O pai de Jesus


Onde está seu pai?

Mãe (ou outro parente): “Nossa! Você tá agindo igualzinho seu pai!”
Filho: (de cara feia se sentindo ofendido): “Nada a ver...”

Por que a maioria dos homens que moraram com seus pais cristãos não está familiarizada, ou não tem, qualquer tipo de conceito bíblico, vivo e prático a respeito do papel do pai na família? Por que é tão difícil encontrar homens que são sábios, equilibrados, maduros, calorosos, compreensivos, incentivadores, corajosos, bons conselheiros... e com outros atributos de Jesus, o homem verdadeiro?
Além de encorajar você a orar, pedindo pra que Deus o leve para perto de homens mais parecidos com Cristo e, que um dia, possa se tornar um desses “espécimes raros” para as gerações de homens que está por vir, gostaria de compartilhar com você um texto muito bom sobre o assunto. É óbvio que o objetivo aqui neste texto é que você o aplique a si mesmo (refletindo sobre os seus conceitos que precisam mudar) e a partir de você mesmo (ensinando aos outros pais cristão que conhecer o que achar útil e bíblico). Não se sinta mal a respeito ou cobre do seu pai uma postura que você irá aprender agora também. Seja misericordioso! Que o mesmo Deus que te trouxe até aqui lhe conceda graça para que continue no caminho certo.

A transcrição a seguir da pregação (“O pai excelente – O exemplo de José”) de Ariovaldo Ramos, é uma das pregações mais valiosas que tive a oportunidade de ouvir a respeito do papel do homem como pai diante de Deus e diante dos filhos que O mesmo confiou a ele. Boa Leitura!

“O pai de Jesus e o significado da paternidade

José, pai de Jesus, foi alguém com quem Deus pôde contar para criar um filho para Si.
A primeira consciência que qualquer pai tem que ter é a de que ele é alguém com quem Deus está contando para criar filhos e filhas para Ele mesmo, Deus.

Mateus Cap. 1:
16 e Jacó gerou José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo.
17 Assim, ao todo houve catorze gerações de Abraão a Davi, catorze de Davi até o exílio na Babilônia, e catorze do exílio até o Cristo.

José é crucial na vida de Jesus porque é José que torna possível a vocação de Jesus, pois Jesus é por definição a Raiz de Jessé, o filho de Davi; e ele só é a raiz de Jessé e o filho de Davi porque José o adotou, porque quem era da família de Davi, da família de Jessé e da tribo de Judá, era José. Maria era da tribo de Levi, prima de Isabel. Ainda que Maria, sem dúvida nenhuma, foi agraciada por Deus, ela não poderia cooperar com a grande missão de Cristo que era governar em nome da tribo de Judá, de quem o cetro jamais se afastaria como disse o seu pai Jacó (Gn. 49:8).
Portanto, é bastante possível pensar que José não é o pai de Jesus, o pai adotivo de Jesus, porque era casado com Maria, mas sim que Maria foi escolhida para ser a mãe de Jesus porque estava desposada com José. José era 13º geração de Davi depois do exílio e a próxima geração tinha de ser a do Messias, a 14º geração, cumprindo o círculo perfeito da ação de Deus na história pra trazer seu Filho ao mundo. Então, José é quem garante a palavra do Ancião em Ap. 5, quando ele diz: “Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu...” E Jesus só se tornou o Leão de Judá porque era filho de José. Então o pai é aquele que torna possível a vocação do seu filho, e isso é o que caracteriza José, de cara, ele tornou possível a vocação de seu filho, porque ele o adotou, lhe deu o seu nome, lhe deu a sua tribo e deu com a sua tribo e com o seu nome todas as promessas que ele carregava como filho de Davi, como 13º geração depois do exílio, ele transferiu ao seu filho todas as promessas que estavam sobre os seus ombros. Então pai excelente é aquele que torna possível a vocação do se filho.

18 Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. 19 Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente.

Ou seja, ele iria atrair a culpa para si porque ela seria apedrejada se ele dissesse que não tinha participação na gravidez (Lv. 20:10). Então ela seria apedrejada, mas se ele fugisse, não desse seu testemunho, não desse a sua palavra, ele atrairia a culpa pra si e pouparia Maria da morte. Ele era justo e ele resolveu o seguir espírito da lei e preservar aquela mulher e aquela criança, mas enquanto ponderava essas coisas eis que lhe apareceu um sonho um anjo do Senhor dizendo...

20 José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. 21 Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. 22 Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta: 23 “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel” , que significa “Deus conosco”. 24 Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. 25 Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.

Um pai excelente é alguém com quem Deus pode contar pra criar filhos pra si, foi exatamente o que o anjo disse a José: “Deus conta com você pra criar o Seu filho”.
Por isso é que eu entendo que José foi o maior de todos os servos de Deus; porque a homens como Moisés Deus confiou: a condução do seu povo, a homens como Davi confiou o reino sobre o se povo, a homens como Isaías, Jeremias, Ezequiel confiou a sua palavra, mas a José, o carpinteiro, confiou o seu filho, a José confiou o seu Filho, e deu a José o privilégio inalcançável, inatingível, por mais ninguém em toda história durante toda a eternidade, ele será pra sempre o único a quem o Filho de Deus chamou de pai, isso é extraordinário.
José era alguém com quem Deus podia contar. Quantos de nós após um sonho e uma palavra de um anjo simplesmente se levantaria para fazer o que recebeu ordem para fazer? É extraordinário! Um homem com quem Deus podia contar. É interessante e lamentável ver como os homens oram muito pouco e como os homens são tão menos interessados nas coisas de Deus, porque se os homens soubessem o quanto Deus conta com aqueles a quem Ele destinou pra ser sacerdotes da sua casa e principais interlocutores dEle, os homens certamente buscariam mais a Deus e entenderiam o quanto Deus quer falar conosco, o quanto Deus quer fazer de nós sacerdotes das nossas casas, sacerdotes dos nossos filhos. É extraordinário, esse era um homem com quem Deus podia contar... e contou. Um homem pronto a criar filhos para Deus, uma vocação profunda, extraordinária, de ter alguém sobre a sua responsabilidade que você não cria pra si, mas cria pra Deus. Sabendo que ele tem e tem de ter uma vocação que vai pra além de si mesmo, que o seu filho, a sua filha, tem de ter uma vocação que deve ir pra além de si mesmo. Pra além do pai. Eu sempre digo isso pras minhas filhas: “Eu não quero que vocês cheguem onde eu cheguei, eu quero que vocês cheguem onde jamais eu poderia chegar”. Como José criou o filho de Deus pra ir muito mais longe na vocação que a família de Davi trazia sobre si desde a palavra de Jacó sobre o seu filho Judá. Então, um pai excelente é alguém que Deus pode contar pra criar filhos pra si.

Mateus Cap. 2:
13 Depois que partiram, um anjo do Senhor apareceu a José em sonho e lhe disse: “Levante-se, tome o menino e sua mãe, e fuja para o Egito. Fique lá até que eu lhe diga, pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. 14 Então ele se levantou, tomou o menino e sua mãe durante a noite, e partiu para o Egito, 15 onde ficou até a morte de Herodes. E assim se cumpriu o que o Senhor tinha dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho”.

Um pai excelente coopera com Deus na proteção de seu filho assim como no cumprimento do projeto de Deus pra ele, ou pra ela.

É interessante perceber como Deus podia contar com um cooperador, e é um cooperador inteligente. Ele recebeu uma ordem através do anjo, mas ele não saiu imediatamente, ele esperou anoitecer, esperou que todos estivessem recolhidos, para que ninguém pudesse dizer aos capangas de Herodes para onde foi aquela família e o que aconteceu com aquela família. Ele saiu com a mãe da criança na calada da noite, ninguém viu e ninguém soube. Ele sabia que Deus não estava apenas dizendo pra ele ir ao Egito, Ele estava dizendo pra ele: “Protege meu filho, cuida do meu filho, zela pelo meu filho, não deixa nada acontecer com o meu filho.” Ele então elabora uma estratégia, elabora um plano, ele não sai simplesmente e arruma a casa na frente de todo mundo, arruma as montarias na frente de todo mundo, carrega os animais na frente de todo mundo e sai com todo mundo sabendo em que direção ele vai com a mulher e com a criança. Ele vai de noite, ele espera a noite cair, ele espera o momento em que ninguém mais vai vê-lo, que ninguém vai perceber, ele espera o momento em que ele sai com a mulher e com a criança e ninguém sabe pra onde, de modo de que se no dia seguinte alguém aparecer na aldeia pra perguntar: “Onde está aquela família e aquele menino?”, ninguém sabe, “estava aqui ontem, devem ter ido embora de noite.”, “Pra onde foi?”, ninguém sabe, todos estavam recolhidos, todos estavam dormindo, ninguém tem a menor idéia.
Ele era alguém que cooperava com Deus, que sabia exatamente o que Deus estava pedindo, que sabia que Deus entrava com a orientação e ele entrava com a estratégia. Deus entrava com a orientação e ele entrava com a sua vida, Deus entrava com a orientação e ele entrava com tudo que tinha, com tudo que sabia e com tudo que podia, era um parceiro de Deus na criação do filho de Deus. O pai excelente coopera com Deus na proteção de seu filho, assim como no cumprimento do projeto de Deus pro seu filho, o pai excelente sonha pro seu filho os sonhos de Deus; É sempre uma tentação projetar-se nos seus filhos, mas o pai que já entende o projeto de Deus, o propósito de Deus, procura sonhar pros seus filhos os sonhos de Deus; porque sabe que é promessa de Deus pra si mesmo que seus filhos irão mais longe do que ele conseguiu ir, ele não vão se realizar nos seus filhos, Deus vai realizar nos seus filhos tudo o que quer realizar em toda sua geração. O pai excelente sonha os sonhos de Deus pros seus filhos e coopera com Deus na conclusão desse sonho.

19 Depois que Herodes morreu, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, 20 e disse: “Levante-se, tome o menino e sua mãe, e vá para a terra de Israel, pois estão mortos os que procuravam tirar a vida do menino”. 21 Ele se levantou, tomou o menino e sua mãe, e foi para a terra de Israel. 22 Mas, ao ouvir que Arquelau estava reinando na Judéia em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Tendo sido avisado em sonho, retirou-se para a região da Galiléia.

É extraordinário, um pai excelente discute com Deus sobre o que é melhor para o filho. O anjo disse: “pode voltar para Belém, morreu Herodes”, mas ele prudentemente começou a perguntar no caminho, “Quem reina no lugar de Herodes?” e começou a receber a resposta “Arquelau filho de Herodes reina no lugar dele”, “E Como é Arquelau?”, e quando ele fez essa pergunta ele recebeu como resposta: “É muito pior do que o pai, se Herodes é ruim, Arquelau é cruel.”, Aí o texto diz que José parou, ele temeu ir lá, aí a gente pode deduzir sem uma sombra de dúvida que ele foi discutir com Deus o que era melhor para o seu filho, “É pra voltar mesmo pra terra onde reina Arquelau que é muito pior do que seu pai Herodes?”. Então Deus envia seu anjo e diz:”Você tem razão, lá não é o melhor lugar, vá para Nazaré, vá já para Nazaré.” E aí ele não só obedece a Deus, como ele conversa com Deus, ele se torna um parceiro de Deus, ele se torna responsável como Deus e ele ajuda Deus a cumprir as suas promessas, é extraordinário, ajuda Deus e coopera com Deus pra cumprir as profecias; esse ser humano aqui é extraordinário, um pai extraordinário, Deus tinha um filho extraordinário chamado José, tinha um sacerdote extraordinário chamado José e Jesus tinha um pai extraordinário chamado José, que zelava por ele como ninguém mais zelaria, que era parceiro do Pai eterno como ninguém mais poderia ser e que conversava com o Eterno como ninguém mais poderia conversar, foi o único ser humano que pôde entrar na presença do Eterno e dizer: “Eu vim conversar com o Senhor sobre o nosso filho, sobre o que é melhor pra ele.” O pai extraordinário discute com Deus o que é melhor pro seu filho, vai buscar de Deus o que é melhor pro seu filho, coloca de Deus os perigos que vê o seu filho correndo e chama Deus como parceiro para a criação do seu filho.

E Mateus 2 ainda nos diz que ele foi chamado “o nazareno”, justamente porque houve alguém que obedeceu ao Senhor.

40 O menino crescia e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. 41 Todos os anos seus pais iam a Jerusalém para a festa da Páscoa. 42 Quando ele completou doze anos de idade, eles subiram à festa, conforme o costume. 43 Terminada a festa, voltando seus pais para casa, o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que eles percebessem. 44 Pensando que ele estava entre os companheiros de viagem, caminharam o dia todo. Então começaram a procurá-lo entre os seus parentes e conhecidos. 45 Não o encontrando, voltaram a Jerusalém para procurá-lo. 46 Depois de três dias o encontraram no templo, sentado entre os mestres, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas. 47 Todos os que o ouviam ficavam maravilhados com o seu entendimento e com as suas respostas.

Um pai excelente educa seu filho para o cumprimento do seu propósito. Não sei se você sabe mais o primogênito era encargo do pai lá no antigo Israel, era o pai que cuidava do primogênito, o pai passava pro primogênito tudo que tinha e tudo que sabia, passava pro primogênito a sua profissão, passava pro primogênito o seu conhecimento das escrituras, passava pro primogênito toda a sua educação, eu não sei se você sabe, mas Jesus era extremamente culto, aliás há um judeu chamado David Flusser que escreveu um livro sobre Jesus, ele não é messiânico não, ele é dessa linha de judeus que estudam Jesus agora reconhecendo que Jesus foi o Judeu que tornou Israel conhecido e as escrituras de Israel conhecidas e reverenciadas em todo mundo, então é uma nova safra de estudiosos judeus que reconhece Jesus de Nazaré não como Messias, mas como certamente o judeu que mais trouxe destaque a história de Israel no mundo moderno. E aí eles estudam Jesus, e o David Flusser estuda Jesus e ele diz uma coisa muito interessante, ele diz que os cristãos sempre falam da cultura do apóstolo Paulo mas ele diz que Jesus de Nazaré era mais culto que o apóstolo Paulo, que as frases que Jesus de Nazaré diz dão conta de que ele leu os melhores textos escritos pelos anciões de Israel, que ele teve acesso a melhor educação, e mais, as frases que ele fala dão conta de que ele pelo menos falava quatro línguas, o aramaico, o hebraico, o grego e o latim, no mínimo, porque ele faz citações que os eruditos que conhecem a tradição de Israel sabem que ele precisava conhecer muito pra chegar até lá, precisava ter lido muito pra chegar até lá, e quem educa o filho primogênito é o pai na velha Israel. Quem diz ao filho o que é que ele deve ler é o pai, porque você não deve se esquecer jamais que lamentavelmente, é óbvio, as mulheres eram analfabetas, porque só aos homens era dado o privilégio de expor as escrituras, é claro que havia algumas que não o eram, mas no geral às mulheres não era dado o privilégio de ler e expor as escrituras, a fé judaica é uma fé iminentemente masculina, então tudo o que Jesus sabia nos primeiros 12 anos até chegar o chamado Bar Mitzvah ele aprendeu do pai, porque era assim que funcionava em Israel, então é o pai que o educa, é o pai que o conduz aos livros, é o pai que diz a ele o que ele deve ler, quem ele deve ler, quem ele deve buscar, o que ele deve considerar, e é interessante perceber que em muitos movimentos de Jesus ele lembra José que privilegiava o espírito da lei ao invés do rigor da lei, que foi o que o fez pensar em ir embora, porque se ele tivesse se mantido no rigor legal ele teria provocado a morte de Maria, mas ele evocou o espírito da lei e decidiu que o melhor era atrair a fúria da lei sobre si do que punir um inocente (no caso o bebê), e muitas vezes você vai ver no caminho de Jesus ele evocando mesmo princípio que o pai dele também tinha, que o segredo da lei de Moisés está no espírito dela e não no rigor aparente, então ele é quem educa o filho para o cumprimento do seu propósito, o menino sabia muita coisa pra além da sua idade do que normalmente a sua idade permitiria, o pai excelente é assim, educa o filho para o cumprimento do seu propósito, educa a filha para o cumprimento do seu propósito, e diz-nos mais o pai excelente discípula o filho...

Quando Jesus ensinava na sinagoga e as pessoas ficavam maravilhadas com ele em Nazaré a exclamação delas era assim, Mateus 13:

55 Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria, e não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?

Marcos 6:
3 “Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs?”E ficavam escandalizados por causa dele.

Ou seja, a comunidade, a comunidade de Nazaré , vinculava Jesus a José, “não é este o filho do carpinteiro”, “não é este o carpinteiro o que herdou o ofício do pai?”
Por aí você pode imaginar o quanto José protegeu Maria e Jesus, porque Maria tinha que ser odiada pelo povo, mas José o protegeu de tal maneira que a sua comunidade não conseguia olha pra ele sem se lembrar de seu pai. Então José vinculou seu filho a si e ao discípulou, isso aparece também em...

Lucas 4:
22 Todos falavam bem dele, e estavam admirados com as palavras de graça que saíam de seus lábios. Mas perguntavam: “Não é este o filho de José?”

Então você percebe que José desfilou, apresentou o seu filho, fez toda a comunidade entender: este é o meu filho, o meu primogênito, ele o vinculou a si. Extraordinário.

João 6:
42 E diziam: “Este não é Jesus, o filho de José? Não conhecemos seu pai e sua mãe?...”.

Que coisa extraordinária, um pia discípula o seu filho e leva o filho a estar vinculado a si e toda comunidade sabe disso, este é o filho de José, aquele que herdou a sua maestria, aquele a quem ele ensinou as primeiras letras, aquele que ele levava pra sinagoga, aquele a quem ele ensinou a ser judeu, a ser servo de Deus.

João 1:
45 Filipe encontrou Natanael e lhe disse: “Achamos aquele sobre quem Moisés escreveu na Lei, e a respeito de quem os profetas também escreveram: Jesus de Nazaré, filho de José”.

Como Filipe chegou a essa conclusão? Simples, João estava pregando e falou sobre Jesus: “Este é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, Filipe e André, seu irmão, apartaram-se de João e seguiram Jesus, chegaram até ele e disseram: ”Rabi, onde assistes?” e Jesus disse: “Vem e vê”, e aí certamente fizeram aquilo que todo judeu fazia quando conhecia o outro, “Quem é você?”, e a pessoa respondia o seu nome e o nome de seu pai, e Jesus provavelmente deve ter dito: “E sou Jesus, filho de José de Nazaré”, o pai excelente é aquele que leva o filho a ter orgulho de vincular o seu filho a ter orgulho de vincular o seu nome ao nome do pai.
A bíblia nos oferece um pai exemplar, a coisa mais extraordinária de José não foi só como ele guardou o seu filho, como ele discípulou seu filho, como ele vinculou seu filho a si, como ele protegeu seu filho e a mãe de seu filho, mas como ele fez isso com absoluta discrição, como esse homem conseguiu ser tão imenso e tão discreto, como esse homem teve tanta consciência de que vivia pra que o seu filho pudesse cumprir o seu propósito, ser pai é mais que uma possibilidade genética, é um privilégio de cuidar e proteger gente a quem Deus vai abençoar, gente que vai cumprir propósito de Deus, gente que vai satisfazer sonhos de Deus, gente que vai cumprir profecias de Deus, gente que sobre o poder de Deus pode mudar a história. Ser pai é ter um olho no filho e o outro no futuro do filho, ser pai é entender que o maior de todos os privilégios é poder criar alguém e passar pra esse alguém tudo que a gente sabe de Deus, tudo que a gente já andou com Deus, tudo que se pode andar com Deus, tudo que se pode saber de Deus, tudo que se pode viver em Deus, tudo que se pode viver pra Deus. É cooperar com a construção de um ser humano, homem ou mulher, que pode ser alavanca de Deus pra mudar a história da humanidade.

Que Deus nos abençoe a nós pais, que nos abençoe com essa consciência, que nos abençoe com essa compreensão, com esse senso de propósito. E que todos nós possamos dormir com a certeza de que estamos ou já cumprimos o nosso dever. Bendito seja o Pai eterno que nos deu a graça de experimentar o que Ele sabe. “

Bom, espero que tenha abençoado vocês!

Recomendo também a leitura dos livros:

* ”O Silêncio de Adão”, Larry Crabb, Don Hudson e Al andrews, Ed. Vida Nova.
* ”Coração Selvagem”, John Eldredge, Ed. CPAD

Que Deus nos abençoe e guie. Amém!

João Vítor

6 comentários:

Aline Ramos disse...

Que lindo, Joãoo!!!
Eras, bom demais!! Este José sobre o qual tão poucos falam...
Que Deus os abençoe a ser pais extraordinários como José!! :D

Paz!! ;)

Adoradora de Cristo disse...

Paz de Cristo!

Gostei imenso do artigo postado aqui. Acredito que um pai para ser excelente deverá começar a aprender a sê-lo mesmo antes de ter filhos. É muito bom compartilhares este assunto para que os presentes e futuros pais possam ser capacitados e cumpram o seu papel.

Deus vos abençoe.

http://tribojesus.blogspot.com
http://retratobelezafeminina.blogspot.com

catarina disse...

A paz do Senhor irmãos, por esses dias tenho passados momentos difícieis chegando a achar que Deus ñ está vendo meu sofrimento,mas ontem á noite quando estava no ônibus lendo a palavra de Deus, uma palavra me chamou á atenção Mateus 2: 19-23.
E naquele momento senti que estava em uma das etapas da promessa de Deus para minha vida que é de pregar a palavra.
Então resolvir pesquisar sobre José e achei esse texto, e fiquei impressionante como tudo que entendi quando li esse texto de Mateus, é exatamente o conteúdo deste texto só que esse texto é mai estudado.
Me ajudou muito e conseguir focar miha mente na palavra de Deus ao invés de ficar dando atenção aos problemas! Que Deus continue abençoando suas vidas, Ministério, Família etc..
Me ajudem em oração, Amém!!!!

lucas disse...

Isso muito me alega.
Deus abencoe a vida de vocês!

BRAVO disse...

ADOREI ESSE TEXTO QUEM ESCREVEU MOSTRA QUE TEM UM PROFUNDO CONHECIMENTO DO ASSUNTO ! CONTINUE ESCREVENDO ASSIM ; POIS SEMPRE QUERO VISITAR ESSE SITE PARA PODER AUMENTAR O MEU CONHECIMENTO ! GOSTO DOS ASSUNTOS BÍBLICOS !

Frankmar Corrêa disse...

José Foi realmente um bom Padrasto para Jesus e um bom Marido para Maria.
José era um homem obediente a Deus.

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss