Em breve morreremos


Salmos 39: 4 Mostra-me, Senhor, o fim da minha vida e o número dos meus dias, para que eu saiba quão frágil sou.

Acredito que uma das mais notáveis dificuldades do homem de mente finita está em compreender a ‘’complexidade’’ do tempo, sim por mas que afirmem que isso não é algo complexo, eu afirmo que é, pois é visto nas diversas tentativas humanas de encontrar o entendimento do assunto , vemos uma busca filosófica e científica de se decifrar o assunto, e essa complexidade não se discerne através da filosofia vã e sem Deus, nem no modo estúpido científico que se contradiz após alguns anos .

A complexidade do tempo se compreende da maneira mas simples contida nos ensinos antigos bíblicos, vemos a soberania e a bondade de um Deus infinito colocando coisas tão grandiosas de uma forma tão simples para homens comuns entenderem, e o engraçado que a mente decaída nunca poderá compreender (por isso se ver tanta idiotice) por mas que se tenha inúmeras faculdades mentais e o mas vasto conhecimento em diversas áreas da ciência não será entendida se não for operado um milagre:

Mateus 11:25 Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.

A pergunta então é você cristão já compreendeu o tempo, já entendeu de que eternidade a bíblia fala? Meu foco principal com esse texto não é fazer um estudo detalhado sobre a infinitude de Deus, sobre a dimensão de tempo que Ele habita ("Tudo que é eterno está eternamente acima do tempo." C. S. Lewis), afinal não sou o mas adequado a fazer isso, o meu principal objetivo é fazer uma analise da brevidade da vida. Uma idéia real e simples de tempo. É lógico que todos sabem que a vida vai acabar, e também é real que muitos sabem que estão sujeitos a morrerem a qualquer momento, mas o que os impendem de viverem refletindo sobre isso? Porque então não se preocupam com o que está por vir depois da morte?

Sei que diversos textos nesse blog já mencionaram a corrupção do homem da sua maldade, não os saturarei mas ainda de minha concepção de podridão ao olhar para o homem decaído, quero mencionar da prisão que esse homem habita, a prisão que o mantêm em seus erros, uma prisão que o aliena e o faz esquecer do que realmente ira acontecer. Ele ‘’necessita’’ de algo para se ocupar se não fosse os prazeres que ele senti ao fazer uma viajem ao fazer sexo, ao se escravizar na frente de uma tela quer seja de televisão ou de um computador, se não fosse festas, as bebidas o fumo, drogas, vícios* se não fosse os meios que a raça humana está continuamente utilizando e inventando para alcançar certo tipo de prazer creio eu que o homem estaria num estado grotesco de vida selvagem, pois viver sem um escape (no caso suas ocupações) para sua consciência pecadora seria terrível e massacrante por isso ele vive atrás desse escape e se satisfaz nele, com suas ocupações sua mente fica presa sem olhar para o futuro, não seu futuro que ele tenta planejar, mas seu futuro que já está planejado no caso a morte.

Cruel é ver milhares de pessoas caminhando por esse caminho cego de vida, o mas absurdo de tudo isso é saber que eles não estão nem ai para a morte, ou melhor nem ai para Deus, seus prazeres seus trabalhos, não tem tempo para Deus afinal usam aquela velha desculpa ‘’ainda é cedo para me preocupar com as coisas eternas’’, vivem como se nada fosse acontecer, como se a vida aqui fosse durar para sempre, não tem nenhum desejo por coisas espirituais, nenhuma preocupação... Oh homem depravado inimigo de Deus, ainda tenta criar para si desculpas do tipo encarnação, ciência para pensar que você é somente composto do físico, não acaba ai seu corpo se deteriora, mas sua alma vai para um de dois lugares, ARREPENDA-SE.

A muitos cristãos, principalmente os jovens, me incomodo muito ao olhar para vocês e ver suas vidas totalmente relaxadas em relação ao eterno, o que tem os diferenciado do mundo, se o foco de ambos os lados (‘’cristãos’’e os não convertidos) estão aqui? Raramente se ver distinção, o maior número de crentes só se diferenciam do mundo no assumir, não assumem, enquanto os não convertidos de uma forma mas direta assumem o amor pelo mundo. Com que propriedade eu digo isso ao ver os sonhos de uma geração sem paixão pelas coisas eternas, basta ver como lidam com a cada hora de sua vida, o desespero em se formar e adquirir um pedaço de papel que nada vai valer depois da morte, a falta de paixão por almas, pelo ministério, nenhum sonho de se forma e usar aquilo que aprendeu para Viver para Deus, sem sonhos pelo eterno sem almejo pelas coisas que vão durar e não vão passar, sem vidas que demonstre um ódio por esse mundo, sem vidas de devoção tentando se justificar pela bitolação de compromissos que têm no mundo ou até mesmo no templo religioso que participa. Que bom seria se esse texto pudesse despertar aqueles que vivem relaxados com a eternidade.

Amigos usarei um exemplo imensamente distante da grandeza da realidade, "o que é nossa vida se não alguns milésimos de segundos diante de alguns bilhões de anos" é lógico que os bilhões são alguns segundos, e assim sucessivamente, poderia ficar aqui tentando descrever aquilo que é eterno e ainda assim ficaria vaga à idéia, como desejo que minha geração entenda isso e que faça algo além, algo que dure eternamente que se dedique a eternidade que se volte a ela que a cada dia que a cada hora possa ser vivida num único pensamento a glória de Deus. O quanto eu posso glorificá-lo em 1 hora, o quanto que eu estudo pode glorificar a Deus o quanto eu trabalho pode glorificar a Deus, que a cada momento possa ser consumido de um único pensamento o do alto, e quando algo arde dentro de si não espere haja, faça algo que dure para sempre, e quando as dificuldades aparecerem lembre-se vai passar.

Esse realmente é o meu desejo para essa geração de cristãos, que se desprendam tanto daqui que vivam totalmente para Ele não se importando com os riscos, que se alegrem na possiblidade de viver e morrer por Ele, não dominado pela alienação que o mundo oferece como escape da fuga da realidade, mas realmente livres desse sistema e escravos de Cristo

Tiago 4:14 Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.

6 comentários:

Fabiana disse...

Cara é muito bom conhecer pessoas que tem pensamentos semelhantes aos meus!!

Aline Ramos disse...

Que benção, Lucas!!!
Ah, como essa vida passa a ter sentido quando nossos olhos estão dirigidos para nosso Eterno Deus, quando entendemos que nossa finitude está ligada, aliançada ao Eterno Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó!!!
E como a vida se torna vazia, escura, pesada, incompreensivel quando nos afastamos dEle, quando nossas forças, nossa dedicação, os momentos de "prazer", as buscas por paz e alegria são construidas distantes do Senhor... Todo o tempo sentiremos essas coisas escorregando pelos nossos dedos, superfluas e sem significado real, como um castelo de areia que pode ser destruido a qualquer momento pelas ondas do mar... É assim uma vida sem Deus, sem buscar viver e dedicar-se às coisas eternas, sem sonhos, limitada aos padrões, planos e desejos desse mundo... Um fardo pesado demais, que nos faz doentes e vazios...
Enquanto o fardo de Cristo é leve, prazeroso, inacreditavel...
Quão melhor é viver por e para Ele!!!

Aline Ramos disse...

Acho esse texto incrivel, olha so:

“[...] Que havia de mais importante para o homem do que seu destino eterno, aquecendo-se ao brilho do Messias? E que havia de menos importante que as coisas terrenas, as coisinhas empoeiradas, as insignificantes pequenas fortunas, as preocupações que davam? O homem Médio tinha a mente tão pequena que não podia abarcar a incrível diferença? Era como se alguém entrasse num pequeno oásis e pensasse que ele fosse o mundo inteiro, e se zangasse ao simples pensamento de que além daquele lugar acanhado existissem cidades enormes, terras extensas e o zumbir fremente da vida sem fim. Esse homenzinho chorou quando lhe disseram que devia partir para uma existência maior, agarrando-se à sua palmeira desfolhada, ao seu pedaço encharcado de relva, ao pequeno poço de água barrenta, sem querer acreditar – não! recusando-se a acreditar – que um destino maior o chamava e que ele precisava ir.” (Taylor Caldwell, do livro “Paulo de Tarso – O Grande Amigo de Deus”)

Rodrigo Reis disse...

Show Lukinha.
Um grande erro, é ignorarmos a fragilidade que somos nessa vida.A ideia de que podemos morrer a qualquer momento tem sido esquecida de nós, em ate mesmo um mecanismo para tentar viver sorrindo sem pensar no fim, que ja esta proximo.
Talvez seja por isso que a biblia diz que é melhor irmos a um enterro do que a uma festa.Sei la, acho que conseguimos nos deparar melhor com a Realidade.
Grande abraço irmao!
Saudds

Por Ele. disse...

Vida relaxada sem Deus... Não é só o sistema que nos prende, muitas vezes, o que também nos prende é criar um sistema único dentro do coração.

BARREIRAS que impedem de caminhar!

Que morramos HOJE em vida pra Cristo!

Lucas Louback disse...

Fabiana, Também me sinto feliz em saber que existi poucas pessoas com pensamentos assim.

Aline Ramos, Exatamente, isso, seus comentários completam o texto obrigado

Rodrigo, Cara Tua participação aqui me faz feliz, Salomão nos ensina como refletir indo num enterro aprendamos com a palavra, Saudade meu Brow.

Por Ele, Quando se cria um sistema que não seja a palavra e uma vida devota, automaticamente é uma barreira, ou melhor, uma vida fria sem Deus

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss