Homossexualismo na igreja- Parte I


Homossexualismo na igreja- Parte I

Estes estudos estarão dividido em 5 partes com os seguintes objetivos:
*Chamar a atenção dos irmãos para uma leitura um pouco mais apurada da sociedade em que vivemos;
*Alertar sobre alguns dos "ataques" feitos a bíblia e ao Nosso Senhor por algumas militâncias gays que tentam destruir e banalizar os princípios contidos na palavra de Deus.
*Abrir os olhos dos que se recusam a enchergar o homossexulismo dentro da igreja.
*Indicar, se possível, qual deve ser a posição e reação da igreja diante do homossexualismo.
*Ajudar os homossexuais que estão nas igrejas, tanto os que nasceram e foram criados por tradição dentro delas quanto os que se converteram a pouco tempo e estão lutando contra o homossexualismo dentro de si.
Para melhor compreensão dos leitores utilizarei citações trechos de outros trabalhos muito ricos. Recomendo que leiam todas as fontes citadas.

Ser "gay" (palavra inglesa que significa alegre, como adjetivo, e homossexual, como substantivo) parece moda em nossos dias. Geralmente, a mídia os retrata como uma classe mais “descolada”, moderna, fashion, inteligente e sensível do que as outras.
Os meios de comunicação, de modo geral, têm sido usados para divulgar e ensinar esses "novos" príncipios e concepções de uma sociedade que não ama Deus e nem está fundamentada na Sua Palavra. E com certeza arrasta uma multidão de jovens e adultos acorrentados ao entreterimento comtemporâneo atrás deles.
Segundo estudiosos, a manifestação do movimento gay, que teve seu primeiro grupo organizado na década de 50, não foi uma simples obra do acaso como muitos crêem. Ele teve toda uma estruturação no sentido de tentar a homossexualização da sociedade
contemporânea e, infelizmente, tem obtido sucesso nisso.
Sei que existem muitos homossexuais lutando sozinhos e escondidos dentro da igreja atual. Mas, antes de nos aprofundarmos nesse assunto, vamos entender algumas coisas sobre o homossexualismo:

"Não se enganem, não herdarão o reino de Deus os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões,
os avarentos, os bêbados, os difamadores, os marginais. Alguns de vocês eram assim. Mas foram lavados do pecado, separados
para pertencerem a Deus e aceitos por ele por meio do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus" Apóstolo Paulo em 1 Co 6.9 a 11 – BLH

A primeira coisa que precisamos entender é que homossexualismo é pecado, temos que ter isso bem claro em nossas mentes. Nunca houve e nunca haverá qualquer parcialidade da parte de Deus e dos seus servos nesse assunto, a bíblia fala claramente sobre isso. Mas, o fato de "homossexualismo" ser pecado não o torna mais terrível, contaminoso ou mais digno de punição do que qualquer outro pecado mencionado na bíblia. É hipocrisia discriminar alguém que está lutando nessa área. E independente da opnião alheia, é uma omissão grave não falar sobre esse assunto, principalmente do ponto de vista Cristão, no sentido puro e simples da palavra, é claro.

A Segunda coisa que precisamos entender é que o homossexualismo, em si, não é genético. Não existem "genes gays" como muitos afirmam por sugestão. As declarações de dois doutores a respeito disso:

[1]“A idéia de um gene específico para um comportamento específico é geralmente considerada altamente improvável para os
geneticistas...A homossexualidade é muito mais complexa do que mero comportamento”.
o Dr. Joseph Nicolosi, diretor da Clínica de Psicologia Tomás de Aquino em Encino, Califórnia.

“Mudar a orientação sexual de homossexual para heterossexual seria impensável se houvesse, de alguma forma,
qualquer verdade na causação biológica ou hereditária da homossexualidade”.(ênfase do autor) Dr. Charles Socarides, presidente da Investigação e Terapia da Homossexualidade, uma organização que une terapeutas e outros profissionais que crêem que a homossexualidade não é congênita e que pode ser mudada.

Outros dados e alerta:

[2]"Pesquisas tentando mostrar causas-efeitos biológicos ou genéticos para a homossexualidade existem há quase um século.
Mas o fato é que, ao longo dos anos, nenhuma pesquisa jamais provou uma base orgânica para a homossexualidade. O ativista homossexual Dennis Altman faz uma observação acerca de um estudo do Instituto Kinsey: "Eles estão impressionados com os consideráveis esforços de biólogos, endocrinologistas, e fisiologistas em provar esse fundamento; estou mais impressionado com a incapacidade de tantos anos de pesquisa resultarem em nada além de meras ‘sugestões’." Os ativistas homossexuais declaram que a homossexualidade é natural. Os grupos gays e todas as pesquisas modernas que
defendem a conduta homossexual se baseiam direta ou indiretamente no Relatório Kinsey de 1948, o qual afirma que 10% da população são exclusivamente homossexuais. No entanto, dois excelentes livros escritos pela Dra. Judith Reisman revelam não
só a metodologia fraudulenta de Kinsey, mas também o envolvimento dele com estupradores de crianças. Wardell Pomeroy, co-autor do Relatório Kinsey, conta a reação de Kinsey à preocupação (que Kinsey chamava de histeria) da sociedade com o grave problema de adultos que têm relações sexuais com crianças da família: "Kinsey zombava da idéia... [Kinsey] afirmou, com relação ao abuso sexual de crianças, que a criança sofre mais danos com a histeria dos adultos [do que com o próprio estupro]". Os grupos de ativistas homossexuais no mundo inteiro estão trabalhando para abaixar ou abolir as leis de idade de consentimento sexual a fim de "liberar" as crianças das restrições sociais. Isso, na verdade, passa a inocentar o criminoso. Infelizmente essa conspiração resultou, em 1992 na Holanda, na legalização do relacionamento hetero (entre sexos diferentes) e homossexual de adultos com crianças a partir dos 12 anos. Nos EUA, a maior responsável por esta luta é a Associação Norte-Americana de Amor entre Homens e Meninos (NAMBLA).
Uma vez que as causas não são genéticas, passam a figurar no campo da Psicologia. O Dr. Gerard van den Aardweg, psicólogo holandês, estabelece as seguintes causas do desejo homossexual nas pessoas: experiência homossexual na infância, anormalidade familiar, experiência sexual fora do normal incluindo sexo grupal ou com animais, e as influências culturais. Corroborando as afirmações do Dr. Gerard van den Aardweg que homossexualidade não é genética, a psicanalista e escritora Sheiva Sherman declarou, em 27 de março de 1998, no programa de TV Madalena Manchete Verdade que "uma coisa tem de ficar claro: homossexualismo não é genético. Está provado". É bom frisar que as causas da homossexualidade não são genéticas, porque a maior vitória do movimento gay na década passada foi mudar a direção do debate. Em vez de se discutir sobre a conduta, fala-se sobre identidade. Qualquer um que se oponha ao homossexualismo passou a ser visto como agressor dos direitos civis dos cidadãos homossexuais. Isso é o que constatam o teólogo John Ankerberg e o sociólogo John Weldon, autores do livro "Os fatos sobre a homossexualidade" (Editora Chamada da Meia-Noite): "Nossa cultura está se tornando tão tolerante que muitos dão ouvidos a qualquer grupo de autodenominadas ‘vítimas’.""

Um autor que não posso deixar de citar é John Gagnon, um dos sociólogos mais respeitados e conceituados na atualidade no assunto. Ele estuda o sexo há mais de 40 anos e foi um dos primeiros a refutar as idéias de Alfred Kinsey. Gagnon acredita que não é possível compreender um comportamento sexual sem conectá-lo devidamente ao contexto em que ele se insere, dependendo assim, das condições e da produção cultural existentes no interior dos grupos. Em sua passagem pelo Brasil, para o lançamento de seu primeiro livro em português "Uma interpretação do desejo", ele disse em entrevista a Revista Época.

[3]”Época: A orientação sexual é socialmente determinada?
Gagnon: Sim. Existem evidências de que a homossexualidade é construída socialmente. É uma capacidade apreendida,não algo com
que se nasce.

Época: Mas essa visão social não alimenta o discurso conservador de que gay pode virar hetero?
Gagnon: Sim, desde que os conservadores também admitam que um hetero pode virar gay. A sexualidade é mais flexível do que permitimos.

Época: O que acha da escala Kinsey, que identifica a preferência sexual em seis estágios que variam dahomossexualidade
total á heterossexualidade total?
Gagnon: É um jeito interessante de pensar na sexualidade, mas deixa de lado todos os fatores sociais, Kinsey queria criar
uma variável continua, mas as pessoas vivem de modo descontínuo. Há uma diferença entre ter uma identidade sexual e uma
prática sexual. Um homem que se diz gay não é homossexual apenas porque faz sexo com homem. Ser gay tem a ver com o comportamento com os amigos, a política, etc. O gay é uma nova pessoa social. Há homens que só têm relações sexuais com homens, mas não se apresentam como gays porque não pensam como gays.”

Mas mesmo não pensando como gays eles continuam na prática que é ilícita diante de Deus.
"Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante" Levítico 18:22
Essa natureza sexual tão maleável provavelmente se deve ao pecado dentro de nós. Não que todos tenhamos tendências homossexuais, mas com certeza todo ser humano sem Deus está distorcido. Como dizia o velho mestre:
“Tudo está errado até que Deus endireite as coisas”
Isso vale pra todos nós.

Esses dois primeiros pontos são fundamentais para termos um conhecimento um pouco mais ampliado do que é homossexualismo e qual tem sido sua influência na sociedade contemporânea...

fim da primeira parte

João Vítor

Bibliografia I
[1]"Genes Gays?" por Bob Davies
Site:http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/genes_gays.htm

[2]"Teologia Gay" por João Luiz Santolin & Sérgio Viula
Site: http://www.monergismo.com/textos/homossexualismo/teologiagay.htm

[3]Entrevista de John Gagnon à Revista Época, em 25/05/2006
site:http://74.125.47.132/search?q=cache:BAhQd1Z05gkJ:www.exodus.org.br/index2.php%3Foption%3Dcontent%26do_pdf%3D1%26id%3D50+soci%C3%B3logo+Gagnon&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=4&gl=br&lr=lang_pt

Um comentário:

Christin A. disse...

Hi Lucas!

Thanks for the comment on my blog. That post is originally from the blog Godly Ladies In Training (http://ladies-in-training.blogspot.com) which I co-author with a friend.

You might also want to try visiting The Rebelution.com It's a weblog by Joshua Harris' twin brothers. It's what inspired our blog Godly Ladies In Training.

Keep on with the fight!

Blessings,

Christin

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss