Nada contra a igreja, tudo contra o igrejismo

Qualquer um que simplesmente faz acusações sem também acusar a si mesmo falhou em compreender o significado desta luta (a força da igreja consiste em sua capacidade de abraçar o arrependimento).
Dietrich Bonhoeffe


Fico triste pela visão limitada de muitos. A verdade é que nunca fui tão cristão como agora.

Ed René Kivitz no livro Outra espiritualidade, busco outro Cristianismo:"Outro em relação a qual? Que 'Cristianismo' estou abandonando para que em seu lugar apareça "outro"? É simples: estou abandonando o 'Cristianismo' do senso comum evangélico e saindo em busca do Cristianismo do senso comum da tradição cristã.Apresso-me em explicar. Considero 'senso comum' uma forma simples de me referir ao fato de que, apesar da enorme diversidade a respeito das características que identificam o ser evangélico, há um núcleo que resume como este segmento religioso da sociedade articula sua crença a seu modus vivendi.Ao escolher o senso comum, admito que o 'outro Cristianismo' que busco não é uma novidade, mas um resgate dos aspectos essenciais à fé cristã conforme se estabeleceram nestes mais de dois mil anos de história. Outro Cristianismo, outra igreja, outro céu e outra fé!"O texto que segue esclarece de forma objetiva porque estou contra muitas coisas da "i"greja:


Nada contra a igreja, tudo contra o igrejismo

Não sou contra o congregar-se, o culto ou o encontro para celebrações, não. Só não posso ver
apenas nisso a essência do evangelho.

Nada contra o caminhar dominical -- isso quando não exclui os outros dias da semana nem as outras horas do dia.

Nada contra os jejuns -- quando estes não são apenas costumeiros e egoístas, produzidos apenas pela troca; quando não estão longe do próximo e das ataduras do preso; quando não têm caráter meritório diante de Deus nem diante dos homens.

Nada contra o jejum -- quando este não é mola de egocentrismos nem estandarte para os espiritualizados, antes secreto como ensinado por Jesus.

Nada contra dízimos e ofertas -- enquanto bíblico, tal como nos é ensinado na antiga e na nova aliança: para mantimento e sustento - não do templo, não de cruzadas, não dos eventos, não de viagens, nem mesmo para os carpetes e cadeiras, mas do próximo! Quanto ao templo? Quem é ele se não o próximo!!!

Nada contra o louvor e a adoração -- quando este é para o lado e não para cima. O evangelho de Cristo te leva para os lados. Para Cristo, recebê-lo é vestir, dar de comer e visitar o doente. Adora-lo não te remete para cima, mas para os lados.

Nada contra os pastores -- quando estes são o que são e não se tornam pelo título nem para o título, simplesmente são. Com seus erros e pecados, carentes da glória de Deus, sem serem juizes do que também cometem, nem tentarem ser o que cabe a graça ser e fazer, mas, simplesmente, são.

Nada contra os eventos -- quando estes produzem vida e saciam a fome do corpo, enquanto Deus sacia a fome da alma, a liberdade e a santidade que dEle mesmo se pode produzir.
Nada contra expulsar o demônio -- quando este for visto como um ser vencido e não mais for posto no trono que pertence a Cristo.

Nada contra os que expulsam o demônio -- quando estes reconhecem que o ser infernal que tanto amarram e expulsam é sua imagem e semelhança.

Luciano Carvalho
Fonte: Outro Cristianismo.

Nenhum comentário:

Ficarei em silêncio? Deus não permita!
Ai de mim, se me calar.
É melhor morrer, do que não me opor diante
dessa impiedade, que me faria participante da
culpa do inferno.


John Huss