Nem as Folhas de Figueira e Nem as Árvores


Nem as Folhas de Figueira e Nem as Árvores

Eva foi enganada pela serpente, Adão “se enganou a si mesmo” e pecou. Eles se deixaram levar pela filosofia de que “não se tem tudo quando só se tem o que Deus dá”. Achavam que precisavam obter algo mais para terem tudo e perderam tudo quando se esqueceram do Algo mais que eles já tinham. Deus.

Essa história se repete em nossas vidas quando somos tentados e pecamos.

“Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se.” Gn. 3:7
Quando seus olhos se fecharam para pureza e se abriram para a impureza eles perceberam que ambos estavam nus, que podiam ver tanto a sua própria nudez quanto a do outro, eles entraram em acordo juntaram folhas de figueira para se cobrirem. Não sei quanto a vocês, mas dificilmente eu conseguiria me cobrir com folhas de figueira sem ajuda. E isso se repete hoje em dia dentro da igreja quando temos pastores que pregam sobre prosperidade e outros tipos de evangelho que só servem para cobrir, de maneira ridícula e inútil, o pecado dos homens! É muito mais difícil esquecer a nossa culpa e bem mais difícil esconde-la de nós mesmos quando estamos sozinhos. É muito mais fácil nos esquecer de quem nós somos de verdade quando outras pessoas nos ajudam! Pecados são omitidos e não confrontados pelo simples fato de que ambos, “pastor” e “ovelhas”, se encontram escondidos atrás dos mesmos disfarces.

As folhas de figueira são as tentativas do homem para voltar ao seu estado original de perfeição através de seus esforços próprios. É isso que humanidade deseja desde que se rebelou contra Deus, um paraíso sem Ele. Mas ela se esqueceu de que a sua perfeição humana só podia ser considerada assim porque Deus soprou o fôlego sobre ela através de Adão. Somente pelo fato de Deus ser a vida do homem e a vida do homem ser de Deus é que havia perfeição e que o paraíso poderia receber esse nome. Sem Deus o homem não é nada mais do que um monstro de lama podre que se cobre com folhas de figueira que só são úteis para enganar a ele mesmo e aqueles que julgam pela aparência. Toda obra moral e “politicamente correta” do homem sem Deus, por mais que ele se chame de evangélico, não é nada mais do que imoralidade e corrupção disfarçados. Por mais “puras” que as suas intenções pareçam.

A igreja evangélica corre junto com a sociedade nesse sentido. O seu falso evangelho de “prosperidade” e “saúde” que serve para nada mais do que satisfazer as necessidades de folhas de figueiras para os homens tem levado muito a se perder pensando que estão se encontrando. Um evangelho que é pregado com base em uma bíblia que só possui os dois primeiros capítulos do livro de Gênesis e alguns outros versículos fora de seus contextos só pode ser considerado satânico! Um evangelho que prega uma fé que expressa o sacrifício de Cristo somente para se conseguir acumular mais bens materiais só pode ser considerado infernal.

Ó como a igreja está enganada por satanás longe do arrependimento pelos seus pecados e se amontoando cada vez mais com folhas de figueira.
“Ouvindo o homem e sua mulher os passos (ou a voz) do SENHOR Deus que andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus entre as árvores do jardim.” Gn. 3:8

Bastou somente ouvir a voz, ou um sinal da presença de Deus, para que as folhas de figueira se revelassem tão inúteis para Adão e Eva como elas sempre foram. Já não bastavam as folhas de figueira para se cobrirem, eles correram para se esconderem entre as árvores, mas em vão.

Eles não puderam resistir em atender o chamado do Senhor, nada nem nos céus, nem na terra, em abaixo da terra poderia resisti-lo.
“Mas o SENHOR Deus chamou o homem, perguntando: “Onde está você?” Gn. 3:9

E uma vez diante de Deus nada fica em oculto...
“E ele respondeu: “Ouvi teus passos no jardim e fiquei com medo, porque estava nu; por isso me escondi”. Gn.3:10

Diante de Deus ele, como nós, só pode se sentir como se “toda maldade de sua vida estivesse fresca em sua memória, e visse todas as más ações que cometeu anteriormente, como se tudo tivesse sido praticado a pouco tempo”.

Como sou tentado a cada dia a fazer algumas roupas de folhas de figueira para mim e abandonar a graça manifestada a mim mediante o sacrifício de Cristo tomando sobre mim um peso de justiça própria e me esquecendo que todo e qualquer senso de justiça que eu possuo veio dele!

Como conservarei meu coração sincero diante do Senhor?

Somente uma resposta eu encontrei...

“É na obediência da palavra de Deus que a igreja se conserva”

João Vítor

2 comentários:

Adna disse...

Concordo com tudo que vc escreveu!!
É dificil vc ouvir nos pulpitos o evangelho de servir ao proximo e ao Senhor!! O que se escuta é o evangelho do ter e ganhar.Esquecemos que Jesus lavou os pés dos discipulos, foi servo...Seu ministério foi de restauração...Contudo, creio que o Senhor tem mudado os corações e restaurando a sua Casa...

Elisama

Tali disse...

Jon, lendo este texto me veio à tona uma fase que vivi dentro da igreja.
Desde adolecente eu sempre saia “bem” dos cultos, sem ser confrotada com os meus pecados, sempre ouvindo inúmeras pregações sobre AUTO-ESTIMA, família, saúde... mas nada que me fizesse parar pra pensar nos meus pecados, aqueles que Deus abomina e que me afastam do Espírito Santo de Deus. E sobre ARREPENDIMENTO então? Sinceramente, eu nem ouvia essa palavra...
E tudo parecia tão “normal”, pois era confortável... e eu não enxergava o risco que corria nem quão grave era a minha situação.
Mas no dia que parei pra analisar esse meu estado de pecadora não-arrependida e conformada, imediatamente caiu a ficha de que eu não podia me considerar cristã se eu não vivia o verdadeiro cristianismo. Meu Deus, isso é mto óbvio, poxa!

E nesse dia, Deus por sua infinita misericórdia me chamou...
“Mas o SENHOR Deus chamou o homem, perguntando: “Onde está você?” Gn. 3:9

E a cada dia da minha vida Ele tem me chamado pra morrer p/ o mundo... Tem mostrado que o caminho é estreito e que o sofrimento é certo. E meu coração se alegra por isso, pq sofrer com Cristo é bem melhor do que errar... e eu sei que Ele me ama, mesmo sendo eu pecadora e não merecendo nada.

Ele simplesmente me ama e isso é imutável.
Como vc disse Jon, é na obediência da palavra de Deus que devemos permanecer*
Amo você, meu amigo!
Tali

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss