A âncora



“Precisar de dominar os outros é precisar dos outros. O chefe é um dependente.” Fernando Pessoa

Certa vez ao passar na rua um homem observou um grupo de meninos discutindo ferozmente entre si ao invés de estarem brincando, então, curioso, resolveu perguntar ao que se achava mais próximo dele o que estava acontecendo, e ele respondeu: “Nós estamos brincando de guerra”, “É, e parece que estão levando a brincadeira ao 'pé-da-letra'. Mas por que essa discussão toda?”, perguntou o homem,
“É porque todos querem ser o General.”

Talvez essa ilustração seja um tanto singela, mas diz uma grande verdade a respeito de uma das características mais importantes na vida cristã: a consciência de que nunca haverá ordem, decência e utilidade na igreja enquanto cada um não entender seu papel, considerar e se sujeitar “uns aos outros, por temor a Cristo.” (Ef. 5:21)
Paulo, em Romanos 13, nos instiga a “despertar do sono”, mas antes de falar isso no verso 11, ele nos mostra que Deus não é um teórico ao nos ensinar como viver. Ele mostra que Deus nos ensina a lidar de maneira bem real, sóbria, racional, prática e útil, no nosso relacionamento com a gente mesmo (Rm. 12:3), com os nossos irmãos, tanto em ajuda espiritual (Rm. 12:4-12) quanto em ajuda material (Rm. 12:13) , com a sociedade, incluindo nossos perseguidores (Rm. 12: 14-21) e com o governo político (Rm. 13: 1-7). E, no fim, ele completa dizendo que é essa maneira de viver que a Lei preserva para nós cristãos; pois o objetivo final da Lei não é preservar a si mesma, mas é preservar a comunhão entre nós e o Senhor, primeiramente, e, posteriormente,
a comunhão com o nosso próximo. Isso nos faz emanar a luz, vinda do próprio Deus, que dissipa as trevas que impedem o homem sem Deus de conhecê-lo.
E esta é a "boa notícia" que eu acho maravilhosa: quando vejo Deus nos ensinar através da bíblia que a vida cristã é totalmente prática,real e acessível no nosso dia-a-dia. É muito perigoso (para as trevas) o poderoso o entendimento de que nós, filhos da luz, somos filhos da luz TODOS os dias, que andamos na luz TODOS os dias e que essa luz emana de nós TODOS os dias, não somente uma vez na semana ou dentro de um templo.

Mas existem aqueles entre nós que se esquecem de tudo isso e ignoram o "Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios." (Rm 12:10) Confesso que isso me pertubou durante um longo período em minha vida quando descobri que nem todos os que se chamavam de cristãos, que pareciam realmente serem cristãos aos meus olhos, na verdade não o eram. Aquele sentimento de "Meu Deus, é o fim do teu povo!" tomou conta de mim como de Elias naquela caverna achando que era o único, ou um dos poucos, na terra. Mas graças a Deus aprendi que é muito importante aliarmos o nosso estudo bílico ao estudo da história da igreja para que não ultrapassemos o que está escrito na Palavra e, além disso, vermos a intervenção de Deus na história o tempo todo. É curioso o fato de se ver desde o princípio da igreja ataques físicos (perseguição), ataques intelectuais
(Judeus e pagãos refutando o cristianismo) e os ataques das heresias, que nascem na igreja. Os outros ataques são de fora pra dentro, mas esse último surge no meio da igreja, ou no mínimo no meio do ambiente da igreja. Creio que esta seja uma das piores coisas que possa acontecer a um jovem que se alegrava cantando e achando que estava em Sião e, de repente, se dá conta que está algemado à beira dos rios da Babilônia, no meio do cativeiro; Do mesmo modo, creio que deve ser muito ruim perceber que o coração do rei não mudou, mesmo depois de fazer descer fogo do céu e matar um bando de falsos profetas.
As heresias no meio do povo de Deus são mais horripilantes do que qualquer bizarrice que o coração podre do homem influenciado por satanás poderia criar, é pior que mil shows de horrores. Porém, o mesmo Deus que história nos conta que age no meio da Seu Povo desde de antes dos tempos de Elias, age ainda hoje nos nossos dias e agirá até o fim; além disso, existem muitos bons frutos, qe duram até hoje, das “Confusões produtivas” que aconteceram nos Séc. II e III, uma das primeiras vezes em que se tinha a maior evidência de heresias. Um deles foi a "Ortodoxia", que é a reação e o estabelecimento do que é realmente o cristianismo e o que é realmente a fé cristã, é acordo de que certa doutrina é a verdade, é toda vez que a igreja estabeleceu: “a verdade é esta aqui”.
Naquela época você não tinha toda a bíblia, só se tinha o Antigo Testamento, então precisava-se de guias que soubessem chegar e interpretar a verdade no Antigo Testamento, e logo essas heresias acabaram fazendo com que a igreja se posiciona-se a respeito de um monte de coisas, as heresias instigaram a igreja a fixar a ortodoxia. Porque até então a igreja estava vivendo tranqüila, daí e começam a aparecer um monte de ensinos esquisitos e eles tiveram de se perguntar, "quem está certo? Qual a reação da igreja para armar-se contra essas heresias?" Então, resumindo, os Pais da Igreja:
- Criaram um Cânon, conjunto de livros que consideravam inspirados por Deus e importantes para ensinar o contexto histórico, as regras e o porquê de se obedecer essas regras, a autoridade maior do que qualquer outro escrito que pudesse surgir na história a respeito da revelação de Deus ao homem, a bíblia;
-Estabeleceram um Credo, resumo do que a igreja deveria crer que era muito prático na época e também o é hoje;
-Instituiram a figura dos bispos, homens sujeitos ao Espírito de Cristo na vivência do que estava escrito, no ensinamento do povo e na refutação de heresias;
Deveriam estabelecer com clareza a fé tomando o cuidado de manter o mistério daquilo que não dá para se explicar... Porque eles sabiam aquilo que o mendigo, no filme "Com Méritos"(recomendo), diz a respeito na questão "O presidente é um rei eleito? Pode fazer o que quiser ou não?"

Mendigo: “Você fez a pergunta senhor, me deixe responder. A genialidade da Constituição é que sempre pode ser mudada. A genialidade da Constituição é
que ela não manda permanentemente, mas está contida na sabedoria das pessoas comuns para se governarem.”

Professor: “Confiança na sabedoria do povo é exatamente o que faz a Constituição incompleta e crua.”

Mendigo: “Crua? Não, senhor, nossos ancestrais eram fazendeiros, brancos, de meia-idade, mas eram também grandes homens... porque eles sabiam algo que todo
grande homem deve saber: QUE ELES NÃO SABIAM TUDO. Eles sabiam que podiam cometer erros, mas inventaram um jeito de corrigi-los. Eles não se achavam ‘líderes’. Eles queriam um governo de cidadãos, não de realeza. Um governo de ouvintes, não de conferencistas. Um governo que pudesse mudar e não ficar parado. O presidente não é um rei eleito, não importa quantas bombas possa jogar, porque a ‘crua’ Constituição não confia nele. Ele é um servo do povo. Ele é um vagabundo. Certo. Ele é só um vagabundo. O único prazer que ele busca é a liberdade e a justiça...”

A genialidade dos Pais da Igreja era terem centralizado a resposta final de todas as questões da vida em Deus e não neles mesmos, teram sujeitado tudo e todos ao que Deus inspirou,a Palavra de Deus que é VIDA de fé e prática para sempre.
É facil de se ler e entender isso que eu escrevi, mas o processo para que pelo menos esses três pontos (Escrituras, Credos e Bispos) fossem estabelecidos pela igreja naquela época foi demorado, desgastante e exigiu de todos os homens despirem-se do desejo de serem "generais" e unirem-se debaixo de um só general e um só cabeça, Jesus Cristo. "Por que?" Porque as heresias só conseguem cumprir seu propósito de morte, separação de Deus e separação dos outros irmãos, se não houver aquele tipo de
atitude que eu citei da parte de Paulo, a vida Cristã, que também é encontrada nas palavras de Jesus. As heresias só conseguem permanecer em igrejas onde
todos querem ser, ou onde já se tem, algum tipo general que não seja o próprio Cristo. Onde a "palavra final" é a manipulada pela vontade dos homens
e não é dada pela Palavra de Deus.

Na história da igreja os homens vão errando e falhando, mas há uma âncora presente o tempo inteiro que vai trazer de volta a igreja, mais cedo ou mais tarde, porque Deus vai jogar pessoas de volta pra ela, que é a palavra de Deus. Na palavra de Deus que a Igreja se conserta.

Para finalizar, gostaria de compartilhar com vocês a letra de uma das músicas que Deus tem dado a mim e aos meus irmãos que tocamos juntos na "Puro e Simples" (www.palcomp3.com/puroesimples), essa música é baseada em uma poesia de William Cowper que ele escreveu em um dos períodos mais difíceis de sua vida, após uma tentativa, divinamente frustrada, creio eu, de suícidio:

"Deus age misteriosamente

A escuridão cobriu o sol do meio dia
E o meu medo me faz perguntar por você
Onde está o meu Deus? Onde está o meu Salvador?
Onde está o meu Dono e Senhor?

A tempestade na estrada me atrapalha a enxergar
O caminho que eu sei estar lá
O terror a minha frente tenta o meu coração
A se salvar pelo caminho da perdição

Mas o Teu livro me faz lembrar

Deus age misteriosamente em seus milagres
Deus age misteriosamente em seus milagres

Quando as trevas escondem a sua face adorável
Eu descanso em sua graça que não muda
Em cada tempestade assustadora e violenta
Minha âncora se prende a sua palavra

Deus age misteriosamente em seus milagres
Deus age misteriosamente em seus milagres

Deus é seu próprio intérprete
E certamente revelará o caminho certo
O caminho certo"

Que Deus nos abençoe!

João Vítor

E as portas do inferno...


“’E vocês? ’, perguntou ele. ‘Quem vocês dizem que eu sou? ’ Simão Pedro respondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo’. Respondeu Jesus: ‘Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus. E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la.” Mateus 16:17-18

Essa passagem é conhecida por praticamente todos os cristãos e, na maioria das vezes, é lembrada como um apelo à perseverança no sentido de que “por mais que o inferno ataque ele nunca vencerá a Igreja do Senhor”, ou até mesmo como: “as portas são os últimos mecanismos de defesa do inferno, então Jesus não estava dizendo que o inferno atacaria sua igreja, mas sim que o inferno não resistiria ao ataque de sua igreja”. Bom, por mais que as interpretações desses versículos sejam maravilhosas e tragam ensinamentos importantes para nós, eu gostaria de lhes propor algo interessante sobre esse texto e pedir que tenham a paciência de percorrer esse denso caminho que Deus têm me levado a seguir.

E as portas do inferno...

Antes de tudo, não creio que Satanás esteja mesmo no inferno ou que até mesmo tenha acesso a ele, a própria bíblia sempre que o citou o descreveu na terra ou no céu:
“E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles. Então o SENHOR disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.” Jó 1:6
“Depois disso ele me mostrou o sumo sacerdote Josué diante do anjo do SENHOR, e Satanás, à sua direita, para acusá-lo.” Zc. 3:1
”O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” II Co. 4:4
“Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno.” I Jo. 5:19
“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” Ef. 6:12
Provavelmente Satanás só será visto perto do inferno quando for atirado no lago de fogo junto com ele: “O Diabo, que as enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre. [...] Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.” Apocalipse 20: 10 e 14

Então, se Satanás não governa o inferno, o inferno não é governado por ele. Logo, não podemos crer que o “inferno” (palavra usada no lugar de “Hades” em algumas traduções) seja seu reino.
A palavra Hades (tradução de “Seol”,no hebraico, para o grego na Septuaginta, versão da bíblia hebraica no grego koiné) tinha o sentido, no Antigo Testamento, de:
Morte (sepultura) – Jacó ao descobrir que seu filho José estava morto. "Todos os seus filhos e filhas vieram consolá-lo, mas ele recusou ser consolado, dizendo: ‘Não! Chorando descerei à sepultura para junto de meu filho’. E continuou a chorar por ele. " Gn. 37:35
Morte (prisão eterna) - "Assim como uma nuvem dissipa-se e some, aqueles que descem ao Sheol não voltarão." Jó 3:11-19
E ás vezes também era usada para explicar a intensidade de algum tipo de sofrimento, "Tristezas do Sheol me cingiram, laços de morte me surpreenderam. Na angústia invoquei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.” Salmo 18:5-6

No Novo Testamento ela aparece, com exceção nas citações encontradas no livro de Atos sobre o cumprimento das profecias do Antigo Testamento a respeito de Cristo, como estado de condenação e prisão dos espíritos dos incrédulos que não creram no evangelho e em Jesus e aguardam, atormentados, a segunda morte. Ap. 20:7-14
Em Mateus 11:23 podemos ver Cafarnaum sendo condenada:
“Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje.”
E, em Lucas 16 vemos a parábola do rico e do Lázaro, Jesus faz um paralelo com os fariseus , que amavam o dinheiro (v.14) e não criam nele, os colocando na história no papel do homem judeu rico que durante sua vida não quis acreditar nos Profetas e na Lei (27-31) que apontavam para Cristo (v.16), e após sua morte foi para o Hades, o inferno.
A idéia de que Satanás é o governador do lugar para onde os espíritos dos incrédulos são levados após a morte não passa de uma adaptação que o Romanismo (catolicismo) fez da religião pagã de Roma a respeito do seu deus Hades, que governava o mundo dos mortos, isso não é real. Satanás não governa o inferno, nem tem acesso aos espíritos dos mortos e muito menos tem o poder de puni-los a seu bel-prazer.

O governo de Deus sobre o inferno, Hades, a morte, é reconhecido por toda bíblia, dizer menos que isso é diminuí-lo. Amós 9: 2 “Ainda que escavem até às profundezas*, dali a minha mão irá tirá-los. Se subirem até os céus, de lá os farei descer.” Os. 13:14 “Eu os redimirei do poder da sepultura*; eu os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as suas pragas? Onde está, ó sepultura*, a sua destruição?” Dt. 32: 22 “Pois um fogo foi aceso pela minha ira, fogo que queimará até as profundezas do Sheol. Ele devorará a terra e as suas colheitas e consumirá os alicerces dos montes.” I Sm. 2: 6 “O SENHOR mata e preserva a vida; ele faz descer à sepultura* e dela resgata.” Is. 7: 11 “Peça ao SENHOR, ao seu Deus, um sinal miraculoso, seja das maiores profundezas*, seja das alturas mais elevadas.” Pv. 15: 11 “A Sepultura* e a Destruição estão abertas diante do SENHOR; quanto mais os corações dos homens!”.
Só Deus tem o poder para mandar alguém para o inferno, “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.” Mateus 10:28, assim como é o único que tem pode para tirar de lá: Sl. 16: 10 ”porque tu não me abandonarás no sepulcro*, nem permitirás que o teu santo sofra decomposição.” Sl. 30: 3 “SENHOR, tiraste-me da sepultura*; prestes a descer à cova, devolveste-me à vida. “ Sl. 19: 8 “Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura*, também lá estás.” Sl. 103: 3-4 “É ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças, que resgata a sua vida da sepultura*...”

Então sabendo disso tudo compreender melhor o que Jesus Cristo estava dizendo com “as portas do inferno não poderão vencê-la”, até onde eu consigo entender, ele estava dizendo que: “Eu edificarei a minha igreja e não há nada que a morte, o inferno e o mundo poderão fazer para evitar.” Após a ressurreição de Jesus Cristo e a vinda do Reino de Deus entre nós, nada mais é como antes. É como se Jesus dissesse: “O meu povo será como eu, será aquele que triunfa em meio ao sacrifício, a morte não é seu estágio final, pois aquele que crê em mim ainda que morra, viverá; aqueles que crêem em mim, que eu sou o Cristo Filho do Deus vivo, as portas das sepulturas não poderão deter, pois eles já passaram da morte para a vida.” E, segundo a Jewish Encyclopedia (Enciclopédia Judaica), as sepulturas eram protegidas por portões e setas; logo, o Sheol era guardado de forma similar. Os compartimentos separados eram desenvolvidos para clãs separados, famílias, distinções nacionais e de sangue continuando, com efeito, até a morte. Logo podemos entender depois da crermos em Cristo, Filho do Deus vivo, ele nos une como um povo só, não há mais distinção, todo aquele que crê se une ao povo de Deus e faz parte de uma só nação.
“Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último. Sou Aquele que Vive. Estive morto mas agora estou vivo para todo o sempre! E tenho as chaves da morte e do Hades.” Ap. 1:17b-18

“O Evangelho sem a ressurreição era Evangelho sem o seu capítulo final, não era totalmente o Evangelho." A. M. Ramsey
"Se Cristo não ressuscitou, então é vã a nossa pregação, e também vã a vossa fé" (I Co 15.14). “A Ressurreição é a pedra angular da fé, e ao mesmo tempo a causa, o motivo e a afirmação central do discurso apostólico. Os crentes do Novo Testamento faziam questão especial de pregar a mensagem de que Cristo ressuscitou dentre os mortos. Eram estas as suas Boas Novas. Nunca deixaram de pensar que a Ressurreição não era verdade vital ao Evangelho, nem imaginaram jamais que pudesse haver Evangelho sem o fato da Ressurreição.” James Martin
Há uma passagem muito interessante em At. 13 e 14 que conta a história de quando Paulo e seus companheiros de viagem estão na Antioquia da Pisídia e em um sábado, após a leitura da Lei e dos Profetas como era de costume, Paulo anuncia aos presentes na sinagoga, judeus e gentios tementes a Deus, a mensagem do evangelho através da história de Israel e das profecias que se cumpriram, principalmente as relacionadas à ressurreição, e conclui com a seguinte declaração de Habacuque 1:5 : ”Olhem, escarnecedores, admirem-se e pereçam; pois nos dias de vocês farei algo que vocês jamais creriam se alguém lhes contasse!”
Então o povo os convidou para falar no sábado seguinte... Chegando o dia, “quando os judeus viram a multidão, ficaram cheios de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo estava dizendo. Então Paulo e Barnabé lhes responderam corajosamente: ‘Era necessário anunciar primeiro a vocês a palavra de Deus; uma vez que a rejeitam e não se julgam dignos da vida eterna, agora nos voltamos para os gentios. Pois assim o Senhor nos ordenou: ‘Eu fiz de você luz para os gentios, para que você leve a salvação até aos confins da terra.’’ Ouvindo isso, os gentios alegraram-se e bendisseram a palavra do Senhor; e creram todos os que haviam sido designados para a vida eterna. A palavra do Senhor se espalhava por toda a região. Mas os judeus incitaram as mulheres piedosas de elevada posição e os principais da cidade. E, provocando perseguição contra Paulo e Barnabé, os expulsaram do seu território. Estes sacudiram o pó dos seus pés em protesto contra eles e foram para Icônio. Os discípulos continuavam cheios de alegria e do Espírito Santo.”
Chegando a Icônio acontece mais ou menos a mesma coisa que em Antioquia e logo eles são obrigados a fugir para as cidades licaônicas de Derbe e Listra, e seus arredores onde continuaram pregando a palavra. “Em Listra havia um homem paralítico dos pés, aleijado desde o nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. Ele ouvira Paulo falar. Quando Paulo olhou diretamente para ele e viu que o homem tinha fé para ser curado, disse em alta voz: “Levante-se! Fique em pé!”Com isso, o homem deu um salto e começou a andar.” Esse acontecimento em Listra foi tão maravilhoso que fez o povo gritar em sua língua mãe: “Os deuses desceram até nós em forma humana!” e logo eles queriam sacrificar a esses deuses, mas Paulo e Barnabé, com muita dificuldade, os impediram. ”Então alguns judeus chegaram de Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto.” Não haviam crido na ressurreição de Cristo, conseguiram pegar Paulo, porque era ele quem trazia a palavra, o apedrejaram a ponto de no mínimo ele estar com a aparência de um morto e o lançaram pra fora da cidade para ser devorado pelas feras. Muitas pessoas haviam crido na mensagem do evangelho que Paulo, Barnabé e seus companheiros levavam enquanto percorriam as cidades, então, depois de seu apedrejamento e abandono fora da cidade, discípulos o cercaram. Bom, o fim da história poderia ter sido: “Os discípulos se ajuntaram ao redor de Paulo e o levaram para uma casa e fizeram curativos nele e esperaram ele melhorar”, ou, “Os discípulos se ajuntaram ao redor de Paulo e o enterraram...” Deus tinha outros planos, verso 20: “Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade.”Como pode isso acontecer? Provavelmente os mesmos judeus que já os haviam perseguido antes pelas outras cidades e que apedrejaram Paulo ainda estavam por lá, a “ressurreição”, ou cura, de Paulo foi o sinal de Deus para eles de que Deus ressuscitou a Cristo e que sua mensagem era verdadeira, mostrou a eles que Cristo tem todo o poder no céu e na terra e que as portas do inferno (Hades, Sepultura) não prevalecerão sobre a sua igreja. Aqueles viram isso entenderam que estavam diante do inexplicável, algo que nunca aconteceu no meio do seu povo, algo sagrado, o que deus fez em e através de Paulo apontou diretamente para a profecia de Habacuque que se cumpriu em Cristo, o povo entendeu que alguma coisa aconteceu entre os seres humanos, Deus veio visitar a humanidade, entenderam que não eram mais eles que decidiam o que vai acontecer. Quando igreja, os discípulos, se ajunta algo acontece, as portas do inferno não podem detê-la. “No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe.” Ninguém mais ousou desafia-los e persegui-los. “Eles pregaram as boas novas naquela cidade e fizeram muitos discípulos. Então voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: ‘É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus’.”
Agora, sabendo de todas essas coisas, que Deus é soberano sobre todos os acontecimentos de nossa vida ou morte, que Cristo tem todo o poder no céu e na terra, que ele mesmo nos envia a pregar o evangelho por onde quer que formos e promete estar junto conosco, qual deve ser nossa reação à vida, aos sofrimentos da vida?
”A vida só está bem quando ela nasce do louvor, da gratidão, do reconhecimento de quem Deus é, quando a nosso primeiro ato de abordagem a vida já começa no louvor. Sábios são os que constroem altares, os que não constroem altares mais tarde construirão túmulos. É muito mais difícil reagir à vida a partir do túmulo, se não impossível. A sabedoria está em construir altares, em reagir à vida louvando a Deus. Mesmo que não seja como sonhamos. Construir um altar é manter a fresta pela qual entra a luz do céu na terra.” Mesmo que venhamos a morrer, pois existem duas formas de morrer: Sem qualquer propósito; Como um sacrifício à vida;
“Qual a razão da existência? Para que existimos? Pra quê existem todas as coisas?”
“Eu fui criado para a glória de Deus e se é isso que glorifica Deus, então eu cumpri a razão da minha existência. O que eu não queria era ter morrido por causa dos desatinos dos homens.” Mas quando você morre pelos desatinos dos homens você morre sem sentido. Quando você é sacrificado por causa da glória de Deus você encontrou a razão da sua existência. O objetivo da nossa existência só encontra razão em Deus. Porque a razão da existência de todos nós é a glória de Deus. Você só terá uma existência que valeu a pena se a sua existência tiver cumprido o propósito que Deus tinha pra você. E isso nos coloca diante da pergunta que não podemos nem devemos fugir: “Qual é a razão da minha existência?”
Todas as coisas nascem de Deus e tem como seu fim Deus. E Deus reage a esse tipo de vida.
A questão não é não sofrer, mas não ser derrotado pelo sofrimento e nós só conseguimos isso entendo quem somos e quem Deus é, confiando e descansando nele, submetendo-se a Ele e cooperando com Ele em Sua obra na Terra.

Bom, Satanás tem sim seu poder das trevas, é nosso adversário, não está para brincadeira, mas eu escrevi esse texto para principalmente mostrar, dentro das minhas limitações sujeitas a graça sem limites de Deus, que não há nada, nem a morte, nem o inferno, nem anjos, nem principados, que não esteja debaixo das mãos do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo por mais que achemos que não. Muitas das vezes que eu vejo as pessoas falando sobre as portas do inferno observo que elas dão mais poder a Satanás do que ele tem; até o que ele tem, o tem debaixo da soberania de Deus absoluta em todos os tempos e lugares na existência.
“Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês.
A graça de nosso Senhor Jesus seja com vocês.” Romanos 16:20
“Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e ficamos nos lamentando diante do SENHOR dos Exércitos? Por isso, agora consideramos felizes os arrogantes, pois tanto prosperam os que praticam o mal como escapam ilesos os que desafiam a Deus!’ ” Depois, aqueles que temiam o SENHOR conversaram uns com os outros, e o SENHOR os ouviu com atenção. Foi escrito um livro como memorial na sua presença acerca dos que temiam o SENHOR e honravam o seu nome. “No dia em que eu agir”, diz o SENHOR dos Exércitos, “eles serão o meu tesouro pessoal. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece. Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem. “Pois certamente vem o dia, ardente como uma fornalha. Todos os arrogantes e todos os malfeitores serão como palha, e aquele dia, que está chegando, ateará fogo neles”, diz o SENHOR dos Exércitos. “Não sobrará raiz ou galho algum. Mas para vocês que reverenciam o meu nome, o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas. E vocês sairão e saltarão como bezerros soltos do curral. Depois esmagarão os ímpios, que serão como pó sob as solas dos seus pés, no dia em que eu agir”, diz o SENHOR dos Exércitos.” Ml. 3:14-18;4:1-3

“O homem, mesmo que muito importante, não vive para sempre; é como os animais, que perecem. Este é o destino dos que confiam em si mesmos, e dos seus seguidores, que aprovam o que eles dizem. Como ovelhas, estão destinados à sepultura, e a morte lhes servirá de pastor. Pela manhã os justos triunfarão sobre eles! A aparência deles se desfará na sepultura, longe das suas gloriosas mansões. Mas Deus redimirá a minha vida da sepultura e me levará para si.” Sl. 49: 12-15

“... ‘Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso? ’” João 11:25-26

Você crê nisso?

Que Deus nos abençoe

João Vítor
Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss