Um pouco mais sobre a fé Parte 2


O que é fé?

“Se Cristo fosse somente um poço de água, em breve poderíamos esgotar Sua capacidade, mas, quem pode esvaziar uma fonte?" C.H. Spurgeon

Já existem muitos escritos sobre esse assunto, e mesmo se eu tivesse a oportunidade de ler, meditar e buscar algo de Deus em cada um deles não teria todo o conhecimento e conceitos de fé existentes na bíblia. Qualquer pessoa que foi salva por Cristo e estuda sua bíblia, sabe que aquilo escrito em suas páginas não a deixa ser um livro comum. A bíblia nunca foi e nunca será um livro medíocre, a começar pela forma em que ela nos apresenta as coisas. Geralmente, ela trabalha com proposições, ou seja, não é comum a apresentação de conceitos e definições, ela simplesmente apresenta algumas proposições, que são descrições que, num todo, nos levam a compreender algo que está sendo apresentado. Exemplo: Deus é Luz; Deus é vida. Esse tipo de apresentação é perfeito para o ensino, pois nos leva raciocinar para chegar a um entendimento e nos ajuda a memorizar o conceito e a definição de uma idéia.
Então, para entendermos um pouco sobre o conceito de alguma doutrina bíblica é necessário estudar muito mais do que alguns poucos capítulos.

1-Há duas proposições de fé que eu quero abordar, para deixar as duas distintas e dar um maior destaque na segunda:
A primeira, em uma definição bem simples, é o conjunto de ensinamentos e princípios retirados da vida de Jesus Cristo, que nos conduzem na vida cristã. Exemplo:
“Mas, se alguém não cuida dos seus, e principalmente dos da família, negou a fé, e é pior que um incrédulo”
I Tm. 5:8
Paulo, no contexto deste capítulo, está ensinando para Timóteo como ele deve tratar os vários tipos de pessoas que estão na igreja, e também dá direções para
que elas saibam a maneira certa de se comportar. Dizer que: ‘alguém negou a fé’, tem o mesmo significado que ‘negar a mensagem do evangelho’.
Paulo estava demonstrando que o comportamento do cristão confirma o que ele diz ter alcançado por meio do evangelho.
Não é um certo tipo comportamento que nos faz cristãos. Mas sim o comportamento gerado pela fé. Podemos observar esse princípio em Tiago, capítulo 2 a partir do verso 14...

2-A segunda proposição, é a da fé como confiança no caráter de Deus, essa é a fé que nos leva a uma nova maneira de ver e entender as coisas. Kepler, um astrônomo alemão, orou assim: "Ó Deus, graças te dou por permitir que eu pensasse seus pensamentos depois de Ti".
A fé é um órgão de conhecimento e, para o mundo, o conhecimento leva à fé, mas para os Cristãos a fé leva ao conhecimento. Para se ter fé, em relação as coisas naturais, são necessárias provas, pois sem estas é impossível acreditar em algo. Agora, em relação ao mundo espiritual, a fé vem sempre antes da compreensão da lógica humana.
Esse tipo de fé é a mesma que estava presente na vida de Abraão, que teve sua fé exercitada por Deus durante toda sua caminhada. Creio que um dos pontos mais altos dessas provações foi quando Deus pediu o sacrifício de Isaque, seu filho, e ele obedecendo ainda disse aos seus servos: “... eu e o rapaz vamos até lá. Depois de adorarmos voltaremos".
Essa, é aquela fé que se firma na declaração que Deus deu a Moisés:
"EU SOU, O QUE SOU", e também, "Diga ao povo que EU SOU me enviou a vocês". Assim como no caso de Abraão, Moisés e de muitos outros profetas, nós podemos ver que: a fé está baseada no caráter do Autor da promessa e, que durante toda caminhada, Deus nos ajuda a desenvolvê-la e exercitá-la.

A fé que nos leva a salvação NÃO é simplesmente uma conclusão deduzida de provas, mas sim, algo espiritual, da parte de Deus, injetado em nós e que nos leva a uma entrega total a Ele, o que é uma coisa impossível para um homem natural. "Crer de forma certa é tão milagroso quanto a saída de Lázaro do túmulo através da ordem de Cristo", disse A.W. Tozer

Aurelius Augustinus, nascido em 354 d.C. na cidade de Tagaste, uma cidade no norte da África, na Argélia. Filho de uma mãe cristã e de um pai pagão, foi influenciado por seu pai a fazer as mesmas coisas sujas que ele praticava e, mais tarde, se tornou um grande filósofo, orador e professor. Sua mãe, Mônica, uma cristã fervorosa, se dedicou muitos anos em oração pela conversão de seu filho. Até nos último momento da partida dele para a capital do império, e do pecado, Roma, ela orou e chorou pela sua vida. Mas Deus tinha outros planos e permitiu que ele partisse. A seguir, parte do testemunho da conversão do filho de Mônica, mais conhecido como Agostinho, um dos maiores teólogos cristãos, que influenciou homens como Calvino, Lutero, Immanuel Kant, Blaise Pascal e muitos outros:

“Um dia, lia as epístolas de Paulo, quando uma estranha agitação começou a mover minha alma. À medida que essa tempestade interior se desenvolvia, meu coração, minha mente e até meu rosto, ficaram descontrolados. Havia um Jardim anexo à nossa casa e eu corri para lá para que ninguém me visse daquele jeito”.

E lá estava eu, enlouquecendo a caminho da santidade e morrendo a caminho da vida!

Mas, oh, Senhor, tu usaste a vida de outros homens e mulheres transformados por Ti como um espelho em que eu pudesse estar sempre me encarando. Puseste-me frente a frente comigo mesmo para que eu pudesse ver quão deformado, imundo, manchado e contaminado eu estava.
Horrorizado, tentei fugir de mim mesmo e, finalmente, descobri que tu também estavas lá, na minha frente. Querias que eu descobrisse minha iniqüidade e a odiasse, porque ela me separava de ti.

Minha alma estava perdida.

Essa dificuldade para decidir por Deus ou por meus desejos estava me torturando. Puxei meus cabelos, bati com a cabeça, fechei meus punhos e apertei meus joelhos com ambas as mãos. Todo o meu corpo sentiu a agonia do meu desejo de ir ao teu encontro, mas não pude fazer minha alma levantar-se e ir na tua direção. Sabia que era algo muito pequeno o que me impedia. Então, virei o corpo e movi-me como se estivesse preso a uma corrente e minha agonia fosse, finalmente, capaz de quebrá-la.

Saí apressadamente da casa para o jardim e joguei-me ao chão sob uma figueira. Lágrimas escorreram dos meus olhos. Gritei em alta voz:
“Até quando continuarei dizer: ‘mais tarde´ e ´amanhã´? Por que não posso pôr um ponto final nesta sujeira de uma vez por todas?´”
Naquele exato instante, ouvi uma voz de criança vindo de uma casa vizinha -não sei se de menino ou menina -cantando continuamente:
´Pegue e leia, pegue e leia...´ Parecia o som de uma brincadeira infantil, mas nunca tinha ouvido antes semelhante música.
Aquelas palavras chegaram ao meu coração com a força de um comando divino:´Pegue e leia...´

Forcei-me a parar de chorar e levantei-me do chão. Então voltei ao jardim, para o lugar exato onde havia lido as Escrituras, pois acreditei que a voz que ouvira tinha sido nada menos que uma ordem divina para abrir a Palavra e ler a primeira passagem que eu encontrasse. Apanhei o livro rapidamente, abri e li a primeira passagem que meu olho avistou: ´ Por pertencermos ao dia, devemos viver de maneira decente para que todo mundo possa ver. Não participem na escuridão das orgias e bebedeiras que levam a se embriagar, nem da promiscuidade sexual e de uma vida imoral cheia de safadezas, nem de discussões e ciúmes. Em vez disso, vistam-se com a presença do Senhor Jesus Cristo. E não fiquem fazendo planos para satisfazerem os seus desejos maus.’ (Romanos 13:13-14)

Não precisei ler mais nada. Não havia necessidade. Logo que cheguei ao final da frase, meu duro coração encheu-se de luz e confiança. Todas as minhas dúvidas foram dissipadas ”

Esse é um dos exemplos da fé descrita em Efésios 2:8. A resposta interna à palavra de Deus, que sem a ajuda do Espírito Santo, é impossível ao homem!

Tudo aquilo que foi nos foi prometido por Deus, e que nós esperamos, está baseado no caráter daquele que fez a promessa. O próprio Deus é o "sim" e o "amém" de todas as suas promessas, desde da salvação dos que foram justificados pelo sangue de Cristo até a condenação dos que não creram na mensagem do evangelho de salvação.

A idéia de fé no Antigo Testamento é também a de 'descansar' ou 'apoiar-se', confiante em alguém ou em alguma coisa.
“Diz, o Soberano, o SENHOR, o Santo de Israel: ´No arrependimento e no descanso está a fé de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor, mas vocês
não quiseram.´” Is 30. 15.
“Parem de Lutar! E saibam que eu sou Deus” Sl 46. 10.
A fé aprovada é aquela que nos leva a declarar:"O Senhor é meu pastor...", sem ter a necessidade de afirmar:"...e nada me faltará"

Deus nunca se agradou daqueles que, mesmo temporariamente, não confiaram nEle:
"Disse, porém, Moisés ao Senhor: Ó Senhor! Nunca tive facilidade para falar, nem no passado nem agora que falaste a teu servo. Não consigo falar bem!
Disse-lhe o Senhor: Quem deu boca ao homem? Quem fez o surdo ou mudo? Quem lhe concede vista ou torna cego? Não sou eu, o Senhor? Agora, pois, vá;
eu estarei com você, ensinando-lhe o que dizer.
Respondeu-lhe, porém, Moisés: Ah Senhor! Peço-te que envies outra pessoa.
Então o Senhor se IROU com Moisés e lhe disse: ..."

A fé só pode ser considerada enquanto ainda se está aguardando algo que foi prometido. Temos um bom exemplo quando Johnn Bunyan nos mostra seu
Cristão cativo pelo Gigante Desespero no Castelo da Dúvida. A chave para sua libertação foi Promessa.

As provações da fé

"A fé não provada talvez até seja fé, mas, com certeza, é uma fé muito pequena, e é provável que continue assim enquanto não for testada. A fé nunca se desenvolve tão bem quanto na época em que as coisas estão todas contra ela: as tempestades são seu guia e os relâmpagos sua luz. Quando reina a calmaria, você pode içar as velas como quiser que a nau não se dirige para o porto; pois num oceano adormecido a embarcação também adormece. Deixe os ventos uivarem e as águas se elevarem; e, ainda que o barco possa oscilar, o convés ser lavado pelas ondas e o mastro ranger sob a pressão das velas entumecidas, aí então é que ele avançará em direção à tão almejada enseada. Nenhuma flor exibe um azul tão adorável quanto aquelas que crescem ao pé das geleiras; nenhuma estrela brilha com tanto esplendor quanto aquelas que cintilam no céu polar; nenhuma água é tão doce quando aquela que brota em meio às areias do deserto; e nenhuma fé é tão preciosa quanto aquela que vive e triunfa na adversidade. Fé provada traz experiência. Você não poderia acreditar em sua própria fraqueza se não tivesse sido forçado a atravessar os rios; e jamais teria conhecido a força do Senhor se não tivesse sido carregado por Ele no meio da
enchente. Quanto mais exercitada nas tribulações, mais a fé cresce em consistência, segurança e intensidade. A fé é preciosa, e sua provação também."
Revista Morning and evening

Dentro desse contexto, no capítulo 27 de Atos, nós encontramos um dos perigos que levam muitos a realmente tomarem uma posição firme diante de Deus, ou a revelarem sua incredulidade, o perigo de morte. O barco que levava Paulo para Roma estava no meio de uma tempestade terrível, todos já estavam desesperados, na verdade, quase todos. Leonard Ravenhill ilustra assim:
"Os mares estavam agitados, os ventos estavam uivando, os marinheiros estavam chorando, os mastros estavam voando, as estrelas estavam escondendo-se. As pessoas estavam encolhendo-se e gritando, gemendo e suspirando. Somente um homem estava louvando. Todos estavam esperando a morte, exceto Paulo. No meio de uma cena de desespero, se alguma vez houve uma, Paulo clamou: ´Senhores, eu creio em Deus´".

A intranqüilidade do homem, ou a sua procura obstinada por uma saída frente aos problemas da vida é uma demonstração de falta de confiança em Deus,
pois a religião traz uma mudança de atitude somente, os religiosos não se saem bem quando a fé nos seu sentido real e bíblico é necessária, a fé saudável traz,
primeiramente, uma mudança de coração e juntamente consigo as atitudes. Por isso o pecado engana tão facilmente os religiosos.

O caráter da fé não pode ser compreendido pelo homem natural/carnal, pois a fé está fundamentada em Deus, que é a base absoluta para que se torne possível
crer em Suas grandiosas promessas. Encontramos isso em Hebreus 11:1 "Ora, fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos".
E isso aos olhos do homem natural é estúpido, é ilógico e irracional. Certa vez em um capítulo dos Simpsons em que o Homer vai para índia, Bart disse:
"Esses indianos são muito burros eles acreditam em um deus com uma cara de elefante. Nós somos mais inteligentes, acreditamos em um carpinteiro que viveu
a 2.000 anos atrás". Esse é o pensamento irônico que circula pelas mentes que pertencem a este mundo. O ser humano está totalmente estruturado para crer
naquilo que apresenta provas convincentes a ele, por isso o anti-Cristo vai ter uma enorme multidão arás dele no fim dos tempos.
Infelizmente, ainda existem cristãos que tentam trazer algo visível para a fé que deveria ser depositada em um Deus invisível. Muitas das pesquisas feitas por cientistas
cristãos levam mais a lógica humana do que para fé bíblica, sem falar nas tentativas frustradas que ainda dão margem para os comentários de incrédulos. Certa
vez, enquanto estava no laboratório de informática da minha antiga escola, achei um site que falava sobre uma experiência de cientistas cristãos que estavam
dizendo que haviam menos dias solares do que dias terrestres, ou seja, eles estavam dizendo que por um certo período de tempo o sol não se pôs,
episódio que nós encontramos descrito no capítulo 10 do livro de Josué, só que a NASA resolveu investigar para ver se isso era verdade, advinha? Os cientistas
cristãos estavam errados, o dono do site escreveu um comentário mais ou menos assim: "Acho que aqueles que realmente acreditam no que está escrito na bíblia
não precisam de provas científicas, eles deveriam deixar estas questões somente com a fé, pois é somente neste campo que elas causam mais efeito..."
As pessoas podem mudar de posição naturalmente, sem qualquer ajuda do Espírito Santo. A mesma coisa não pode ser dita a respeito da fé.
A manifestação de Deus está perfeitamente expressa em Cristo Cl. 1:15-20, qualquer prova apresentada que ultrapasse isso é uma perversão da fé, mesmo que
seja com boas intenções.

"Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos Profetas:´Todos serão ensinados por Deus´.
Todos os que ouvem o Pai e dele aprendem vêm a mim."João 6:44-45

João Vítor

Um comentário:

Anônimo disse...

o bolg tah amssa

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss