Mente de Cristo


O que nós, como cristãos e seres humanos, compartilhamos em nossas mentes que poderíamos dizer que já passou pela
cabeça de Jesus, um homem cujas palavras maravilhavam as multidões e calavam os sábios de sua época?

Como deveria ser a mente do homem mais sagrado que já andou sobre a face da terra?

É nesse ponto que vamos nos aprofundar desta vez, vamos nos concentrar no que diz respeito a nossa mente e a mente de Cristo.

Será que sua mente estava totalmente em "paz" ou em guerra?

Como Tozer escreveu:

"Não creio que Satanás se preocupe muito em destruir-nos, a nós cristãos, fisicamente. O soldado morto em combate,
que morreu realizando algum feito heróico, não é uma grande perda para o exército, mas pode, ao contrário, ser objeto de
orgulho de seu país. Por outro lado, o soldado que não consegue ou não quer lutar, mas foge ao som da primeira arma inimiga,
é uma vergonha para sua familía e uma desgraça para sua nação.
Assim, o cristão que morre pela fé, não representa uma perda irreparável para as forças da justiça na terra, e certamente
não representa vitória para o diabo. Mas quando um exército inteiro de crentes que se chamam assim são tímidos demais para
lutar e demasiadamente metidos para se envergonharem, certamente isso produzirá um pequeno sorriso no rosto do inimigo;
e produzirá vergonha na face de toda igreja de Cristo.

Não quero dizer que a mente pervertida de alguns é como a mente de Cristo foi e é, tem pessoas que se deixam levar
pelos seus próprios pensamentos e desejos pervertidos do seus corações. E esse não era o caso de Cristo.

"Luta há sempre, e por vezes há uma arrojada batalha contra a nossa própria natureza, onde as linhas se confundem tanto,
que é impossível localizar o inimigo ou dizer qual é o impulso do Espírito e qual o da carne."

Satanás nos tenta quando temos algo a perder, ninguém insiste em lutar contra um inimigo já derrubado na batalha.

"A estratégia mestra que o diabo usa contra nós cristãos, não é matar-nos fisicamente(apesar de que pode haver
alguma situação especial em que a morte física se enquadre melhor em seu plano), mas, sim, destruir o nosso poder de
favorecer o combate espiritual. E que sucesso ele tem conseguido em fazer isso!!! O Cristão comum dessa época é bastante
inofensivo. Deus sabe. É uma criança vestindo uma armadura de guerreiro sem saber usá-la direito; é uma aguiazinha doente
que não consegue nunca alcançar vôo; é um peregrino esgotado que desistiu da viagem e se assenta com um sorriso de
vergonha, procurando conseguir quanto prazer puder aspirando o cheiro das flores que ele apanhou pelo caminho e que
rapidamente morrem.
Os que são desse tipo já foram agarrados. Satanás os pegou logo. Mediante ao falso ou inadequado ensino, ou devido ao
enorme desânimo proveniente do exemplo de uma igreja decadente, ele conseguiu enfraquecer-lhes a resolução, neutralizando
as suas convicções e domando a força que eles tinham no início de fazer grandes coisas por Deus; agora eles são pouco mais
que uma estatística que contribui financeiramente para a boa conservação da instituição religiosa."

Com certeza, quanto mais corrermos contra a correnteza deste mundo e no aprofundarmos no conhecimento do nosso Senhor,
estaremos na mais profunda guerra. Não tenham medo das investidas do inimigo e não confundam tentação com pecado. Certa vez
vi isto escrito em um livro:

"Você não pode impedir um pássaro de pousar na sua cabeça, mas pode impedí-lo de fazer um ninho nela"

Sigamos na perseverança que a esperança que temos em Cristo nos dá, pois depois do fogo da batalha beberemos da água vida e
acharemos descanso eterno.

Agora já sabemos que:

"Se Satanás se opõe ao novo convertido, opõe-se ainda mais ferozmente ao cristão que está se empenhando em avançar rumo a
uma vida mais elevada em Cristo. A vida cheia do Espírito não é uma vida de paz e quietude, como muitos supõem. Tende a ser
o oposto disso.
Satanás não incomodará o homem que abandonou a luta. Mas o preço do abandono da luta será uma vida de pacífica estagnação.
Como filhos da eternidade, não podemos permitir-nos tal coisa."

É Aquele que esmagará Seus inimigos debaixo dos próprios pés e tem o dia da Sua ira já determinado que nos guiará em batalha.
Amém!!!

João Vitor

Um comentário:

cursos de teologia disse...

Rico, isnpirador e abençoado post!!!

Continue na abundante Graça do Senhor!!!

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss