Arqueólogo a Caça do Cristianismo perdido


Até mesmo entre os poucos que querem seguir a Cristo de verdade nós temos dois grupos distintos:
Os que falam...e os que falam e fazem. Entre a minha própria galera eu consigo ver isso tão claro quanto o fundo de um copo cheio de água.
Eu não estou falando daqueles que estão mortos debaixo do peso da religiosidade que tem pouco a ver com o ensino de Jesus. Mas sim, dos que já leram o livro "Por que tarda o pleno avivamento" escrito por Len. Ravenhil e só sabem criticar aqueles que estão ao redor e a si mesmos. Assim como a fé sem obras é morta e o remorso sem arrependimento é venenoso, a crítica não produz fruto nenhum sem uma firme posição e ação de quem a fez.
Em meio a tantas idéias, visões e usos e costumes(ou falta deles) que surgiram nos últimos séculos e que levaram a "igreja"(instituição) para onde ela está hoje com certeza eu me sinto como um dos arqueólogos na foto acima. Procurando no
passado respostas para o nosso presente alarmante e nosso futuro incerto.Digo isso num sentido geral e em relação às instituições religiosas que se auto denominam a Igreja de Cristo, elas estão aí para mostrar que a apostasia, que se iniciou
nos séculos passados quando ainda existiam cristãos na raíz da palavra, já está operando em nossos dias faz tempo. Por isso, vamos parar de correr atrás de profecias, visões e libertinagens vindas do corações de homens que dizem as ter recebido de Cristo.

Que nós como arqueólogos possamos, através do Espírito de Deus, resgatar o tesouro verdadeiro escondido no campo:

"O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campo." Mateus 13:44

Vamos seguir as pegadas do nosso Mestre manifesta através de muitos outros irmãos que viveram no passado, dos quais também o mundo não era digno. Pois ele que é o próprio e único Caminho traçou o padrão que foi soterrado pelas areias do "evangelho" falso e podre que está presente nos nossos dias.
Não escrevi esse texto como uma apologia à igreja "primitiva"(que ainda é muito mais avançada que a "igreja" atual) ou a homens, que embora sejam heróis para alguns de nós hoje, não passariam de cristãos normais no passado.

Sugiro a leitura de Hebreus 11 e do "Livro dos Mártires" de John Foxe.

Que Espírito Santo nos guie a toda verdade...

por João Vitor

3 comentários:

(-V-) disse...

Paz, Lucas.

John Foxe. Muito bom. Não li, mas pretendo comprar o livro. Dá uma olhada (se você já não deu) no poema que fiz nesse sentido:
http://7vini.blogspot.com/2008/08/voltemos-ao-evangelho.html

No Amor e na Verdade que nos une,
Vini
http://br.youtube.com/7vini
http://7vini.blogspot.com

... disse...

Muito bom este post, amei.
Posso dizer que tenho me sentindo assim, como um daqueles da foto também. A propósito estou lendo o Livro dos Mártires, é excelente.

Abraço

cursos de teologia disse...

Parabéns João Vitor, pelo espetacular e abençoado conteúdo deste blog!!!

Um abraço fraternal!!!

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss