lado. Este não é o espírito do Natal. Não é também o espírito dos cristãos, e há muitos assim, cuja ambição na vida parece limitada a construir um belo lar de classe média, fazendo agradáveis amizades com cristãos de seu grupo e deixando que indivíduos das subclasses da comunidade, cristãos ou não avance sozinhos na vida.

O espírito natalino não resplandece no cristão esnobe, pois é o espírito das pessoas que, como seu Mestre, vivem inteiramente dedicadas ao principio de se tornar pobres ― gastando e sendo gastos ― para enriquecer o próximo, dedicando tempo, esforço, cuidados e interesses para fazer o bem aos outros ― e não apenas para seus amigos ― conforme a necessidade do momento


J.I. Packer (O conhecimento de Deus)

5 comentários:

Aline Ramos disse...

Lucas, desde ontem eu estava procurando o que escrever a respeito do Natal, pq o Senhor estava me incomodando justamente quanto a essa motivação totalmente deturpada que, mesmo dentro de nossas igrejas e famílias cristãs, temos vivido.
Gostaria muito de postar seu texto em meu blog. Vc se importa? Colocarei o link de seu blog como Fonte do texto ta?
Deus lhe abençoe sempre!!!

Aline Ramos disse...

Ah, Lucas, que legal saber que vc também acompanha do Rebelution!!! Que benção o que o Senhor tem feito através das vidas do Alex e Brett, não é? Vc conhece uma pesquisa que eles fizeram sobre modéstia - Modesty Survey??
Sempre que possível estou fazendo umas traduções deles, é realmente dificil acompanhar em inglês!! rs... Fique à vontade pra acompanhar!
Paz e bem!!

Neyde disse...

ótimo texto,ótimo blog!

adoreii ;~

Aline Ramos disse...

Lucas, ta aí o link do Modesty Survey: http://www.therebelution.com/modestysurvey/
É uma pesquisa sobre modéstia (como o jeito de se vestir das moças pode influenciar os rapazs).. só q é uma pesquisa muito grande, são mais de 140 perguntas feitas por garotas, com milhares de respostas enviadas por rapazes cristãos acima de 12 anos... É bem interessante, mas tem q ter bastante paciência!! rsrs...
Mais um site pra vc visitar (se vc ainda não conhecer): Purity People (www.puritypeople.com), fala um pouco sobre modéstia na parte do "The Commitment".. muito bom! dá uma olhadinha lá!!
Muitas bençãos!! ;)

Clóvis disse...

Em 2008 tive o privilégio de contar com suas visitas, comentários, críticas e sugestões ao Cinco Solas. Sou grato a Deus por isso e queria que você soubesse disso.

Eu também tive o privilégio de receber seus emails, interagir com você em fóruns, ler e participar de seu blog e em tudo isso fui grandemente abençoado. Por isso louvo a Deus por sua vida.

Nessa interação, muitas vezes concordamos, outras tanto discordamos e em outras mais discordamos e concordamos. Mas o que resultou para mim não foi apenas o calor da convivência humana, ainda que virtual, mas a luz de novos conhecimentos, novas perspectivas, que moldaram a minha visão de mundo, consolidando às vezes o que eu já pensava ou me levando a revisar meu ponto de vista.

Sendo assim, o que eu posso desejar para mim em 2009? Apenas que pessoas maravilhosas como você continuem comigo nesta curta mas prazerosa jornada para a glória.

Para você, desejo todas as bênçãos de Deus. Que a boa vontade de Deus se cumpra na sua vida e que Sua vida esteja alinhada com a vontade dEle.

Feliz 2009!

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss